Bom dia a todos! Os senhores estão a passar bem? Muito obrigado pela presença de todos, quero agradecer do fundo do coração pelo esforço sincero que cada um dos senhores tem feito em prol da expansão da Obra Divina em Angola e por todo o continente africano.

Graças a Deus e ao Messias Meishu-Sama, a cada dia recebemos novas experiências de fé e relatos das mudanças na vida das pessoas, transformação do destino de famílias, tal como os senhores ouviram nas duas maravilhosas experiências de fé que foram compartilhadas no dia de hoje.

Realmente, é uma alegria muito grande ver a postura positiva dos messiânicos em toda a África se empenhando pelo bem do próximo e do mundo.
Os senhores ouviram o Ensinamento que foi lido hoje, falando sobre as tempestades e calamidades naturais, e que por detrás disso estão os sentimentos, pensamentos, palavras e acções negativas.

Por isso, é muito importante darmos continuidade no que temos feito, de emitir sentimentos, pensamentos, palavras e acções positivas pela sociedade, servindo de exemplo para que toda a sociedade africana, connosco possa participar dessa missão, atribuída pelo Supremo Deus, de construir o Paraíso Terrestre e de salvar a humanidade.

Realmente, falando em acções positivas é louvável o esforço que cada um tem feito nas campanhas de limpeza, limpando as ruas, limpando as casas, aprofundando em levar o belo para a sociedade e para as famílias!

Eu peço para darmos continuidade nessa nossa dedicação porque está a mudar o destino de muitas famílias por toda a África. Além das limpezas colectivas que temos feito, nos locais históricos, nos hospitais, nas praças, nas ruas, é muito importante a nossa dedicação na limpeza das nossas próprias casas e nas casas que acompanhamos.

Recebi um relatório de um jovem missionário moçambicano que foi fazer difusão numa província do norte do seu país. Ele tomou a decisão de começar a bater de porta em porta, fazendo difusão e falando do Johrei. Ele chegou na casa de um senhor que tinha feito uma cirurgia mal sucedida, cujos intestinos ficaram do lado de fora. A família abandonou-o e ele vivia sozinho numa casa muito suja.

Quando o jovem bateu na porta para falar de Meishu-Sama e do Johrei, o senhor recebeu-o e o jovem viu o estado daquele senhor, ficou com vergonha com a sua própria postura até então, que reclamava por qualquer motivo!  “Puxa eu não tinha noção que alguém podia sofrer tanto como eu estou a ver esse senhor a sofrer e ele tem idade para ser meu pai…” e aí perguntou:

– O senhor não tem família?

Ele respondeu:

– Tenho! A minha filha mora aqui perto, mas ela só manda comida para mim porque diz que eu cheiro mal! Então, ela não me vem ver!

Aí o jovem, junto com a frequentadora que o estava a acompanhar, fizeram uma limpeza profunda na casa dele e ele falou uma coisa que emocionou muito o jovem e a mim também quando li. Ele disse assim:

– Puxa, os meus filhos, eu lhes nasci e lhes criei, mas nunca nenhum deles fez por mim o que vocês dois jovens fizeram hoje na minha casa!

O senhor começou a chorar, agradecido e emocionado. O jovem começou a chorar também e quando voltou no dia seguinte encontrou a casa do senhor mais limpa ainda, mais arrumada e a roupa toda lavada e perguntou:

– O que é que houve?

 Ele disse:

– Ontem depois que vocês saíram a minha filha veio aqui. Ela viu a casa limpa e perguntou o que tinha acontecido, e eu contei o que vocês tinham feito por mim! Ela ficou muito emocionada, pediu-me desculpas, lavou a minha roupa toda e disse que vai começar a cuidar mais de mim também daqui para a frente!

Com esse tipo de acção, essa expansão do belo junto com a prática do Johrei e da Flor, nós precisamos intensificar cada vez mais porque essas actividades é que vão expandir o Paraíso que já existe dentro de cada um de nós.

