Chamo-me Alfredo Jamba Bernardo, tenho 53 anos de idade, sou frequentador e dedico no Johrei Center do Zango, em Luanda.

Conheci a Igreja Messiânica no dia 4 de Julho de 2015, por intermédio de um membro dedicante da nossa igreja. Os motivos que estivaram na base do meu encaminhamento foram doenças e conflitos no trabalho.

Quanto à doença, tudo começou com uma alergia, e ao passar do tempo transformou-se em pequenos furúnculos, que se alastraram pelo corpo todo e deitavam muito líquido, isso durante 30 anos. Para solucionar esse problema, procurei hospitais onde fui submetido a vários exames médicos, cujos resultados eram sempre negativos e os médicos apenas alegavam que era um problema genético. Desta feita, receitavam-me pomadas, mas nem com isso obtive os resultados desejados.

Concernente aos conflitos laborais, estes surgiram devido ao excesso de bebidas alcoólicas que ingeria. É de salientar que antes de ir ao serviço, tinha de ingerir dois copos de vinho, e quando chegasse a hora do almoço, procurava casas de bebidas e ingeria novamente. Isso se tornou uma rotina, até que certo dia os meus colegas resolveram fazer uma queixa aos meus superiores. Assim, fui chamado de imediato e fiquei penalizado durante duas semanas sem trabalhar.

Enquanto estava a caminho de casa, repentinamente, apareceu o irmão que me encaminhou, mandou-me parar o carro e pediu-me boleia. Depois que subiu, começamos a conversar e, no decorrer da conversa, apercebi-me que a sua mão estava direccionada ao meu lado. Assustado, questionei: “O que o senhor está a fazer em mim?” Em resposta, explicou-me que estava a fazer uma oração denominada Johrei e, de seguida, começou a falar da igreja e contou a sua experiência de fé. Ouvindo aquelas palavras, me acalmei, relatei as minhas dificuldades e no final do Johrei senti o corpo muito aliviado, como se tivesse tirado um grande peso de cima de mim.

Foi assim que conheci a Igreja Messiânica, onde fui recebido pelo plantonista que, depois de ouvir-me, orientou-me as práticas básicas da igreja:

  • Receber 10 Johrei por dia;
  • Manter a flor de luz em casa;
  • Fazer a prática do Sonen diariamente;
  • Ler os ensinamentos de Meishu-Sama;
  • Peregrinar aos locais de maior luz.

Cumpri com as orientações sem nenhuma dificuldade, e duas semanas depois fui chamado no serviço e voltei a trabalhar.

A experiência de fé que passo a relatar para os irmãos está relacionada com a limpeza e o donativo especial de construção para a segunda etapa da escola agrícola.

Depois que comecei a trabalhar, o tempo para dedicar tornou-se bastante apertado. Com isso, decidi fazer uma programação diária, passei a participar no desafio das cinco horas no Johrei Center, e posteriormente ia trabalhar. Aos sábados, fazia plantão na nave. É de salientar que no dia do meu plantão desenvolvia varias actividades, tais como: limpeza, marcha nas casas de outros frequentadores e montagem de hortas caseiras. Como fruto dessas dedicações, ganhei a permissão de receber a visita da encarregada da Rede da Salvação e a sua equipa, com o objectivo de fazer a limpeza profunda em minha casa. Depois desta, tive a graça de receber o meu salário, de onde materializei o dízimo e o donativo de construção, movido pela orientação de participar na construção da segunda etapa da escola agrícola.

Depois da materialização do mesmo, obtive as seguintes graças:

Os furúnculos que me assolavam durante 30 anos e o problema do alcoolismo foram ultrapassados. Hoje, o cheiro de bebidas alcoólicas me causa náuseas. Os conflitos no trabalho também foram ultrapassados e a harmonia voltou a reinar no local de serviço. Sinto-me renovado, como se tivesse nascido de novo.

Há um ano que sentia câimbras e fortes dores nos ossos, purificação esta que me levou a procurar por tratamentos médicos, mas sem solução. Graças a Deus e ao Messias Meishu-Sama, após ter-se feito a limpeza profunda em minha casa, e ter materializado o donativo de construção da 2ª etapa da escola agrícola, a purificação foi ultrapassada consideravelmente.

Com todas essas graças, materializei o donativo de ingresso na fé e o de outorga.

Com essa experiência de fé, aprendi que, cumprindo as orientações superiores, conseguimos ultrapassar as barreiras que enfrentamos no dia a dia. Aprendi ainda que a obediência e a humildade são as chaves para nos ligarmos a Deus e ao Messias Meishu-Sama.

Meu compromisso é tornar-me membro ainda este mês e encaminhar também outras pessoas que se encontram a sofrer. Por permissão de Deus e do Messias Meishu-Sama, faço o dízimo, donativo de construção e tenho a horta caseira.

Agradeço a Deus, ao Messias Meishu-Sama e aos meus Antepassados pela permissão que me concederam de conhecer este maravilhoso caminho da salvação. Agradeço também ao irmão que me encaminhou e aos seus antepassados, por terem sido utilizados como instrumento para o meu encaminhamento.

A todos que atentamente ouviram o meu relato de fé, os meus sinceros agradecimentos.

Luanda, aos 18 de Agosto de 2015