Visita de Kyoshu‐Sama aos Membros das Regiões de Hokuriku e Kansai, no Japão

Centro de Aprimoramento de Fukui, Fukui, 20 de setembro de 2014

Izunome Kyoto, Kyoto, 21 de setembro de 2014

Parabéns a todos no encontro de membros de hoje.

Estou realmente feliz por encontrar, aqui em Fukui/Kyoto, todos os senhores, membros das regiões de Hokuriku e Kansai. Em primeiro lugar, gostaria de agradecer ao Presidente Kobayashi e ao responsável pelas regiões de Hokuriku e Kansai, Reverendo Ohno, por suas sinceras saudações proferidas há pouco. Eu consegui perceber o quanto os senhores vieram se esforçando para fazer com que este evento fosse um grande sucesso, e estou profundamente comovido com seu empenho. Tenho certeza de que Meishu-Sama está imensamente feliz por ver todos os senhores reunidos como um só em nome dele – estou praticamente vendo o seu sorriso. Muitos dos nossos pioneiros, incluindo o saudoso Reverendíssimo Watanabe, também devem estar muito felizes ao verem este dia finalmente chegar.

Ouvi dizer que, como preparação para este evento, os senhores vieram tentando progredir para uma nova etapa, e aprender um tipo de fé completamente novo, que se centraliza em Deus; e não no ser humano. Eu sei que, nessa nova iniciativa, os senhores têm se empenhado bastante para pôr essa nova fé em prática no seu dia-a-dia, fazendo um esforço consciente para direcionar seus corações a Deus, para retornar ao paraíso existente dentro de si, e para reconhecer que Deus está no comando de todas as circunstâncias de suas vidas. Fico realmente emocionado ao saber do seu grande esforço, e agradeço aos senhores por isso. E, o que é mais importante ainda, gostaria de oferecer meu mais sincero louvor a Meishu-Sama, que está por trás de todo o empenho dos senhores, e a Deus, que é uno a Meishu-Sama.

Agora, gostaria que os senhores soubessem o seguinte: nós temos o nosso ponto de partida em nosso interior. Nosso ponto de partida existe no centro da consciência de cada um de nós, ou seja, no paraíso. Nosso verdadeiro lar está nesse paraíso; ele está onde o nosso verdadeiro ser, isto é, o nosso verdadeiro “eu”, existe.

Nesse paraíso, a respiração de Deus foi confiada a Meishu-Sama e a nós. O inspirar e expirar de nossa respiração não são limitados, e não deixarão de existir quando morrermos. Eles são ilimitados e durarão para sempre, pois são a respiração do Deus eterno.

Desde que recebemos essa respiração de Deus no paraíso, ou no nosso ponto de partida, como pessoas ligadas a Meishu-Sama, nós assumimos, e ainda continuamos assumindo, a “responsabilidade pública” de servir a Deus. Com o desejo de criar-nos como “indivíduos” que possuem características humanas, Deus criou nossas consciências – nossa percepção do “eu” – e nos permitiu sentir como se elas pertencessem a nós. Por assumir equivocadamente que éramos donos de nossa percepção do “eu”, viemos utilizando-a livremente, julgando a nós próprios e o próximo. Deus perdoou essa nossa atitude, porque Ele sabia que tomaríamos Suas criações, e também nossa percepção do “eu”, como sendo propriedade nossa.

Nós roubamos as criações de Deus e abandonamos o paraíso. Construímos uma barreira entre nós e o nosso ponto de partida, isto é, o paraíso. Mas Deus removeu essa barreira para nós, e nos acolheu de volta em Seu paraíso. Isso porque Deus quer tornar-nos Seus filhos e conceder-nos Sua vida eterna. Conseguir saber isso, isto é, saber que Deus está tentando nos conceder Sua vida eterna, é, por si só, uma grande graça para nós, que só conhecíamos essa vida física limitada.