Muitas vezes a pessoa pensa: “Ah, eu preciso saber explicar, eu preciso saber falar” – mas, não precisa de nada disso. Basta pedirmos ao Messias Meishu-Sama que nos utilize como seu instrumento para que Ele possa distribuir a Flor, ministrar o Johrei, fazer a limpeza, fazer a horta, na casa daquela família através de nós. Assim, o Messias vai se manifestar cada vez mais.

Tivemos também uma experiência muito emocionante de uma miúda de 4 anos na província de Malange. A avó dela é responsável de uma rede da salvação, essa miúda já tem o shoko e um dia a avó estava a preparar as flores para fazer a marcha. No que estava a preparar, a miúda pediu:

 – Vó, me dá umas flores também para que eu possa fazer distribuição.

Mas a avó não queria dar, falou que ela ia desperdiçar. Mas a miúda acabou por conseguir convencer a avó a lhe entregar a flor. Atravessou a rua e foi na casa de uma vizinha de 83 anos e falou assim:

 – Bom dia, vó Domingas, eu trouxe essa flor para a senhora colocar em casa.

Entregou a flor à senhora e foi embora, brincar com as amiguinhas. No dia seguinte, a avó da menina, responsável do núcleo, foi para a rua e viu a vizinha de 83 anos do outro lado da rua, em pé na porta de casa. Aí ela perguntou:

– Vó Domingas, o que houve? Tem mais de dez anos que não sai sozinha de casa, o que aconteceu?

A senhora respondeu:

 – Ontem, uma menina veio aqui e me deu uma flor. Eu não sabia o que era, mas, achei bonito e coloquei ao lado da minha cama. Eu dormi e quando acordei ouvi uma voz que me disse assim: “Levanta e sai de casa!” Aí levantei sozinha, consegui e estou aqui fora!

Aí, a membro respondeu:

– Puxa, há dez anos a senhora não saia sozinha sem ter ajuda! Venha aqui em casa para receber Johrei no núcleo da minha casa.

Quando atravessaram a rua, ela falou assim: “Essa miúda é que me deu a flor!” Era a neta da responsável do núcleo. Assim, a vizinha começou a ser acompanhada pela responsável e pela neta. Começou a receber Johrei no núcleo e a se recuperar mais. A família também ficou impressionada com a recuperação e hoje a senhora de 83 anos já consegue caminhar 11 quilómetros até o Johrei Center com elas e já está a ser preparada para receber o Ohikari para também poder ministrar Johrei!

Ou seja, basta ter vontade de fazer o nosso próximo feliz, que nos tornaremos pioneiros da salvação!

No Culto de Início da Primavera, eu me desloquei aos Solos Sagrados do Japão e nesse dia Kyoshu-Sama transmitiu uma orientação que eu gostaria de compartilhar com os senhores agora:

Parabéns a todos neste Culto do Início da Primavera.

É com profunda reverência a Deus que digo que a Vontade do Deus Criador é fazer com que todos os seres humanos se tornem Seus filhos. Nesse sentido, Meishu-Sama é o nosso modelo e um exemplo de alguém que se tornou um filho de Deus através do seu renascimento como um Messias.

Hoje, neste dia do início da primavera, eu gostaria de louvar a Deus, que é uno a Meishu-Sama, e expressar-Lhe a minha gratidão por estar, juntamente com cada um dos senhores, toda a humanidade e todos os ancestrais, sendo preparado por Ele para renascer como Seu filho.

Fiquei sabendo que os senhores, membros da Izunome Kyodan, definiram como objectivo para este ano:

“Ter o desejo de nascer de novo como filho de Deus e almejar se tornar um pioneiro da salvação”

Sei que, para alcançar esse objectivo, os senhores estão se esforçando em praticar Johrei, Agricultura Natural, horta caseira e artes, além da prática de compartilhar o amor altruísta de Meishu-Sama com o próximo. É com sincera humildade que tomei conhecimento do esforço contínuo que cada um dos senhores tem dedicado à Obra Divina de Meishu-Sama.

Hoje eu gostaria de lhes dizer que o verdadeiro “pioneiro da salvação” é, na realidade, Meishu-Sama.

