Bom dia a todos! Os senhores estão a passar bem?

Uma salva de palmas para as nossas mães!

Parabéns a todas as mães de África, do mundo. Que as nossas mães continuem a ter cada vez mais amor e paciência para nos aguentar como filhos. Não é isso? E nós possamos ser filhos cada vez melhores para elas. Que façamos jus ao trabalho que demos para elas desde o tempo que estávamos nas suas barrigas, o trabalho que demos para nascer. Vamos procurar fazer jus a esse esforço das nossas mães!

Este é o Mês das Mães, mas também é o mês da nossa Mãe África, no próximo dia 25 de Maio. Então, para agradecermos esse Dia de África, como preparação do Culto do Paraíso Terrestre, no próximo dia 25 de Maio, vamos, a partir de todas as Unidades Religiosas da nossa Igreja no continente africano, desenvolver simultaneamente actividades de limpeza a volta da Unidade, distribuição de flores, abertura de hortas e ministração de Johrei.

Inauguração do Memorial Mokiti Okada e a expansão da Obra Divina

Graças a Deus e ao Messias Meishu-Sama, estamos em plena preparação para o Culto do Paraíso Terrestre. Antes de falar um pouco mais do Culto do Paraíso, no mês que vem, gostaria de comunicar os senhores que no último dia 8 de Abril foi inaugurado o Memorial Mokiti Okada, no Solo Sagrado de Kyoto, no Japão.

Esse memorial é uma obra muito bonita. Eu cheguei a visitar durante a construção no ano passado. Nesse local estão peças originais, escritas e desenhadas pelo Messias Meishu-Sama, e também obras de arte que o Messias Meishu-Sama colecionou.

A nossa próxima caravana de África para o Japão vai partir no mês que vem, para participar do Culto do Paraíso, representando toda a África, e vão ser os primeiros caravanistas que vão visitar esse Memorial Mokiti Okada. Parabéns a nós messiânicos do mundo inteiro por essa inauguração no Japão!

Muito importante essa obra que foi inaugurada no Solo Sagrado de Kyoto. O Messias Meishu-Sama disse: “À medida que avançar a construção do Solo Sagrado de Kyoto, que é o solo Sagrado da Terra, a Obra Divina no mundo inteiro vai se expandir a olhos vistos!”.

Ou seja, o que o Messias Meishu-Sama começou no Japão com os protótipos, com os Solos Sagrados, o Solo Sagrado de Hakone, representando Fogo, de Atami, representando a Água e de Kyoto, representando a Terra… A construção desses protótipos já está a se expandir pelo mundo, através das construções, da expansão das Três Colunas da Salvação por todos os continentes do nosso planeta.

Expansão da igreja em África

Graças a Deus e ao Messias Meishu-Sama, aqui em África nós estamos a ter a permissão, em particular em Angola, de já termos iniciado as obras dos alicerces do nosso futuro Templo Messiânico, no Solo Sagrado de Cacuaco. Já está em andamento essa construção.

Em Moçambique estamos na construção da segunda fase da nossa Sede Central daquele país. Estamos também na África do Sul com a construção da nossa primeira escola agrícola naquele país. E brevemente vamos começar também a construção da Sede Central de São Tomé e Príncipe.

Graças a Deus e ao Messias Meishu-Sama, junto com essas obras maiores dos centros dos países, estamos também a avançar com as obras dos Johrei Centers por toda a África.

Nesse mês de Abril, em particular, me desloquei à província do Uíge, onde tivemos a permissão de inaugurar o primeiro Johrei Center no município do Negage. É uma Nave muito bonita construída pelos nossos fiéis!

Apesar de termos duzentos e poucos membros formados nesse município, quase três mil pessoas participaram do Culto de Inauguração. Fora as autoridades tradicionais, governamentais, de outras religiões também participaram na cerimónia, em um ambiente de muita alegria, muita felicidade.

Difusão pela Agricultura Natural

Quando estive no Uíge, tivemos uma experiência, quando estava a sair do Pólo Agrícola do Ngolo a conversar com o Ministro Afonso e o Ministro Geremias sobre as actividades de difusão. Difusão é procurarmos as almas que o Messias Meishu-Sama preparou junto connosco no Mundo Divino, que já estão espalhadas em cada local. Em cada país, em cada província, em cada município, em cada aldeia, já existem as almas que foram preparadas para participarem da Construção do Paraíso e da Salvação da Humanidade connosco, e nós precisamos querer encontrar essas pessoas!

