Templo Messiânico de Atami

1º de abril de 2015

Parabéns a todos pelo Culto da Primavera.

Com profundo respeito, acabamos de realizar o Culto da Primavera e, dando boas-vindas ao novo ano fiscal que se inicia, cada um, dentro de seu papel e função, renovamos, perante Deus e Meishu-Sama, nosso compromisso de servir cada vez mais.

Há pouco, tivemos a permissão de ouvir a maravilhosa Experiência de Fé da senhora Teresa Rodriguez Arze, da Igreja da Bolívia.

Antes de mais nada, gostaria de apresentar o grande número de caravanistas do exterior presentes no culto de hoje.

Estamos recebendo quatro messiânicos da vizinha Coreia do Sul, dois da Tailândia, um da Indonésia, um da Austrália, um do México, dois da Colômbia, três da Argentina, sete da Bolívia, 14 do Peru, 52 do Brasil e 19 dos Estados Unidos. No total, são 106 caravanistas de onze países.

Sejam bem-vindos ao Solo Sagrado!

Inauguração do Memorial Mokiti Okada

A primavera, finalmente, chegou.

O ano-novo é uma ocasião muito importante, mas o mês de abril, para nós, é também um grande momento – uma época de recomeço.

Primeiramente, gostaria de relatar aos senhores que, no dia 8 deste mês, realizaremos a tão esperada inauguração do Memorial Mokiti Okada. Participarão da cerimônia nosso líder espiritual, Kyoshu-Sama, a diretoria da Igreja-Mãe, os diretores da Igreja Izunome, os conselheiros, os supervisores de área, os representantes dos membros e convidados de vários segmentos da sociedade.

O prédio edificado é fruto do amor e da dedicação sincera de todos os senhores. Ao longo deste mês, de 11 de abril a 10 de maio, serão realizados cultos especiais pela inauguração e quero convidá-los para conhecer o Memorial Mokiti Okada durante esse período de cultos, aproveitando a ocasião para se deleitarem com a belíssima paisagem que a região de Sagano, em Kyoto, nos oferece na primavera.

No dia 8 de abril de 1953, na palestra que proferiu no Ginásio de Kanayama, na cidade de Nagoya, Meishu-Sama disse: “Na trilogia de Miroku, representada pelos números 5, 6 e 7, este último corresponde a Kyoto. À medida que este ‘sete’ for se completando, a força de atuação desta trilogia se manifestará verdadeiramente.”¹ Dois dias antes, Meishu-Sama havia orientado o seguinte a respeito do Solo Sagrado de Kyoto – a Terra da Tranquilidade: “Como o elemento Terra simboliza a atuação do Mundo Material, (…) à medida que a construção de Kyoto for avançando, o crescimento da Igreja Messiânica se tornará mais evidente.”²

Uma vez que a expansão da Igreja Messiânica representa, logicamente, o aumento da quantidade de pessoas salvas e felizes conforme cada Solo Sagrado se aproxima de sua conclusão, veremos que a salvação ocorrerá mais intensamente e em âmbito cada vez maior, e se estenderá por todo o mundo.

Angola – Inauguração da Escola Primária Mokiti Okada

20150401_kobayashi_BRA

Mapa de Angola

Uma evidência daquilo que Meishu-Sama disse acerca do Solo Sagrado de Kyoto, é uma maravilhosa notícia vinda de Angola que recebemos há poucos dias.

Vejam o slide. Em vermelho, temos a província de Uíge, que fica ao norte de Angola. Lá, existe um Johrei Center em cujo terreno foi inaugurada a Escola Primária Mokiti Okada. Na fachada, está escrito: Escola Primária Mokiti Okada.

Estas são as imagens da cerimónia de inauguração da escola, realizada no dia 10 de março deste ano. Ao lado do Min. Claudio, que está cortando a fita, vemos o governador da província de Uíge, o senhor Paulo Pombolo.

