Templo Messiânico, Solo Sagrado de Atami

15 e 16 de junho de 2015

Com profundo respeito e temor a Deus, eu digo que somos filhos do Deus Único. Nós nascemos como filhos de Deus. Na Terra, nascemos em vários países e regiões, mas, antes disso, Deus fez com que nascêssemos no Paraíso como Seus filhos, como Suas partículas divinas.

Meishu-Sama compôs um poema, em estilo tanka, que diz:

Pode haver diferenças entre nós

Na fisionomia, na estatura e na cor da pele,

Mas, aos olhos de Deus,

Somos todos cidadãos da mesma nação.

Para nós, talvez seja mais fácil perceber diferenças entre as pessoas, como nacionalidade, etnia, idioma, aparência, e assim por diante, mas o poema de Meishu-Sama nos lembra que Deus considera todos nós como sendo da “mesma nação”, isto é, do “paraíso”. Para ser mais preciso, devo dizer que Deus ainda nos considera assim, mesmo após ter-nos enviado a vários países e regiões da Terra. Isso porque, no paraíso, antes de virmos para a Terra, Deus nos considerava como cidadãos de Seu paraíso.

No entanto, a verdade é que, ao virmos para a Terra, nos esquecemos de tudo que havia acontecido antes. Esquecemos que Deus nos fez nascer no paraíso como Seus filhos, e que Ele é o Pai de nossas almas.

Com Sua misericórdia, Deus nos enviou Meishu-Sama, nos fez lembrar do paraíso – o lar de nossas almas – e nos fez lembrar quem é o verdadeiro Pai de nossas almas. Com Sua misericórdia, Deus nos perdoou, nos salvou e nos acolheu de volta em Seu paraíso. Com Sua misericórdia, Deus está tentando fazer com que nasçamos, mais uma vez, como Seus próprios filhos.

Nascer mais uma vez como filho de Deus não é uma tarefa fácil. É por isso que temos alguém a quem seguir como exemplo. É por isso que temos Meishu-Sama connosco. A vida de Meishu-Sama é, em si mesmo, a manifestação da verdade de Deus. Seguindo e captando a vontade de Deus, Meishu-Sama percebeu que a missão do ser humano é retornar ao paraíso e nascer de novo como um verdadeiro filho de Deus, como um Messias.

Gostaria que os senhores soubessem que cada um de nós também precisa cumprir essa missão como ser humano. Deus fez com que os senhores encontrassem Meishu-Sama para que pudessem seguir seus passos de renascer como verdadeiro filho de Deus. Nós podemos não lembrar disso mas, um dia, fomos filhos de Deus. Graças a Meishu-Sama, nós podemos nos lembrar e reconhecer quem é o nosso verdadeiro Pai. Salvação significa reconhecer Deus, o nosso Pai. Portanto, vamos expressar nossa alegria a Deus e dizer a Ele:

Em nome do Messias que é uno a Meishu-Sama, eu agora retorno ao paraíso – Seu reino. Por favor, Senhor, se for Sua vontade, acolha-me em Seu reino e faça-me nascer de novo como Seu filho.

Como a maioria dos senhores já sabem, a construção do Museu Memorial Mokiti Okada foi concluída. No dia 8 de abril último, participei da cerimónia de inauguração, e tive a oportunidade de fazer um tour pelo museu. Gostei muito das exposições e da atmosfera tranquila, agradável e limpa, além do belo jardim interno e a vista da área de Sagano.

Enquanto andava pelo museu, senti como se estivesse numa casa muito tranquila, junto com Meishu-Sama. Para mim, esse museu é como uma “Casa da Tranquilidade”, e é assim que gostaria que ele fosse chamado.

A ascensão de Meishu-Sama não marcou um fim, mas sim, um início. Esse museu memorial não deve ser um lugar para se celebrar eventos passados; ao contrário, ele deve ser um lugar para se celebrar, e para fazer-nos lembrar, algo completamente novo.

Independentemente do país onde vivamos hoje, todos nós fomos originalmente residentes do paraíso, tendo Deus como nosso Pai. Quando viemos à Terra, esquecemos essa verdade, e esquecemos, também, o que é salvação, mas, agora, através de Meishu-Sama, tomamos conhecimento dessa verdade. Juntamente com Meishu-Sama, Deus nos tornou pessoas que viverão eternamente. Deus já acolheu toda a humanidade e todos os ancestrais em Seu paraíso, e nos concedeu Sua vida eterna. Cada vez que pisarmos nesse museu memorial, vamos nos lembrar dessa verdade, isto é, que fomos e ainda somos residentes do lugar mais sereno, tranquilo e glorioso de todos – o paraíso.