Conversamos bastante sobre isso e chegamos ao restaurante. Enquanto almoçávamos, na mesa ao lado havia quatro brasileiros e começamos a conversar de uma mesa para a outra, a rirmos, e quando terminamos o almoço fui me despedir deles. Cumprimentei, apresentei-me e eles disseram que estavam a trabalhar em tal local.

Eu falei: “Puxa, vocês trabalham próximo da nossa fazenda! A nossa Igreja tem um Polo Agrícola nesse local, onde produzimos com o nosso método, sem agrotóxicos sem nada. Tudo natural.” Aí um deles falou: “Ô meu irmão! Você produz legumes, verduras, tudo?” Falei: “Sim!” Ele: “Puxa, estou a precisar. Tenho quase 200 pessoas para alimentar todos os dias na empresa. Eu preciso de alimentos sadios.” Falei: “Você pode ir lá adquirir no nosso Pólo. Mas, na sua empresa você tem um terreno, tem terra, tem água?” Ele: “Tenho!”

Então, eu lhe disse: “Nós também podemos ensinar vocês a praticarem o nosso método agrícola no vosso próprio terreno, para vocês terem os alimentos e já serem produtores. Esse que é o nosso objectivo maior!” Ele: “Puxa, vida!” Um outro falou: “Eu tenho tentado fazer isso!”

Quase choraram de felicidade na mesa.

Chamei o Ministro Geremias, apresentei-lhe aos senhores, e trocaram os terminais telefónicos. Quando saímos do restaurante, virei para o Ministro Afonso e disse: “Afonso, avisa na Tininha que eu já fiz a minha horta de preparação para o dia 15 de Junho! Avisa para ela colocar no relatório dela que a minha já fiz.” Ele: “Vou avisar!”

Três dias depois, conseguimos fazer a horta na empresa deles. Ficaram muito felizes e um dos funcionários já pediu para também ser feita uma horta em sua casa, para os seus vizinhos poderem praticar também o nosso método.

Depois, voltei para Luanda e me desloquei à África do Sul e Moçambique. Na África do Sul visitei o Polo Agrícola. Também plantamos árvores, vi a obra que está a ser feita, da escola agrícola, e fui para Moçambique. Lá em Moçambique tivemos a permissão de inaugurar três Johrei Centers na capital, Maputo.

Foram dias maravilhosos! O esforço que os fiéis fizeram, o sentimento deles de querer participar da construção do Solo Sagrado de África através da expansão em Moçambique. Fizemos o compromisso de expandirmos não só em Maputo, mas este ano já vamos começar a inaugurar os Johrei Centers nas outras províncias daquele país também.

Voltando de Moçambique, fiquei alguns dias aqui em Luanda e, depois de cinco anos, consegui a permissão de voltar à nossa querida província de Cabinda. Cheguei em Cabinda na sexta-feira da semana passada e visitei o terreno onde queremos construir o Centro de Aprimoramento, visitei o Polo Agrícola e no sábado fizemos uma Cerimónia de Outorga. Foram mais de mil pessoas que participaram do Culto de Outorga, onde 94 pessoas receberam Ohikari e 19 crianças receberam o Shoko.

Também, muitas experiências de fé marcantes estão a ocorrer ali na província de Cabinda. No dia seguinte fizemos o aprimoramento para membros em geral e no domingo a tarde, pela primeira vez, atravessei a fronteira de carro e fui até a cidade de Ponta Negra. Chegamos à noite em Ponta Negra e entronizamos a Imagem do primeiro Johrei Center da República do Congo.

No dia seguinte, dia 27 de Abril, inauguramos o primeiro Johrei Center, uma cerimónia em que participaram 42 pessoas, na qual três receberam o Ohikari. Parabéns aos nossos irmãos da República do Congo!

Nesse mês tivemos a permissão de inaugurar cinco Johrei Centers em três países do nosso Continente.

Experiência de Fé em Ponta Negra

Em Ponta Negra tivemos várias experiências, mas teve uma que me marcou muito. Tivemos que parar num posto, já dentro do Congo, para abastecer o nosso carro. De regresso à Cabinda, paramos no mesmo posto para reabastecer.

Os funcionários lembraram-se de nós: “Óh! Tudo bem! Como estão?” Ficaram felizes em nos ver. O Ministro Veríssimo desceu do carro e explicou que éramos pastores, estávamos de regresso para Angola, e começou a ministrar Johrei nos funcionários do posto. Aí eles sentiram-se bem, receberam Johrei com muita gratidão e emoção.