Deus já nos considera pessoas bem-vindas ao Seu paraíso. Agora, cabe a nós decidir, por vontade própria, como “indivíduos”, se retornaremos ao paraíso, ao nosso ponto de partida. No paraíso, Deus está pacientemente aguardando nossa decisão. Nós já fizemos Deus esperar por muito tempo. Mas Ele, o Deus único, é o nosso verdadeiro Pai. É Ele quem nos ama e quer que nasçamos mais uma vez. Portanto, vamos neste exato instante retornar ao paraíso existente no centro de cada uma de nossas consciências. Através de Meishu-Sama ,vamos entregar a Deus nossa percepção do “eu”, que viemos equivocadamente pensando ser nossa propriedade. Vamos desejar herdar a vida eterna de Deus e nascer de novo como Seus verdadeiros filhos. Para pôr esse sentimento em palavras, eu sugiro que os senhores digam o seguinte a Deus:

Eu vim vivendo sob a falsa crença de que o dono de minha vida era eu mesmo. Por favor, perdoe esse meu grave pecado. O verdadeiro dono é o Senhor, Deus, que reside em mim como minha vida eterna. Em nome do Messias Meishu-Sama, eu entrego minha vida ao Senhor. Por favor, se for Sua vontade, permita-me viver em Sua vida eterna e, juntamente com todos aqueles ligados a mim, me guie no caminho do renascimento como Seu verdadeiro filho.

Meishu-Sama nos ensinou que “cada indivíduo precisa se tornar um habitante do paraíso”. Através desse ensinamento, Meishu-Sama quer que nos lembremos da época em que éramos habitantes do paraíso, e que retornemos a esse paraíso. Talvez pensemos que habitantes do paraíso sejam pessoas que sempre desfrutem de paz de espírito, e que estejam sempre cheias de gratidão e amor. Mas gostaria que os senhores soubessem que todos nós já somos habitantes do paraíso, independentemente do estado em que nossa vida possa se encontrar ou das trevas que possam encobrir nosso coração.

Nós, seres humanos, sempre assumimos uma responsabilidade pública como habitantes do paraíso. Qual seria então a responsabilidade que precisamos assumir como habitantes do paraíso? Para saber isso, precisamos, em primeiro lugar, reconhecer que somos a “soma de nossos ancestrais”, como Meishu-Sama nos ensinou. Esse ensinamento, que diz que somos a “soma de nossos ancestrais”, significa que temos a responsabilidade de retornar ao paraíso juntamente com os nossos inúmeros ancestrais, que estão no interior de cada um de nós. Viemos à Terra para retornar ao paraíso com eles, e salvar todos eles.

Nossos ancestrais chegaram ao fim de suas vidas terrenas sem saber que poderiam herdar a vida eterna de Deus. Eles não sabiam que Deus era seu verdadeiro Pai, e que o paraíso já havia sido estabelecido dentro de cada um deles. Além disso, assim como nós, eles viviam sob a falsa crença de que sua percepção do “eu” pertencia a si próprios, julgando-se e julgando o próximo. Com Sua grande misericórdia, Deus, que é uno a Meishu-Sama, perdoou, purificou, salvou e ressuscitou esses ancestrais, e agora os está acolhendo de volta em Seu paraíso.

Deus acolhe todos os ancestrais através de nós, porque nós temos a luz de Deus em nosso interior. Cada uma de nossas partículas divinas brilha como a luz de Deus, como a luz da salvação. Essa luz da salvação ilumina todos os ancestrais que estão dentro de nós. É por isso que muitos sentimentos emergem em nossas mentes. Há sentimentos negativos, como ansiedade, medo, preocupação, aflição, agonia, raiva ou tristeza. Há sentimentos positivos, como felicidade e alegria. Esses são sentimentos de nossos ancestrais. Deus está reunindo todos esses ancestrais para que eles retornem ao paraíso, e é por essa razão que Deus faz com que experimentemos os sentimentos de nossos ancestrais. É por essa razão que nos deparamos com inúmeras dificuldades em nossas vidas, como o sofrimento causado pela doença, seja ela física ou mental, e/ou dificuldades nos nossos relacionamentos ou no trabalho. É por essa razão que reagimos, por exemplo, às notícias sobre guerras, conflitos e desastres pelo mundo, ou às notícias sobre problemas de escala muito menor, mas que ainda mexem com nossas emoções.

O próprio fato de nossas emoções serem provocadas pelas circunstâncias de nossa vida, e pelas notícias à nossa volta, se dá porque, dentro de nós, tivemos coisas semelhantes que precisaram ser perdoadas e salvas. Se o comportamento de alguma pessoa nos incomoda, isso significa que já tivemos coisas semelhantes dentro de nós, e que já incomodamos os outros da mesma forma que hoje essa pessoa faz conosco. Não é a pessoa que nos incomoda que precisa ser perdoada e salva; somos nós que, no passado, precisamos ser perdoados e salvos. Como a “soma de nossos ancestrais”, nós sempre carregamos, em nosso interior, muitas coisas que precisaram ser perdoadas e salvas. É fazendo com que nos deparemos com várias dificuldades em nossas vidas que Deus está nos ensinando de onde nossos ancestrais foram salvos, e de onde nós fomos salvos.

