Sede Central de África, Angola

Bom dia a todos!

Os senhores estão a passar bem? Graças a Deus e ao Messias Meishu-Sama!

Parabéns às mulheres pelo mês de Março!

Gostaria de agradecer do fundo do coração pela dedicação, pelo esforço incansável de cada um dos senhores em prol da expansão da Obra Divina em Angola e por todo o continente africano.

Hoje é um dia muito especial. Estamos a ter a permissão de começar o mês de Março, o mês dedicado às mulheres, que têm muita paciência para nos aguentar, os homens, não é? Estamos a ter a permissão de começar o mês agradecendo a Deus!

Também temos aqui convidados ilustres. São os polícias, os bombeiros, os militares, pessoas que por todo o nosso planeta, em todos os países, arriscam suas vidas, muitas vezes perdem suas vidas, deixam suas famílias, para proteger as nossas vidas. E muitas vezes falta gratidão da nossa parte como cidadãos, por esse sacrifício que fazem. É uma carreira de risco, com muitos perigos. Mas, movidos por um ideal, pela vontade de servir a sociedade, eles se empenham nesse serviço tão importante, para que nós possamos viver minimamente em paz. Então, eu gostaria de pedir mais uma salva de palmas para eles, representando todos esses profissionais.

Muito obrigado pela vossa presença e pelo vosso apoio. Muito obrigado!

Não estive com os senhores no mês passado porque precisei participar do Culto Mensal da nossa Igreja na África do Sul, e depois também visitei Moçambique. Trago lembranças dos nossos fiéis desses países! Estão todos a orar e a dedicar em sintonia com todos os senhores, querendo participar da construção do nosso Templo Messiânico, do nosso Santuário dos Antepassados e da Segunda Etapa da Escola Agrícola, a partir dos seus países, praticando as três Colunas da Salvação, e expandindo o Johrei nesses países também.

Pedir a ajuda de Meishu-Sama

Lá em Moçambique ouvi uma experiência que achei bem interessante sobre o Ministro Aly. Ele mudou de residência e, ao mudar, precisou fazer reforma na sua casa. Contratou um empreiteiro com sua equipa, e quando o Ministro tentou falar do Johrei para ele, não aceitou. “Não quero saber desse negócio de Meishu-Sama, dessa Igreja!” Não aceitava sequer olhar para a foto, receber flor, nem nada.

Certo dia, o Ministro estava na porta de casa com o empreiteiro, que estava a falar ao telemóvel. De repente, apareceu um gatuno, roubou o telemóvel e saiu a correr. Aí o empreiteiro ficou desesperado, olhou para o Ministro: “O meu telemóvel… Como vou fazer?” O Ministro virou para ele e disse: “Pede ajuda ao Messias Meishu-Sama!”
Aí o empreiteiro olhou: “Eu?” E o Ministro lhe disse: “Pede a Meishu-Sama para te ajudar… Ele está a ir com o seu telemóvel! Pede ajuda.”

O empreiteiro olhou para o gatuno e falou bem baixinho: “Meishu-Sama!” Bem baixinho mesmo! Aí o Ministro falou para ele: “Fala mais alto!” Ele falou ainda baixo: “Meishu-Sama!” O Ministro orientou novamente: “Fala mais alto!” E ele falou alto: “Meishu-Sama, Meishu-Sama!”

O gatuno já estava bem longe e voltou a correr, entregou o telemóvel e foi-se embora!

Perguntei para o Ministro Aly: “E depois disso, o que aconteceu?” O Ministro respondeu: “Depois disso, o empreiteiro obrigou toda a equipa dele a receber Johrei todos os dias, junto com ele.” Ai eu falei para ele: “Puxa vida! Como está forte isso! Chamar o nome de Meishu-Sama nesses momentos difíceis.”

O que fazer para ajudar alguém que sofreu um acidente

Hoje também fiquei feliz com o esclarecimento que o nosso comandante deu. Coincidentemente, alguns dias atrás estava a conversar com o Ministro Cruz e falamos sobre isso: encontrar alguém que sofreu um acidente na rua, e o perigo de socorrer e ser taxado como alguém que provocou o acidente.