Depois, o Ministro Veríssimo disse: “Somos da Eglise Messianique (Igreja Messiânica), e explicou onde ficava a Igreja, deu o número de telefone de um membro que tinha sido outorgado na véspera. Quando o funcionário do posto foi gravar o número no seu telemóvel, falou: “Óh! Esse é o meu amigo Richard!”

“Seu amigo?”

“Sim! Não trabalha no mercado?”

“Sim! Ele trabalha no grand marche (grande mercado)”

Ele disse: “Ele é meu amigo! Se ele está nessa Igreja, é porque essa Igreja é boa. Eu vou nessa Igreja. Quando o senhor voltar, vai me encontrar como frequentador.”

Agradecemos e fomos embora. Falei para o Ministro Veríssimo: “Olha Veríssimo! Está vendo como é importante onde formos, sermos simpáticos com todo o mundo? Se quando nós passamos há três dias tivéssemos lhes tratado mal, como você ia falar de Deus agora para eles? Graças à sua simpatia, conseguiu ministrar Johrei e plantar essa semente!”

Depois que saímos do posto, naquele mesmo dia, às 23 horas, esse senhor foi bater na casa do nosso membro.

Ele disse ao membro: “O seu pastor fez hoje em mim uma oração que é o Johrei, e depois que ele fez essa oração em mim, aconteceu uma coisa que nunca aconteceu na minha vida.”

O membro perguntou: “O quê?”

Ele: “Todo o mundo que eu abasteci o carro, começou a oferecer-me dinheiro. Deram-me gorjeta. Aí eu fiquei pasmado. ‘Óh! Mas todos começaram a me oferecer dinheiro?’ No final do dia, eu ganhei 60 mil francos.”

Cem dólares lá são 62 mil francos. Ele ganhou quase cem dólares de gorjeta. Aí o amigo ficou surpreso.

Ele falou: “Só pode ser aquela oração, aquela mão que ele levantou para mim!” E o amigo falou para ele: “Olha, você recebeu graça muito grande. Recebeu Johrei, recebeu graças! Você precisa fazer o dízimo!” Ele perguntou: “Como é o dízimo?” O membro respondeu: “A décima parte, você agradecer!” Ele: “Eu vou fazer! Não quero cortar isso, não.”

No dia seguinte ele foi no Johrei Center, fez o dízimo e foi trabalhar. Ele estava a ter conflito com o seu chefe, e o chefe recebeu-lhe bem, abraçou-o. Depois, ele ligou para o Richard: “Olha, recebi outra graça. O meu chefe me tratou bem! Eu já estava a estranhar que ele ia me mandar embora” O membro: “Continue a gradecer!”

Ele no final do dia encaminhou uma pessoa para a Igreja. No outro dia, o chefe precisou viajar e pediu para ele assumir a direcção do posto enquanto estivesse fora, coisa que nunca tinha acontecido também. Esse senhor já está como frequentador e já encaminhou duas pessoas para a Igreja, que estão a frequentar junto com ele.

A concretização do Paraíso Terrestre e a nossa missão

Ou seja, nós estamos na fase agora de levar o Messias para o mundo. A humanidade espera essa vinda do Messias há milhares de anos. Cada um de nós, a alma de cada um de nós foi preparada no Mundo Divino junto com o Messias Meishu-Sama e recebeu essa missão de Messias.

O Messias Meishu-Sama está vivo dentro de cada um de nós. Ele não está aqui no Altar somente, está vivo dentro de cada um de nós e quer utilizar cada um de nós para concretizar o Plano de Deus aqui na face da terra.

Nós estamos a nos preparar agora para o Culto do Paraíso Terrestre, no próximo dia 15 de Junho. No dia 15 de Junho de 1931, o Messias Meishu-Sama recebeu a revelação da Transição da Noite para o Dia no Mundo Espiritual. No dia 15 de Junho de 1953, Ele inaugurou o primeiro Solo Sagrado do Mundo – o Solo Sagrado de Hakone.

No dia que Ele inaugurou Hakone, disse: “Agora não tem mais jeito. Mesmo que eu não queira, o Paraíso Terrestre vai ser construído. Foi plantada a semente do paraíso no extremo centro do mundo. Essa construção do Paraíso já se concretizou no Mundo Divino e agora está a se concretizar aqui nesse Mundo Material.”