Meishu-Sama veio à Terra e, assim como todos nós, tomou forma humana e viveu entre nós. Ele nos transmitiu a palavra de Deus e também nos mostrou o poder de Deus de várias maneiras.

E não foi só isso. Apesar de termos a tendência de nos esquecer desse ponto, Meishu-Sama foi a primeira pessoa entre nós, ou seja, o pioneiro, a realmente acreditar no paraíso interior, retornar a esse paraíso e demonstrar que o acto de retornar ao paraíso interior é a única forma de salvar as pessoas, trazendo-as ao paraíso. Meishu-Sama escreveu o seguinte num poema:

“Eu me tornarei, antes de qualquer outra pessoa, um habitante do paraíso com o desejo de trazer os outros ao paraíso”.

O que Meishu-Sama quer que compreendamos através desse poema é que a nossa verdadeira residência, o nosso verdadeiro endereço residencial, é esse paraíso existente no centro da consciência de cada um de nós e que a missão de todos os seres humanos é servir a Deus nesse paraíso.

Ciente dessa missão, Meishu-Sama retornou ao seu paraíso interior, sendo o nosso pioneiro. Porém, ele não retornou sozinho.

Ele retornou ao paraíso juntamente com toda a humanidade e todos os ancestrais e abriu o caminho para que também pudéssemos retornar ao paraíso e entrar no caminho da salvação ou, em outras palavras, no caminho do renascimento como um filho de Deus.

É por isso que precisamos reconhecer Meishu-Sama como o verdadeiro “pioneiro da salvação”.

Eu estou certo de que, agora, Meishu-Sama está nos incentivando a compreender qual é a verdadeira missão do ser humano e a seguir os seus passos para nos tornarmos verdadeiros “pioneiros da salvação”.

Portanto, vamos corresponder a esse desejo de Meishu-Sama com grande alegria. Vamos nos tornar hoje os primeiros, dentre toda a humanidade, a retornar ao nosso paraíso interior e a trazer connosco toda a humanidade e todos os nossos ancestrais como aqueles que já foram perdoados, purificados e salvos.

Acredito que é dessa forma que Deus deseja que os senhores sirvam como verdadeiros pioneiros da Sua obra de salvação.

E não podemos esquecer: apesar de não termos recordações disso, a partícula divina que cada um de nós possui estava originalmente no paraíso servindo a Deus juntamente com Meishu-Sama.

Por isso, o facto de se tornarem verdadeiros “pioneiros da salvação” na Terra significa também que os senhores estão relembrando como costumavam servir a Deus no paraíso e como foram constantemente usados na Sua obra de salvação muito antes de nascerem neste mundo.

Eu gostaria de sugerir uma prática que todos os senhores podem fazer como verdadeiros “pioneiros da salvação”.

Quando forem visitar ou encontrar alguém, sempre que pensarem ou estiverem ministrando Johrei, falem mentalmente para essa pessoa: “Juntos, vamos retornar ao nosso paraíso interior como pessoas ligadas a Meishu-Sama”.

Os senhores podem achar que nada mudará com essas palavras proferidas mentalmente. Sim, é verdade que talvez não consigam perceber qualquer diferença no mundo físico. Mas os senhores precisam saber: o poder dessas palavras gerará uma força de salvação muito além do que podem imaginar e, tenho certeza, a Partícula Divina brilhará mais intensamente do que nunca dentro dos senhores.

Gostaria de dizer também que o acto de retornar ao paraíso como um “pioneiro da salvação” não está desvinculado do outro objectivo que os senhores firmaram para este ano: ter o desejo de nascer de novo como um filho de Deus. Isso porque Deus está no paraíso e os senhores jamais poderão ser Seus filhos se não forem habitantes do paraíso, a casa de Deus.

É por essa razão que eu gostaria que os senhores soubessem que os seus dois objetivos – Servir a Meishu-Sama como um “pioneiro da salvação” e ter o desejo de “nascer de novo como um filho de Deus” – não são duas coisas distintas. Eles são uma só coisa.

Eu tenho que dizer que o nosso verdadeiro Pai da vida é Deus. E foi Meishu-Sama quem nos ensinou essa verdade, compartilhando sua própria experiência connosco.