Aí eu falei com o Ministro Cruz: “Aos olhos dos Homens, se a pessoa está a morrer e eu não ajudo, espiritualmente falando é uma dívida para mim.” Ele perguntou: “Como a gente vai fazer?”

O jeito é ajudar e entregar nas mãos de Deus, se vai ser mal interpretado ou não…

Mas hoje o comandante esclareceu o caminho correcto para a gente dar essa ajuda. Comunicar primeiro para a autoridade, via telefone, e prestar essa ajuda.

Realmente, conforme o que ele disse, cada vez mais precisamos unir-nos em prol da construção de um mundo melhor! Esse trabalho da grande união, independente da crença, da raça, da religião, da filosofia de cada um. Mas o importante é todos sentirem que cada pessoa tem a Partícula Divina, tem Deus vivo dentro de si. Essa boa vontade de trabalhar juntos, de se unir para construir um mundo melhor, é que vai permitir que o Supremo Deus nos utilize na Construção do Paraíso Terrestre.

A importância das Campanhas de Limpeza

Gostaria de parabenizar os senhores pelas actividades que continuam a ser feitas por toda a África: as campanhas de limpeza, as campanhas de distribuição de flores, de implementação das Hortas Caseiras. Vamos continuar com esse esforço a partir dos nossos lares, das nossas vizinhanças, dos nossos locais de trabalho.

Graças a Deus e ao Messias Meishu-Sama, cada dia mais os messiânicos estão a ter mais apoio da sociedade em geral para desenvolver essas campanhas de limpeza a nível de toda a África. Essas campanhas, além de limpar a sujeira material, também limpam a sujeira espiritual. Principalmente sujeira nos nossos sentimentos, nos nossos corações, que criam brecha para nós praticarmos acções ligadas ao mal. Por isso que na medida que se vai ampliando essas campanhas de limpeza, a sociedade vai participando connosco, nós vamos clareando o Mundo Espiritual, para que as nossas Partículas Divinas possam se expandir e serem utilizadas por Deus na construção do Paraíso. É uma grande dedicação que gostaria que não parasse.

Foi interessante que, dias atrás, também em Moçambique, os fiéis estavam a fazer limpeza com mais de trezentos messiânicos. Durante a limpeza e distribuição de flores, passou um casal. Receberam flor e receberam Johrei. Enquanto recebiam Johrei, a esposa começou a chorar.

Disse: “Nós vamos nos divorciar. O meu marido está a levar-me para a casa da minha família hoje, para me devolver a eles!” Aí os messiânicos disseram: “Entrem aqui no Núcleo de Johrei!”

Eles entraram, tiveram mais explicações, se perdoaram e resolveram reactar o casamento deles, e se tornaram também frequentadores da nossa Igreja.

Foi uma pequena resposta que tivemos dessa dedicação de limpeza para um mundo melhor, da flor por um mundo melhor. Vamos dar continuidade a isso por toda a África.

Arcas de Noé do Século XXI

Hoje, ouvimos o Ensinamento do mês. Meishu-Sama fala sobre o Juízo Final e tem a parte que fala sobre a Arca de Noé.

O nosso querido presidente, Reverendíssimo Tetsuo Watanabe, falava muito nos últimos anos sobre a necessidade de nós construirmos as Arcas de Noé do Século XXI. Entre as Arcas de Noé do Século XXI, primeiro vai ser o nosso Solo Sagrado a nível de África. Estamos a nos empenhar. Existem também as outras arcas maiores, que são os Polos de Agricultura Natural. Estamos a nos empenhar para que cada Polo Agrícola da nossa Igreja se torne um modelo para os produtores e a sociedade em geral.

Existem também as arcas que são as Unidades Religiosas. Mas, a base dessas Arcas de Noé do Século XXI são os nossos lares! Qual é o esforço que estou a fazer, para que a minha casa se torne uma mini-arca de Noé do século XXI? Um local que, no meio desse turbilhão todo que a sociedade está a viver, possa ser um porto seguro, onde tem saúde, prosperidade, paz, onde há essa vontade de servir a sociedade, servir a Humanidade!