Cerca de 2.700 pessoas participaram da cerimónia nesse dia: autoridades do governo da província, representantes de outras religiões, moradores da região, futuros alunos e seus responsáveis. A escola conta com doze salas de aula, cada uma com capacidade para 50 alunos. Há dois turnos, o da manhã e o da tarde, e a escola pode acolher 1.200 alunos.

A escola foi construída com investimento do governo local, sendo que não foi preciso haver nenhuma participação financeira da Igreja Messiânica de Angola. Entretanto, a elaboração do currículo e o estabelecimento da diretriz educacional foram deixados a cargo da Igreja. Atualmente, está sendo estabelecido em Angola um sistema de parceria entre o governo e a comunidade. O diretor foi nomeado pela Igreja, e alguns professores são messiânicos. Dentre outros conteúdos, o currículo contempla a leitura e a escrita, a matemática, a Ikebana e a prática da horta caseira.

IMG_0826

Sala de aula

Esta imagem registra a primeira aula realizada após a inauguração: uma oficina de mini-arranjos florais. A escola foi construída em uma região onde há muitas famílias desfavorecidas. As crianças aprendem a confeccionar os arranjos e os levam para casa. O objectivo é que o aprendizado comece pela assimilação da importância de deixar a moradia mais bonita e limpa.

Angola tornou-se independente de Portugal em 1975. Com a independência, a tensão entre as diferentes etnias aumentou e deu início a um longo período de guerra civil. Contudo, como o país é rico em petróleo e diamantes, grandes potências que visavam ao monopólio dessas riquezas, começaram a manipular a guerra. Tudo isso causou muitos danos ao país e ceifou a vida de 1,5 milhão de pessoas.

O ano de 2002 trouxe o fim da guerra civil, que durava há décadas. Hoje, vemos que o país está em plena reconstrução. Os pais das crianças que frequentam a escola nasceram durante a guerra civil e cresceram sob constante risco de morrer. Sendo assim, muitos deles não tiveram a oportunidade de receber uma educação formal e nem mesmo conseguem imaginar o que é um mundo de paz. Creio que o maior desejo destes pais é mostrar aos filhos um mundo maravilhoso, pacífico.

Em 2003, o governo da província de Uíge doou à sede da Igreja Messiânica de África um terreno. No mesmo ano, o Johrei Center foi construído pelas mãos dos membros.

20150401_kobayashi_BRA7

O quiosque

Como não existiam escolas nas proximidades, a maioria das crianças não tinha onde estudar. A alternativa era reunir-se para ler e estudar no quintal alugado de um vizinho, à sombra das árvores.

Sensibilizados com a situação, os membros ofereceram este espaço dentro do terreno do Johrei Center, para que as crianças pudessem estudar tranquilamente. A cor esverdeada do telhado até lembra uma árvore, não é verdade? As crianças ficaram imensamente felizes e começaram a estudar protegidas do sol, à sombra destas “árvores” construídas pelas mãos do homem. Dentre elas, algumas começaram a aprender um pouco mais sobre agricultura graças à horta que ficava próxima ao quiosque, outras passaram a receber Johrei. Ou seja, graças a isso, muitas pessoas conheceram a Igreja e foram até encaminhadas.

Dois anos depois, os membros construíram, mais uma vez com as próprias mãos, uma pequena edificação, com três salas de aula.

Esta iniciativa do Johrei Center chegou ao conhecimento do governo, que determinou a construção de uma escola primária no local.

É maravilhoso, não? Uma escola nasceu! “A igreja também construirá escolas, essa é minha intenção”³ – preconizou Meishu-Sama em seus ensinamentos. Não posso deixar de crer que o sentimento sincero dos membros, que desejavam ardentemente a felicidade e o bem-estar das crianças, se comunicou aos céus.

Formar as crianças, que são o futuro da Angola, é extremamente importante. Desejo dar todo o apoio possível a este trabalho.