Há 60 anos, em 19 de Abril de 1954, menos de um ano antes de seu falecimento, Meishu-Sama sofreu um colapso repentino com sintomas de derrame cerebral.

Enquanto lutava para se recuperar do derrame, no dia 5 de junho daquele mesmo ano Meishu-Sama convocou seus discípulos mais devotados ao Hekiun-so, sua residência em Atami na época, e disse-lhes o quão surpreso e feliz estava por ter renascido como um Messias, como um santo filho de Deus.

Dez dias depois, no dia 15 de junho de 1954, foi realizada em Atami a “Cerimônia Provisória de Comemoração do Nascimento do Messias”, na qual Meishu-Sama comunicou esse facto surpreendente aos fiéis.

Quando pensamos sobre esses eventos, há um ponto que jamais podemos ignorar: Meishu-Sama não disse que havia renascido como um Messias depois de recuperar suas forças e se convalescer do derrame. Ele declarou que havia renascido como um Messias em meio à dificuldade com a sua doença, sem ter apresentado qualquer sinal aparente de melhora.

Lembrem-se: na realidade, a doença de Meishu-Sama piorou após ele anunciar ter renascido como um filho de Deus e, eventualmente, sem superá-la, Meishu-Sama deixou a Terra no dia 10 de Fevereiro do ano seguinte.

Eu preciso ressaltar mais uma vez: Meishu-Sama encontrava-se em meio à doença quando percebeu ter se tornado um filho de Deus e sentiu uma enorme alegria nisso.

Por quê?

Acredito firmemente que, ao enfrentar uma doença da qual não se recuperava como desejava e se deparar com a morte física, Meishu-Sama, com a ajuda de Deus, percebeu que havia uma outra vida que todos nós, seres humanos, possuímos além da vida que herdamos dos nossos pais físicos.

Em outras palavras, acredito que Meishu-Sama sentiu, verdadeira e concretamente, a limitação da sua vida física e a eternidade da vida de Deus dentro de si. Talvez Meishu-Sama já soubesse desse facto em teoria. Porém, sinto que, através do derrame, Deus perguntou com severidade a Meishu-Sama em qual vida ele realmente acreditava: a vida recebida dos seus pais físicos ou a vida eterna a ele concedida por Deus?

Surpreso com esse questionamento feito por Deus, imagino que Meishu-Sama tenha respondido-lhe dizendo:

“Por favor, perdoe o meu pecado mais grave de não ter acreditado que a vida que tenho é, na realidade, Sua. Eu entrego a minha alma ao Senhor, Deus, meu verdadeiro Pai. Se for a Sua vontade, por favor, aceite a minha alma, a mais preciosa de todas as Suas criações”, e entregou a sua vida, a sua alma, a Deus.

Sendo Ele o verdadeiro Pai de Meishu-Sama, acredito que Deus tenha aceitado a sua alma com grande alegria e decidido conceder-lhe uma vez mais a Sua vida eterna, reconhecendo Meishu-Sama como o Seu verdadeiro filho.

Tenho a certeza que Meishu-Sama teve a permissão de sentir essa grande alegria de Deus dentro de si, e é por isso que ele nos disse ter renascido como um filho de Deus e compartilhou a sua alegria connosco através da cerimónia do dia 15 de junho de 1954.

Por muito tempo viemos caminhando na escuridão sem reconhecer o verdadeiro Pai da nossa vida. Devido à sua grande misericórdia, e tendo renascido como filho de Deus, Meishu-Sama nos fez reconhecer quem é o nosso verdadeiro Pai.

É claro que nós recebemos essa vida física dos nossos pais físicos. Mas não podemos esquecer jamais da outra vida, a verdadeira vida que nos foi concedida por Deus.

Quando penso no extraordinário facto de Deus, o nosso verdadeiro Pai, e Meishu-Sama, que renasceu como filho de Deus, estarem ambos brilhando intensamente em meu interior, devo dizer que fico sem palavras e sinto um profundo respeito e admiração pelo Criador por essa Sua maravilhosa bênção.

