O presidente da IMMA, Ministro Claudio Cristiano Leal Pinheiro, presidiu em 28 de Março de 2014 a cerimónia de lançamento da primeira pedra no local onde será edificada a Escola Agrícola de N’golo, em Angola, para o ensino de Agricultura Natural, a segunda do género a ser construída em África. A primeira foi inaugurada em Novembro de 2012, pelo Reverendíssimo Tetswo Watanabe, no futuro Solo Sagrado da África em Cacuaco, proximidades de Luanda.

Ao dirigir-se aos presentes, o presidente da IMMA enalteceu a importância do consumo de alimentos saudáveis, produzidos pelo método de Agricultura Natural, sem uso de adubos químicos nem agrotóxicos. O presidente apelou a todos os fiéis da Igreja Messiânica Mundial de Angola na prática de Agricultura Natural, mesmo no ínfimo espaço, tal como nos lares onde podem ter uma horta em canteiros, vasos ou mesmo em pequenos recipientes.

Sendo a Missão de qualquer ser humano o bem do seu próximo, todo messiânico deve dar o seu máximo na mobilização de seus familiares, amigos ou colegas na prática da horta caseira e da Agricultura Natural, dado que uma grande parte das doenças infecciosas e cancerígenas é derivada do consumo de alimentos industrializados ou produzidos com o uso de agrotóxicos.

O Johrei News apurou que a Escola Agrícola de N’golo, uma acção conjunta entra a Igreja Messiânica Mundial de Angola e o Governo Provincial do Uíge, será construída no Pólo de Agricultura Natural com o mesmo nome, localizado no município do Songo, província do Uíge Norte de Angola (7ᵒ 6’ 52’’ Sul; 14ᵒ 47’ 6’’ Este). Essa escola terá 6 salas de aula, área administrativa e, atendendo à sua distância em relação às sedes provincial e municipal, estão previstos um alojamento feminino e outro masculino, assim como um refeitório. O custo total da propina mensal está por definir.

Participaram do acto de lançamento da primeira pedra na construção da Escola Agrícola de N’golo a Presidente da Africarte, Dr.ª Ernestina Olinda dos Prazeres Coimbra, membros da directoria da Igreja Messiânica Mundial de Angola e representantes do Governo Provincial do Uíge.

No final, o empreiteiro da obra fez uma apresentação sucinta do projecto.