Meishu-Sama não quer o impossível de nenhum de nós!

Essas Arcas de Noé do Século XXI a partir dos nossos lares, precisam ter como base o Johrei! O Johrei, que é a vida da nossa Igreja, não pode ser praticado só quando há problemas ou purificação. O Johrei precisa fazer parte do dia-a-dia das nossas famílias.

Essa Luz do Johrei é que vai, naturalmente, despertar a Partícula Divina e deixá-la actuar livremente. Deixar Deus actuar livremente através de cada um de nós. Mas, o ambiente para essa prática do Johrei precisa ser preparado com a limpeza profunda e com a Horta Caseira e a alimentação natural.

A cada dia temos ouvido sobre o aumento das doenças a nível mundial. Mesmo em Angola, 20 anos atrás, não havia tantos casos de cancro e outras doenças modernas como vemos hoje. A base dessas doenças se encontra na nossa alimentação. Tudo que nós comemos e bebemos se torna semente da nossa saúde ou da nossa doença.

Por isso, a criação dessas Arcas de Noé do Século XXI tem como base a expansão da Agricultura e da Alimentação Natural. Eu gostaria que cada um dos senhores tivesse uma preocupação maior em relação a isso. De onde vem a comida que a minha família está a consumir no dia-a-dia?

Somos poucos ainda que produzem à base da Agricultura Natural. Então, nós precisamos aumentar esse número de produtores a partir das nossas hortas em casa, a partir do encaminhamento das pessoas que nós conhecemos que têm lavra, que têm um quintal maior, que podem começar a produzir alimento natural.

Não vamos esperar aparecer uma doença grave na nossa casa e depois dizer: “Ah! Eu preciso comer produto natural!” Aí a alimentação natural vira terapia. Nós precisamos não criar a causa da doença, mudando o nosso hábito alimentar, aumentando o consumo de produtos naturais.

É por isso que hoje, a cada dia, graças a Deus e ao Messias Meishu-Sama, tem aumentado o número de alunos e de pessoas que procuram a nossa escola agrícola em Cacuaco. Os produtores que estão a começar a ter contacto com esse nosso método, estão a ter boas respostas, bons resultados.

Mas eu sinto que precisa haver um esforço maior a partir de cada um de nós messiânicos, no sentido de consciencializar a nossa sociedade sobre a importância de praticar a Agricultura Natural, e de consumir produtos dessa agricultura no nosso dia-a-dia.

Mesmo esse aumento da violência na sociedade está ligado directamente à nossa alimentação! Quanto mais química ingerirmos, mais sujo fica o nosso sangue, mais aumenta a tendência para a agressividade!

Para os lares poderem ter mais harmonia, precisa-se aumentar o consumo de frutas, legumes e verduras cultivados principalmente pela Agricultura Natural.

Essa é uma das maiores actividades que podemos desenvolver no sentido da mudança da nossa sociedade, a partir da prática e expansão da Agricultura e da Alimentação Natural.

Filosofia da Salvação

Cada dia, os problemas que surgem na sociedade mostram como nós estamos a viver afastados das Leis da Natureza. Há quase 20 anos, o Presidente Watanabe nos ofereceu a Filosofia da Salvação, que fala sobre o desvio das leis da natureza.

Gostaria de fazer uma leitura dessa filosofia. Mas fazer a leitura na primeira pessoa do singular. Eu gostaria de compartilhar com os senhores.

LEI DA NATUREZA E A MISSÃO DA FILOSOFIA DE MOKITI OKADA

“Ao longo de três mil anos eu, Claudio Cristiano Leal Pinheiro, vim me afastando cada vez mais da Lei da Natureza, que é a Lei do Universo, a Vontade de Deus, a verdade.

Movido pelo materialismo, que me faz acreditar apenas naquilo que vejo, e pelo egoísmo, que me leva a agir de acordo com a minha própria conveniência, me tornei prisioneiro de uma ambição desmedida e inconsequente, e vim destruindo o equilíbrio do planeta, criando para mim e meu semelhante desarmonia e infelicidade.