Fala-se frequentemente que precisamos honrar os nossos pais. Agora, através de Meishu-Sama, viemos conhecer e encontrar o nosso verdadeiro Pai. E é esse nosso verdadeiro Pai, Deus, quem deseja que todos nós nos tornemos realmente Seus filhos.

Acreditando que viemos à Terra para nos tornarmos filhos de Deus vamos, em nome de Meishu-Sama, falar ao nosso Pai: “Eu ignorei isso até hoje, mas agora sei que o meu verdadeiro Pai é o Senhor, meu Deus”.

É assim que poderemos verdadeiramente honrar o nosso Pai. Este será um enorme, mas invisível passo para o renascimento como filho de Deus.

Para encerrar, neste dia do início da primavera, eu gostaria de expressar a minha mais sincera gratidão a Deus por eu ter podido me ligar a Meishu-Sama e por ter, finalmente, despertado do longo sono no qual acreditava no conceito de morte. Agora, como pessoas que foram abençoadas por conhecer o Pai da nossa vida eterna, vamos receber o novo, revigorante sopro de Deus e orar para que esse sopro da vida seja compartilhado através de nós com toda a humanidade, todos os ancestrais e toda a natureza. Muito obrigado.

Essas foram as palavras que Kyoshu-Sama transmitiu no dia 4 de Fevereiro. Realmente são muito emocionantes! Dentro do Solo Sagrado, quando escutei-as, comecei a imaginar a postura do Messias Meishu-Sama, mesmo no meio daquela sua grande purificação, sempre mantendo o sentimento de gratidão, o sentimento de servir e ser útil a Deus.

Parei para pensar até que ponto eu consigo, no meio das purificações a que sou submetido, aprofundar o meu Sonen de gratidão, até que ponto é que acredito de verdade que o Supremo Deus está por trás de cada purificação com o objectivo de me fortalecer e me purificar para que eu também possa nascer de novo como verdadeiro filho de Deus.

É importante nós reflectirmos sobre essas palavras e buscarmos, principalmente nos momentos difíceis, esse nosso encontro com Deus. No ano passado, Kyoshu-Sama, na mensagem que transmitiu no funeral do nosso Presidente Watanabe, tem um trecho que tem servido como alimento para mim no dia a dia, em que ele diz:

“Lembrem-se: é nesses momentos difíceis que os senhores precisam reconfirmar, com coragem e esperança inabalável, a existência, dentro de si próprios, da vida eterna de Deus e da Luz de Meishu-Sama. Se assim o fizerem, acredito que Deus, através de Meishu-Sama, lhes concederá uma formação completamente nova que fará com que cada um fique um passo mais próximo de nascer de novo como verdadeiro filho de Deus.”

Ou seja, no momento das dificuldades é que nós precisamos buscar cada vez mais o Supremo Deus. Lembro sempre de uma frase, orientação que o Revmo. Katsuiti Watanabe, pai do nosso Presidente Tetsuo Watanabe, disse-lhe antes dele ir para o Brasil fazer difusão pioneira:

– Filho, toda vez que você sentir que Deus está a lhe chutar, agarre na perna dele!

Ou seja, nos momentos difíceis em que sente que Deus está a lhe mandar embora, segura na perna dele e fala: “Daqui não saio, sou seu filho, não vou sair não!”

O segurar na perna de Deus é através da gratidão! Por isso é que tenho falado para os senhores sobre o aprofundar no registar as graças que recebemos. Vamos fazer o nosso diário de gratidão na família. Dentro de casa, quantos de nós, esposo, esposa, filho, neto, quantos milagres já recebemos com o Johrei, com a oração, com a flor e com a limpeza? Mas, nos esquecemos. Quando temos uma dificuldade apenas nos prendemos na dificuldade e começamos a lamuriar, lamuriar, lamuriar… Aí quando nos damos conta, já nos afastamos de Deus e O escondemos de novo dentro de nós!
Kyoshu-Sama falou a respeito da sua emoção de saber que o Supremo Deus e o Messias Meishu-Sama, que nasceu de novo como filho do Supremo Deus, estão a brilhar intensamente dentro dele. Mas, não estão a brilhar só dentro de Kyoshu-Sama.

