Chamo-me Celeste Catarina Nhantumbo, tenho 56 anos de idade, sou missionária e dedico no Johrei Center do Chamanculo. Conheci a Igreja Messiânica Mundial de Moçambique em 2011, por intermédio de uma membro da Igreja.

O motivo que me levou a conhecer a Igreja foi doença, que foi ultrapassado com o cumprimento das orientações.

A Experiência de Fé que passo a relatar está relacionada com a importância do Dízimo.

Desde que conheci a Igreja, um dos meus filhos não aceitava que eu fizesse o dízimo completo, por isso, várias vezes reclamou dizendo que eu estava a entregar muito dinheiro à igreja. Para chamá-lo à razão, recordava-lhe do tempo em que eu andava doente e de como a minha vida mudou após conhecer a Igreja. Às vezes, ele não apenas reclamava do dízimo, como também dizia para diminuir o tempo de dedicação. Eu agradecia e continuava a dedicar, porque para mim, era importante manifestar a gratidão pela vida salva, ajudando as outras pessoas com a minha dedicação.

Mesmo reclamando em relação ao dízimo, o meu filho aceitou conhecer a igreja, junto com os seus três irmãos, cada um enfrentando grandes dificuldades. O mais velho, que estava desempregado há um ano, após a limpeza profunda em casa e assentamento da flor de luz, ganhou a permissão uma semana depois de arranjar emprego, graças ao Supremo Deus e ao Messias Meishu-Sama. Por gratidão, decidiu conhecer a Igreja. Outro dos meus filhos andava doente, também não conseguia entrar para a Universidade e estava igualmente desempregado. Após conhecer a igreja, conseguiu entrar para a Universidade, saiu do desemprego, ganhou mais saúde e teve a permissão de se outorgar e tornar-se membro, graças ao Supremo Deus e ao Messias Meishu-Sama. O último, que reclamava sobre do dízimo, algum tempo depois se afastou da igreja ainda frequentador.

Em 2013, alguns chefes no meu serviço tomaram a iniciativa de falar com a Diretora, à minha revelia, para dizer que eu merecia um aumento salarial. Graças ao Supremo Deus e ao Messias Meishu-Sama, tive um aumento salarial, de facto, e agradeci com um donativo especial.

Algum tempo depois, eu disse aos meus filhos que tinha um sonho de comprar um carro, mesmo sem pedir empréstimo ao banco. Meu filho mais velho respondeu que não era possível desse modo, por isso seria melhor pedir empréstimo ao banco. Eu expliquei-lhe que se pedisse, o automóvel ficaria mais caro e levaria muito tempo a pagar o empréstimo, acrescido de juros. Para mim, só restava um caminho, colocar o meu sonho nas mãos de Deus e do Messias Meishu-Sama. Por isso, no formulário que preenchemos no Natalício de Meishu-Sama, coloquei como meu objetivo ter um carro para poder dedicar melhor.

O ano de 2013 passou e não consegui o valor para comprar o carro, mas não desanimei, continuei a depositar o valor para a compra do carro no banco e fazia xitique para aumentar o dinheiro. Enquanto isso, o meu filho continuava a reclamar do valor do dízimo, mas eu não deixava de fazer, até que chegou a dizer que com o valor que eu fazia de dízimo, já teria comprado um carro.

Neste ano, graças a Deus e ao Messias Meishu-Sama, consegui completar o valor que desejava para comprar o carro dos meus sonhos, sem precisar deixar de fazer o dízimo. Os meus filhos ficaram admirados e todos me ajudaram no processo final da compra do carro.

Com esta experiência, aprendi que é importante seguir as orientações e dedicar. Aprendi também que ao fazer o dízimo, superamos as nossas preocupações e de todo o nosso tronco familiar, e elevamos os antepassados. Aprendi ainda que é preciso entregar tudo nas mãos de Deus e ter paciência, pois não é de hoje para amanhã que as coisas acontecem.

O meu filho que reclamava do dízimo, voltou a interessar-se em frequentar a igreja, e a responsável da Unidade, em conversa com ele, perguntou-lhe qual teria sido o motivo que fez com que ele voltasse a frequentar a igreja. Ele respondeu: “Por causa dos donativos que a minha mãe faz”.

O meu compromisso é de continuar a dedicar e ajudar os nossos irmãos, que ainda não conhecem a palavra do Supremo Deus e do Messias Meishu-Sama.

Ja encaminhei 15 pessoas, formei quatro membros, cuido de duas pessoas e tenho a horta caseira feita.

Para agradecer pela permissão de mais uma mudança na minha vida, fiz um donativo especial, com o coração limpo e muita satisfação.

Agradeço a Deus, ao Messias Meishu-Sama e aos meus antepassados por terem me conduzido ao caminho da salvação.

Aos Ministros, responsáveis, membros e frequentadores, o meu muito obrigado!