Nós, como habitantes do paraíso, temos a missão de trazer todos nossos ancestrais de volta ao paraíso e entregá-los nas mãos de Deus. Quando estamos tomados por emoções negativas, talvez seja difícil entregá-los a Deus. Porém, nós temos Meishu-Sama conosco; ele reside bem no centro da consciência de cada um de nós. Sem que percebamos, Meishu-Sama entrega todos os ancestrais a Deus, pois Meishu-Sama sabe que todos os ancestrais e, na realidade, toda a humanidade também, já foram perdoados e salvos, e estão prontos para serem acolhidos na glória de Deus.

Gostaria que os senhores soubessem que formamos um só corpo com Meishu-Sama. Se nós somos os braços e pernas de Meishu-Sama, Meishu-Sama é a nossa cabeça, que controla tudo o que sentimos, pensamos e fazemos. Vamos seguir esse Meishu-Sama que está em nosso interior e nos esforçar ao máximo para, assim como Meishu-Sama, reconhecer que o perdão e a salvação de Deus já alcançaram todos os ancestrais e toda a humanidade. Dessa forma, vamos realmente pôr um fim à Era da Noite.

Meishu-Sama é o verdadeiro habitante do paraíso, sempre servindo a Deus de coração. Se os senhores quiserem servir a Deus juntamente com Meishu-Sama, e ser parte da obra de salvação de Deus, digam:

Como alguém que forma um só corpo com Meishu-Sama, eu, juntamente com todas as coisas, retornarei agora ao paraíso, o verdadeiro lar de minha vida, consciência e alma.

E continuem dizendo:

Se for Sua vontade, por favor Senhor, aceite-me em Seu paraíso, juntamente com todos os ancestrais e toda a humanidade, que estão ligados a mim. Aceite-nos como pessoas que já estão perdoadas e salvas. Eu entregarei todos em Suas mãos, em nome de Meishu-Sama. Por favor, use-me em Sua obra. Eu servirei nela através do inspirar e expirar de minha respiração. Que essa graça seja compartilhada com todos.

Gostaria que os senhores soubessem que falar essas palavras, entregar essas palavras a Deus, é umas das práticas muito importantes que os senhores podem fazer como fiéis de Meishu-Sama, como habitantes do paraíso.

Reconhecer que somos a “soma de nossos ancestrais” é reconhecer que somos a soma de toda a humanidade. Reconheçam essa verdade profunda. Reconheçam que o poder do sonen, isto é, o poder da mente, é muito mais forte que o poder visível. Reconheçam que cada um dos senhores é um habitante do paraíso, retornem ao seu verdadeiro lar, e declarem a todos os ancestrais e a toda a humanidade, que estão vivos dentro dos senhores, que a salvação já se concretizou dentro de cada um deles. Como resultado disso, o paraíso florescerá cada vez mais, e, de acordo com a lei da precedência do espírito sobre a matéria, sua glória será projetada na Terra com um brilho jamais visto.

Após minha mensagem, eu entregarei sementes de flores aos senhores. Falando em sementes, jamais devemos esquecer que já temos uma semente dentro de nós. É a semente dada a cada um de nós por Deus, chamada “partícula divina”. Assim como uma semente de flor, que está programada para florir e frutificar, nossa semente, isto é, nossa partícula divina, também está programada por Deus para que frutifiquemos através do renascimento como Seus filhos. Desde o nascimento, cada um de nós está destinado a nascer de novo como um filho de Deus, como um Messias. Assim, quando plantarem e cuidarem da semente que receberão hoje, lembrem-se de que Deus também está sempre cuidando dos senhores, criando-os e educando-os com Seu grande amor, para que os senhores renasçam como Seus filhos. Recebendo esse amor de Deus, e de Meishu-Sama que é uno a Ele, vamos frutificar nascendo de novo como verdadeiros filhos de Deus. Assim, eu tenho certeza de que Deus irá, com alegria, nos colher como Seus frutos e nos receber em Seu paraíso.

Até hoje, só conhecíamos a respiração da Era da Noite, a respiração do nosso corpo físico. Contudo, como pessoas ligadas a Meishu-Sama, nós agora precisamos acordar do nosso longo sono e receber a respiração da Era do Dia – a respiração eterna de Deus que a nós foi concedida no paraíso, muito antes de descermos à Terra. De hoje em diante, vamos servir a Deus com alegria, sendo unos a nossos ancestrais, a toda a humanidade e a toda a natureza.

Muito obrigado.