.

Em maio passado, eu participei do encontro de membros na região da Sede Geral. Antes do evento, eu havia ouvido que muitos membros estavam se esforçando num tipo completamente novo de prática, em preparação para o encontro: a prática de entregar a Deus, através de Meishu-Sama, todo e qualquer pensamento que venha às suas mentes, acreditando que toda a humanidade já foi perdoada e salva.

O evento em si foi um grande sucesso. Eu senti que o Templo Messiânico (onde foi realizado o encontro) estava tomado pela determinação de todos os participantes em retornar ao paraíso existente no interior de cada um de nós. Para finalizar o evento, todos nós cantamos um dos hinos da nossa Igreja – o “Hino da Luz Divina” – junto com um coral formado por 126 membros da região da Sede Geral. Cantar junto com o coral, e todos os participantes, me trouxe uma grande alegria e entusiasmo. Fiquei muito entusiasmado mesmo, pois senti como se, através do hino, estivéssemos todos unidos, como um só, com Meishu-Sama.

Na letra da versão japonesa do hino, traduzida do original em português¹, há uma frase que diz: “Vamos todos unir-nos no amor de Deus”. Essa frase me faz lembrar que, apesar de Deus ter-nos impregnado com Seu amor ilimitado no paraíso, e ter-nos criado como Suas partículas divinas, nós abandonamos Seu amor e dele nos distanciamos quando viemos à Terra. Isso me faz lembrar que toda a humanidade precisa, mais uma vez, estar unida no amor de Deus. Realmente sinto que Deus está tentando nos dizer que deseja nos reunir em Seu amor. Nós podemos ter abandonado Seu amor, mas Deus já nos perdoou e, agora, Ele deseja acolher-nos de volta em Seu paraíso, onde o Seu amor está presente. Portanto, cada vez que cantarmos esse hino, será que podemos cantá-lo radiantes de alegria, pois Deus estará nos fazendo lembrar do Seu paraíso e do Seu grande amor? Gostaria de dizer também que achei uma boa ideia cantar um hino nesses eventos que realizamos. Isso nos dará mais união e força.

Como na postura de ministrar Johrei, Deus está levantando Sua mão em direção a toda a humanidade e a todos os ancestrais, para nos acolher de volta em Sua luz divina, em Seu paraíso. Isso é o que é a obra de salvação. Isso é o que é o Johrei. Deus nos faz ministrar Johrei para o próximo para que possamos lembrar que Ele vive dentro de nós, que Ele nos está ministrando Johrei, e está sempre nos acolhendo de volta em Seu paraíso. Eu repito: nós ministramos Johrei para o próximo porque nós precisamos lembrar que Deus está dentro de nós ministrando Johrei para cada um de nós. Deus nos permite servir na obra do Johrei porque aprendemos com Meishu-Sama que, no centro de cada um de nós, existe a luz de Deus e Sua mão da salvação.

Nós ministramos Johrei para os outros porque precisamos “entregar” nós próprios, e todos aqueles ligados a nós, para Deus. Através da conclusão da Transição da Noite para o Dia, Deus declarou que Ele perdoou, purificou e salvou todos. Precisamos, portanto, entregar todos, incluindo nós mesmos, para Deus. É por isso que “a ministração de Johrei” significa entregar-nos, e entregar todos, nas mãos de Deus, através de Meishu-Sama. Gostaria que os senhores soubessem que podemos entregar todos nas mãos de Deus, pois toda a humanidade e seus ancestrais residem dentro de nós, eles vivem dentro de cada um de nós. Temos que declarar o perdão de Deus, em nome do Messias, a todos aqueles que estão dentro de nós e, assim, tornarmo-nos “mediadores” entre Deus e a humanidade.

Na vida, nós passamos por diversas situações, nos deparamos com vários problemas, e experimentamos todo tipo de emoções. Isso acontece porque, como residentes do paraíso, nós temos a missão de salvar todas as pessoas e trazê-las de volta para Deus, ou seja, “atuar como mediadores” entre elas e Deus. Se pudermos acreditar nessa missão, poderemos sempre ser utilizados na obra do Johrei, independentemente de levantarmos ou não, de fato, a nossa mão. Entregar a Deus todas as situações e todas as emoções que experimentamos em nossa vida é, por si só, a obra do Johrei.