As graves consequências do meu desrespeito às Leis Naturais podem ser verificadas na educação, na arte, na agricultura, na medicina, na saúde, no meio ambiente, na política, na economia e em todos os demais campos da actividade humana.

Essa situação já chegou ao seu limite. Se eu continuar a agir assim, é certo que acabarei por destruir o planeta e a mim mesmo.

A Filosofia de Mokiti Okada tem o objectivo de me despertar, alertando-me para essa triste realidade. Ela cultiva o espiritualismo e o altruísmo, me fazendo crer no invisível, e me ensina que existem espírito e sentimento não só no Ser Humano, mas também nos animais, nos vegetais e nos demais seres.

A difusão do Johrei, o desenvolvimento da Agricultura Natural e a divulgação do Belo, são práticas básicas da Filosofia de Mokiti Okada capazes de me transformar de materialista em espiritualista e de egoísta em altruísta, restituindo ao planeta o seu equilíbrio original.

O seu objectivo final é me reconduzir a uma vida que concorde com a Lei da Natureza, e construir uma nova civilização alicerçada na verdadeira saúde, na prosperidade e na paz.”

Então, é essa reflexão, baseada na Filosofia da Salvação, que gostaria que todos nós fizéssemos daqui para a frente. O caminho para a mudança da nossa sociedade começa por mim, começa por essa transição dentro de cada um de nós, de egoísta para altruísta, de materialista para espiritualista.

Meishu-Sama nos ensina que todo o problema complicado sempre envolve o egoísmo e o apego! E uma das formas de tirar o egoísmo de dentro de nós é se preocupar em fazer o nosso próximo feliz. Plantar essa semente da felicidade através das acções do nosso dia-a-dia; isso é que muda o meu destino, da minha família e da sociedade.

Experiência de Fé da província do Bié

Semana atrás, recebi um relatório de uma menina de 10 anos de idade, na província do Bié, que quando conheceu a nossa Igreja, o pai tinha abandonado a mãe. Elas passavam muita fome em casa. A menina tinha muitos conflitos na escola, era maltratada e tinha problemas de saúde, com muitas inflamações no corpo.

Começaram a frequentar a nossa Igreja e a receber Johrei. Como frequentadoras, a sua mãe falou para ela: “Filha, vamos nos preocupar em fazer o que estão a nos orientar. Fazer as pessoas felizes!”

Como no quintal elas fizeram uma horta, passaram a cultivar muitas flores, e todos os dias essa menina fazia 50 flores-de-luz e levava para a escola, distribuía pelo caminho, na rua, aos vizinhos. Em um mês ele distribuiu mais de 1.500 flores-de-luz que ela colheu e fez!

Aí, os colegas que lhe desprezavam passaram a conversar com ela, e os professores também. Os pais dos seus colegas foram procurar-lhe e disseram: “Puxa, depois que o meu filho começou a levar essa flor que você dá, a nossa casa ficou mais harmoniosa! Que coisa boa você está a fazer!”

A saúde dela também começou a melhorar. A mãe começou com um negócio, passou a ter lucros e elas pararam de passar fome. Um tempo depois, o pai procurou a mãe, pediu perdão e se reconciliaram. Agora, ela e a mãe já receberam Ohikari e já estão também a ministrar Johrei como fiéis da nossa Igreja!

Uma menina de 10 anos de idade mudou o destino da sua família, através dessa prática do amor altruísta, de se preocupar todos os dias em fazer alguém feliz.

Vamos seguir o exemplo dela? Acredito que todos nós unidos, seguindo esse exemplo, rapidamente vamos materializar a construção do nosso Solo Sagrado de África.

Muito obrigado! Bom domingo e felicidades para todos os senhores!

Muito obrigado a todos!

Presidente da Igreja Messiânica Mundial de África, Ministro Claudio Cristiano Leal Pinheiro

This post is also available in: Inglês, Francês