Com a vinda do Messias, toda a humanidade já foi perdoada pelo Supremo Deus.

Nós estamos agora a viver a fase da purificação. Por isso, é importante entendermos o que é a purificação! Quando surgem as dificuldades… Os senhores ouviram as experiências de fé hoje. Duas experiências marcantes, um ponto em comum. As duas, em momentos de aflição, uma com filha a correr o risco de entrar numa cirurgia e a outra a viver na rua com os filhos.

No momento de aflição, a “corda da salvação” das duas foi fazer alguém feliz! No momento de aflição, a corda que elas se seguraram foi entregar a preocupação delas na mão de Meishu-Sama e se preocupar em fazer o próximo feliz! A irmã no hospital foi ministrar Johrei a outras pessoas, e a outra irmã, mesmo vivendo na rua, se preocupou em encaminhar e cuidar de alguém que estava a sofrer também.

Essa postura é indispensável para nós conseguirmos ultrapassar essa fase de transição. No momento das dificuldades, das purificações, é importante nós lembrarmos sempre das palavras do nosso líder espiritual Kyoshu-Sama. Kyoshu-Sama, neste livro “Sonen”, volume I, página 14, tem uma orientação dele que eu acho muito importante lermos e relermos, principalmente nos momentos mais difíceis da nossa vida.

Kyoshu-Sama diz:

“Meishu-Sama nos ensinou que ‘cada indivíduo precisa se tornar um habitante do paraíso’. Quando pensamos no que ‘um habitante do paraíso’ possa ser, talvez imaginemos uma pessoa que está sempre em paz e que sempre se sente contente com a sua vida. Mas eu digo que, como o nosso verdadeiro lar é na realidade o paraíso, nós já somos ‘habitantes do paraíso’, independentemente de quão difícil nossa vida possa parecer.

Repetindo, Meishu-Sama disse que precisamos nos tornar “habitantes do paraíso”. Através dessa mensagem, Meishu-Sama quer que percebamos onde realmente residimos; que relembremos a época em que estávamos todos a servir a Deus no paraíso junto com Meishu-Sama; e que vivamos a nossa vida confiantes como habitantes do paraíso.

Mesmo quando os senhores recebem uma purificação severa, os senhores estão no paraíso a servir a Deus como “um habitante do paraíso”.

Na realidade, é exactamente no momento em que os senhores pensam que estão a receber uma purificação, que os senhores estão a servir a Deus como habitantes do Seu paraíso. Isso porque é através do seu sofrimento, seja ele físico ou mental, que Deus é capaz de purificar e salvar toda a Humanidade e todos os Ancestrais que estão sempre juntos, como um só, com cada um dos senhores. Sejam corajosos. Receber uma purificação é sinal de que os senhores estão a ser utilizados na obra de salvação de Deus como “habitantes do paraíso”.

E lembrem-se: Meishu-Sama é o nosso exemplo. Ele está no paraíso, servindo a Deus diligentemente como habitante do paraíso. E se os senhores também quiserem servir a Deus junto com Meishu-Sama no paraíso, na obra de salvação de Deus, primeiramente direcionem os seus corações para o paraíso interior, falando para si próprios:

Vamos repetir juntos, por favor.

“Como uma pessoa ligada a Meishu-Sama, eu, juntamente com todas as coisas, retornarei ao paraíso, que é a verdadeira residência da minha vida, consciência e alma. Se for Sua vontade, por favor Deus, aceite a mim e a todos aqueles ligados a mim em Seu paraíso. Aceite-nos como pessoas que já foram perdoadas e salvas. Eu entregarei tudo nas Suas mãos, em nome de Meishu-Sama. Assim, por favor, use-me na Sua obra. Eu nela servirei. E que esta bênção seja compartilhada com todos.” 

Muito obrigado!

Kyoshu-Sama continua a falar:

“Eu gostaria que os senhores soubessem que proferir essas palavras, ou emitir esses pensamentos em sua mente, são práticas muito importantes que os senhores podem fazer no seu dia-a-dia como fiéis de Meishu-Sama, particularmente quando estiverem em purificação.

Após a minha palestra, eu entregarei sementes de flores para os senhores.

Falando em sementes, nós não podemos jamais esquecer que já temos uma semente dentro de nós. É a semente concedida por Deus a cada um de nós, chamada “Partícula Divina”.