Deixem-me dizer-lhes como os senhores poderão servir nessa nova forma de ministrar Johrei: quando estiverem diante de uma pessoa, para a qual ministrarão Johrei, digam, em voz alta ou mentalmente, a todos aqueles que estão em seu próprio interior, isto é, digam a toda a humanidade, incluindo a pessoa para a qual ministrarão Johrei:

Todos vocês já foram perdoados, purificados e salvos através da obra divina do Johrei. Vamos todos retornar à Luz Divina.

E, então, digam a Deus, que está dentro dos senhores:

Em nome do Messias que é uno a Meishu-Sama, eu agora retornarei ao Seu paraíso junto com todos aqueles ligados a mim. Por favor, Senhor, se for essa a Sua vontade, aceite-nos em Seu paraíso e nos permita entrar na Sua glória. Eu me entrego em Suas mãos, junto com todos aqueles que estão ligados a mim. Eu servirei em Sua obra. E que Suas graças sejam compartilhadas com todos.

Eu gostaria que os senhores soubessem que dizer essas palavras é uma forma muito específica e prática de servir na obra do Johrei. Mesmo que não possam, de fato, levantar a mão para ministrar Johrei, ao falarem essas palavras, Deus reconhecerá que os senhores serviram na obra do Johrei. Falar essas palavras é, também, uma maneira muito prática de compartilhar o amor de Deus com as pessoas, e reuni-las no amor de Deus. E não esqueçam que Meishu- Sama está com os senhores todo o tempo. É por isso que devemos sempre lembrar das seguintes palavras: “em nome do Messias que é uno a Meishu-Sama”, no que quer que seja que façamos em nossas vidas.

Há um poema, em estilo tanka, composto por Meishu-Sama, cuja tradução para o português é a seguinte:

Não há palavras que possam descrever a grandiosidade do

Deus Altíssimo, que traz a salvação para toda a humanidade.

No entanto, Ele realiza a salvação usando a mente e o corpo

Dos seres humanos como Seus veículos.

Tenho certeza de que esse poema se refere ao ensinamento de Meishu-Sama sobre “purificação”. Dizemos que recebemos uma purificação quando ficamos doentes ou, em geral, quando sofremos de alguma forma. Acredito que o fato de se estar em purificação é justamente o sinal de que Deus está usando nossas mentes e corpos para realizar Sua obra de salvação de toda a humanidade. Deus acolhe tudo e todos em Seu paraíso através das nossas purificações. A obra do Johrei é assim também. Deus nos usa nessa obra para acolher a todos em Seu paraíso. Através dela, nós entregamos todos nas mãos de Deus. Ministrar Johrei é uma ótima forma de servir na obra divina de Meishu-Sama mas, receber uma purificação também é, por si só, uma forma muito nobre de servir na obra divina de salvação de toda a humanidade.

Quando sentimos que estamos recebendo uma purificação, Meishu-Sama está nos incentivando e dizendo: “Deus precisa de sua mente e corpo para desenvolver Sua obra divina. Você pode aguentar um pouquinho?” Independentemente de quão difícil seja a nossa purificação, se pudermos acreditar que nossa mente e corpo pertencem a Deus, e que Ele as usa, da forma como deseja, para salvar toda a humanidade, tenho certeza que Meishu-Sama ficará extremamente feliz. Falando de forma mais direta, salvação tem um só significado para nós: nascer de novo como verdadeiro filho de Deus e obter a vida eterna.

.

Nesse dia do Culto do Paraíso Terrestre, eu gostaria de enfatizar mais uma vez que o estabelecimento do Paraíso Terrestre depende de cada um de nós. Se nós, que agora vivemos na Terra, pudermos perceber e aceitar que Deus vive dentro de nós, e que Seu paraíso está estabelecido de forma inabalável em nosso interior, nesse exato momento este Paraíso Terrestre se estabelecerá em nosso interior. Todas as coisas visíveis e tangíveis perecerão um dia, mas o paraíso de Deus, o Seu reino dentro de nós, existirá para sempre.

Para encerrar, gostaria de expressar minha mais sincera gratidão a Deus por Ele ter estabelecido um paraíso eterno dentro de cada um de nós. Por favor, Senhor, se for Sua vontade,acolha-me, juntamente com todos aqueles a mim ligados, em Seu paraíso, e permita- me ser uno a ele.

Em nome do Messias que é uno a Meishu-Sama, que a Deus, e a Deus somente, seja dada toda a glória.

.

1 O significado da letra da versão japonesa do Hino da Luz Divina difere em alguns pontos da letra original em Português.