A difusão mundial começa por fazer uma pessoa feliz

Há 22 anos, quando eu era responsável do Departamento de Jovens, foi realizado o 2º Congresso Internacional de Jovens no Solo Sagrado de Guarapiranga, com cerca de cinquenta mil participantes, vindos de 30 países diferentes. Eu também participei, ao lado de 800 jovens japoneses, e nosso slogan na época era “A difusão mundial começa por fazer uma pessoa feliz”.

Hoje, aqui, temos um ambiente bastante internacionalizado com messiânicos de 11 países diferentes. Talvez haja, entre os membros japoneses, aqueles que pensam: “Nós não temos muito a ver com a difusão mundial”.

Contudo, conforme eu disse há pouco, a construção do Solo Sagrado – que está diretamente relacionada à difusão mundial – avança graças à dedicação sincera e à difusão que os senhores realizam. Portanto, os senhores estão participando da difusão mundial.

Dentre aqueles que vieram do exterior, talvez haja aqueles que pensam que não têm nenhuma relação com a difusão mundial. Porém, os senhores estão se empenhando incansavelmente na difusão em seus países, na região onde moram, sempre desejando a felicidade do próximo. Na prática, isto resulta em difusão mundial, o que alegra a todos nós, membros do Japão, e se converte ainda mais em energia para a difusão e para a construção do protótipo do Paraíso Terrestre.

Hakone, Atami e Kyoto representam os elementos Fogo, Água e Terra. Com o surgimento da força dessa trilogia, o círculo da salvação irá ampliar-se ao mundo. Creio que a força dessa trilogia será ainda mais intensa se cada um de nós entrar em sintonia com o trabalho de Deus, desejar sinceramente a felicidade do próximo, encaminhar pessoas e cultivar a fé e, sob a imensa proteção de Deus, teremos a grande salvação expandida pelo Mundo Material.

É por essa razão que dizemos que “a difusão mundial começa por fazer uma pessoa feliz”.

Kyoshu-Sama conta connosco. Ele crê que uma das missões mais importantes da nossa Igreja é a difusão mundial. Para correspondermos à sua expectativa, desejo que nós, fiéis de todas as partes do mundo, prossigamos firmes e fortes no trabalho da difusão mundial, unidos num só sentimento.

Encerramento

A construção do Solo Sagrado, um símbolo do sentimento de Meishu-Sama, continuará para sempre. Em outras palavras, um Solo Sagrado nunca está concluído, pois ele é vivo. Não é somente a edificação de novos prédios que pode ser considerada como construção. Aperfeiçoar seu conteúdo também significa construir. A construção e a elevação da fé de cada um de nós, membros que nos reunimos nos Solos Sagrados, também são muito importantes.

O Memorial Mokiti Okada será inaugurado. Espero que não nos acomodemos no sentimento “o memorial já está pronto!”. Eu gostaria que cada um de nós construísse no próprio coração um “Memorial Mokiti Okada” que comunique o sentimento de Meishu-Sama. Para tanto, devemos guardar em nosso peito as palavras que Kyoshu-Sama nos dirigiu no último Culto do Início da Primavera no sentido de seguirmos adiante, com coragem e firmeza, em meio ao processo inédito de formação que advém do novo Paraíso. Vamos, assim, nos esforçar para sermos pessoas através das quais Meishu-Sama possa se manifestar.

Bem, as cerejeiras da Terra Celestial parecem estar celebrando essa nova etapa e estão totalmente floridas. Recomendo aos senhores que se deleitem com a paisagem primaveril da Terra Celestial antes de regressarem e que, com isso, possam levar a seus lares uma nova energia.

Muito obrigado!


1) Mioshie-shu (Coletânea de Ensinamentos), volume 21, 6 de abril de 1953.

2) Idem.

3) Mioshie-Shu (Coletânea de Ensinamentos) volume 21, 26 de março de 1953.

This post is also available in: Inglês, Francês