Assim como uma semente de flor que está programada para florescer e frutificar, a nossa semente da Partícula Divina também está programada por Deus para que renasçamos e frutifiquemos para alegrá-Lo. Em outras palavras, estamos destinados de nascença a renascermos como filhos de Deus, como Messias.

Quando os senhores plantarem e cuidarem da semente que receberão hoje, lembrem-se de que Deus também está a cuidar dos senhores com o Seu grande amor, para que renasçam. Recebendo esse amor de Deus e de Meishu-Sama, que é uno a Deus, vamos frutificar com o nosso renascimento como verdadeiros filhos de Deus. Assim, eu tenho certeza de que Deus nos acolherá com prazer no Seu glorioso paraíso.

Até hoje, nós só conhecemos a respiração da Era da Noite, a respiração do nosso corpo físico. No entanto, como pessoas ligadas a Meishu-Sama, nós precisamos acordar do nosso longo sono e receber a Respiração da Era do Dia – a eterna Respiração de Deus que nos foi concedida no paraíso, muito antes de descermos à Terra. Assim, vamos, a partir de hoje, servir a Deus com alegria, unidos à toda a natureza, a todos os Antepassados e à Respiração de Deus.

Muito obrigado!”

Com esse espírito, é importante lermos e repetirmos essas palavras no nosso dia-a-dia. O nosso Planeta está em uma fase de grande purificação. Por todos os cantos do mundo nós vemos o aumento de tragédias naturais, conflitos, crises financeiras, aumento de doenças.

Nós precisamos emitir essa energia positiva para o mundo, e através da prática da oração, orar pela felicidade da Humanidade, orar pelas pessoas que estão a enfrentar dificuldades que são do nosso conhecimento, orar pelo bem do próximo e do mundo. Precisamos emitir energia para construir o paraíso a partir da ministração do Johrei, a partir da distribuição da flor e da prática da Agricultura e da Alimentação Natural.

Eu gostaria de que cada um de nós se preparasse realmente para o Culto do Paraíso, renovando esse nosso compromisso de levar o amor de Deus para as pessoas que Meishu-Sama colocar na nossa frente.

Experiência de Fé na província do Moxico

Tivemos uma experiência que me emocionou muito ocorrida semanas atrás na província do Moxico. Uma senhora recebia Johrei na sua casa, não tinha ido na Igreja ainda. Pela primeira vez ofereceram-lhe uma flor e ela ficou feliz e colocou em casa. O seu marido já tinha morrido há mais de um ano, e ela nunca tinha sonhado com ele. Naquela noite, ela sonhou com ele, que veio e disse: “Puxa! Eu vim graças à Luz dessas flores. Essa Igreja tem muita Luz. Eu estou muito bem agora! Continue nesse caminho. Aprofunde nisso.”

Ela acordou assustada, mas feliz, e foi conversar com os seus pastores na Igreja onde ela é fiel. Quando ela conversou com os pastores, os pastores escutaram, perguntaram mais sobre a nossa Igreja e aí o chefe falou assim: “Olha, eu também quero essa flor para a minha casa!”

E os outros pastores também: “Nós também queremos essa flor! Será que eles não podem vir fazer essa horta das flores na nossa casa também?” Aí ela: “Vou perguntar para eles!”

Perguntou e alguns irmãos nossos foram, fizeram a horta e entregaram flores para eles. Fizeram horta na casa do pastor, do irmão dele e de um amigo. Os outros vizinhos também pediram. A mãe do pastor já se tornou frequentadora da nossa Igreja e até hoje, a partir desta experiência, eles já fizeram 15 hortas dentro desse bairro, encaminhados pelos próprios pastores. Estão a receber a flor e praticar a Agricultura Natural.

Ou seja, as três colunas da salvação é que vão promover a grande união da Humanidade. Nós como messiânicos somos pioneiros do Paraíso Terrestre, pioneiros da construção do Reino do Céu na Terra como Jesus falou, da construção do Mundo de Miroku, como Buda anunciou.

Como pioneiros, vamos levar o Johrei a flor, a agricultura, levar a Luz do Messias para todos os locais onde nós estivermos. Em casa, na rua, no trabalho, na escola, em todo o local vamos buscar essas “Almas de Ouro” que vão participar connosco nessa construção do paraíso.

Muito obrigado! Bom domingo para todos os senhores!

Muito obrigado a todos!

Presidente da Igreja Messiânica Mundial de África, Ministro Claudio Cristiano Leal Pinheiro, em 3 de maio de 2015.