O Supremo Deus e o Messias Meishu-Sama estão vivos e a brilhar intensamente dentro de cada um de nós, dentro de cada ser humano. Não importa a religião ou crença, o Supremo Deus e o Messias Meishu-Sama estão vivos e estão a brilhar intensamente dentro de cada pessoa, dentro de cada ancestral e antepassado.

Nós precisamos ser os pioneiros de não esquecer disso, lembrarmos desse ponto! Eu acho que é muito importante essa reflexão como nossa preparação nessa fase de construção da segunda etapa da nossa Escola Agrícola, nessa fase de preparação para iniciarmos a construção do nosso primeiro Solo Sagrado de África.

Falando em construção da Escola Agrícola, eu li que dias atrás, nos Estados Unidos, foram recolhidos quase cinco milhões de kilos de carne bovina que já estavam a ser vendidos e tiveram de ser recolhidos das lojas porque estavam contaminados!

Passados alguns dias, tomei conhecimento do motivo: as vacas de alguns dos produtores que forneciam para essa marca estavam com cancro nos olhos. Eles cortavam a cabeça das vacas para a vigilância sanitária não ver e mantinham o resto do corpo. Ou seja, o animal estava doente e a carne foi vendida e comercializada na sociedade. Também nos Estados Unidos, teve de ser recolhida uma grande quantidade de uma marca famosa de arroz que também estava contaminada.

Alguns dias atrás recebi uma notícia do Brasil, que hoje é o maior consumidor de agrotóxicos do planeta, dizendo que cada brasileiro consome uma média de 136 litros de agrotóxicos por ano nas coisas que come, por isso é têm aumentado cada vez mais os problemas de infertilidade, cancro e outras doenças. Praticamente, em todas as mulheres que foram examinadas e que estavam a amamentar encontraram agrotóxicos no leite que sai do peito dessas senhoras! Tudo isso para mostrar qual é o quadro de contaminação ao nível mundial.

Quando falamos de segurança alimentar existe a preocupação de não faltar comida. Na maioria do planeta, a comida existe, mas já está contaminada. Por isso é que é tão importante o nosso esforço na prática da horta caseira e na expansão da Agricultura Natural.

Também por isso é que é tão importante o nosso donativo de construção nessa segunda etapa da nossa Escola Agrícola, que vai formar os líderes que levarão o nosso método agrícola para toda a humanidade. É importante nós ligarmos as nossas linhagens com a construção dessa segunda etapa da Escola Agrícola e elas participarem nessa formação dos elementos que vão expandir a agricultura que o Messias nos deixou.

Para finalizar, hoje falamos sobre a importância do nosso Sonen. Kyoshu-Sama, nessa orientação que eu li para os senhores, falou o seguinte:
Eu gostaria de sugerir uma prática que todos os senhores podem fazer como verdadeiros ‘pioneiros da salvação.”

Essa prática que Kyoshu-Sama nos orientou eu gostaria que cada um dos senhores experimentasse fazer quando forem ministrar Johrei em alguém, quando pensarem em alguém que os senhores sabem estar com dificuldades. Muitas vezes, nós estamos a viver um conflito com alguém e o nosso pensamento normalmente em relação à pessoa é negativo. Assim, estamos a emitir um Sonen negativo, ajudando a sujar o planeta.

Portanto, em vez de emitir esse Sonen negativo, vamos emitir o Sonen positivo dentro da orientação que Kyoshu-Sama nos deu! Eu acredito que essa prática que Kyoshu-Sama nos orientou vai transformar ainda mais positivamente a atmosfera espiritual do nosso planeta!

Kyoshu-Sama disse:

“Quando forem visitar ou encontrar alguém, sempre que pensarem ou estiverem ministrando Johrei, falem mentalmente para essa pessoa: ‘Juntos, vamos retornar ao nosso paraíso interior como pessoas ligadas a Meishu-Sama’.”

Vamos retornar ao nosso Paraíso?

Então, muito obrigado, bom domingo e boa marcha de Johrei para todos!