Palavras de Kyoshu-Sama
Viagem Missionária de Kyoshu-Sama à Região Oeste do Japão (Shikoku)
Encontro com membros
22 de maio de 2016
Himegin Hall, Mastuyama, Japão

A mensagem abaixo não é uma tradução literal da palestra dirigida aos membros da
Região Oeste do Japão no dia 22 de maio de 2016. Esta é uma nova mensagem
baseada na original em japonês, elaborada por Kyoshu-Sama para os membros de
fora do Japão.

Em 5 de junho de 1954, cinco seKyoshuSmanas após ter sofrido um derrame cerebral, Meishu-Sama convocou seus discípulos mais próximos à sua residência em Atami, o Hekiunso. Lá, ele declarou ter nascido de novo como um Messias.

Assim, Meishu-Sama cumpriu sua missão como ser humano – a missão de se tornar um filho de Deus, um Messias. Esta é a mensagem fundamental dos Ensinamentos de Meishu-Sama. Somente acreditando nessa mensagem e aceitando-a poderemos ser seguidores de Meishu-Sama.
O propósito de tudo o que fazemos e de tudo que passamos na vida, seja a ministração de Johrei, a distribuição de flores de luz, a purificação ou coisas mais corriqueiras e pessoais, é fazer com que possamos nascer de novo e nos tornar verdadeiros filhos de Deus – da mesma forma como fez Meishu-Sama. Nesse sentido, ainda não somos filhos de Deus. Nossa missão, como seres humanos, é tornar-nos filhos de Deus. Meishu-Sama é o nosso exemplo; ele é o
nosso antecessor que cumpriu essa missão.

Tornar-se um filho de Deus significa que precisamos retornar ao nosso verdadeiro lar e
nos encontrar com Deus. Meishu-Sama compôs um poema que diz:

Oh, Deus, o inverno e a noite não existem em Seu Paraíso!
Sua luz é o sol eterno.
O Senhor me acolheu em Seu Paraíso e me trouxe a salvação.
Aqueles que desejam ser salvos, venham!
Venham para o Paraíso de Deus.

O Paraíso de Deus não existe lá no alto, no céu, nem em nenhum lugar da Terra. O Paraíso, na realidade, encontra-se dentro de cada um de nós. Em nosso interior, Meishu-Sama está nos chamando para que retornemos a esse paraíso eterno, onde não existem trevas ou tristeza.
Se os senhores decidirem responder ao chamado de Meishu-Sama e retornarem ao Paraíso, acredito que Deus os estará aguardando nos portões do Paraíso, com um enorme sorriso em Seu rosto, dizendo: “Sejam bem-vindos de volta à sua verdadeira morada!”

Precisamos despertar para um tipo completamente novo de fé e de compreensão dos Ensinamentos de Meishu-Sama.

Na prática do Johrei, viemos canalizando luz para as pessoas como se nós a estivéssemos transmitindo a elas, como se a luz de Deus ainda não houvesse chegado a elas. Viemos acreditando que não havia nada de errado nisso. Na realidade, essa foi a nossa fé até hoje. Foi assim que entendemos o significado do Johrei e dos Ensinamentos de Meishu-Sama – a expansão da luz de Deus pelo mundo. Porém, eu gostaria que os senhores entendessem que, ao agirmos assim, viemos ignorando Deus, uma vez que admitimos que há pessoas às quais a luz de Deus ainda não chegou.

Será que a luz de Deus é tão fraca assim? Será que o poder de Deus é tão pequeno assim? É claro que não. Deus não está dormindo! Precisamos despertar para o fato de que a luz de Deus já alcançou todas as pessoas e todos os cantos da Terra.

Desta forma, a atitude correta ao ministrarmos Johrei é reconhecer e acreditar que a luz de Deus já alcançou a pessoa a quem o ministramos. Precisamos pensar o seguinte:

“Apesar dessa pessoa aparentar estar doente e precisando de luz, ou apesar
dessa pessoa não acreditar na luz de Deus, a luz de Deus já chegou a ela. Se a
luz de Deus já chegou até essa pessoa, a luz precisa retornar ao lugar de onde
veio – para o Paraíso onde Deus habita. Eu levanto minha mão para ministrar
Johrei para que eu possa reconhecer que, na realidade, é Deus quem está
levantando Sua mão para receber a luz que Ele emitiu para toda a
humanidade.”

Mesmo se as circunstâncias não permitirem que levantem a mão para ministrar Johrei, os senhores podem acreditar no poder de sua mente, de seu sonen, porque Meishu-Sama nos ensinou que o poder do sonen é infinitamente maior que o poder do corpo físico.

Meishu-Sama compôs um salmo que diz:

Grandiosa é a benção da Natureza.
Ela transformou uma alma invisível, única, em um ser humano!

Acredito que “uma alma invisível, única” se refere à alma de Deus ou ao espírito divino
que existe no interior de cada um de nós. Essa alma de Deus se materializou como um ser
humano pela graça da Natureza. Como é grandioso o Plano de Deus! O espírito divino de
Deus, o próprio Pai, transformou-se em um ser humano! Deus existe em nosso interior. Ele
existe dentro de cada um de nós.

Nós julgamos os seres humanos pelas suas ações, caráter, realizações e assim por diante. No entanto, independentemente de quem sejamos ou de nossas fraquezas, nós temos a alma de Deus dentro de nós. Talvez não tenhamos saúde, talvez não consigamos praticar boas ações, amar o próximo ou fazer os outros felizes. Mas será que isso importa? Temos a alma do próprio Deus Eterno dentro de nós! Será que não é isso a verdadeira salvação e a mensagem mais importante que precisamos divulgar a todo o mundo? Será que faz sentido buscar uma alegria passageira? Como poderemos ser salvos se estivermos em busca somente da felicidade material? Precisamos alcançar a felicidade que dura para sempre. Precisamos obter a salvação eterna. E lhes digo o seguinte: “Nós já a obtivemos. Já recebemos o espírito divino, a alma de Deus. A felicidade eterna já existe no interior de cada um de nós.”

É por isso que eu sempre digo: “Vamos retornar ao Paraíso que existe dentro de cada um de nós. Nosso espírito divino nos aguarda lá.” Os senhores podem pensar: “O que acontecerá se eu retornar ao Paraíso? O ato de retornar ao Paraíso não tem nenhum impacto no mundo visível, na Terra.” Essa é uma atitude de desrespeito a Deus! Como é grandiosa a graça de Deus, que preparou o Seu Paraíso em nosso interior! Como é maravilhoso o fato de que a própria alma de Deus existe no interior de cada um de nós. Nossa missão é retornar a esse paraíso, para sermos unos a Deus e nos tornarmos Seus verdadeiros filhos, Messias. Precisamos anunciar essa graça a toda a humanidade. Esta é a mensagem que Meishu-Sama quer que os senhores divulguem para todo o mundo – nascer de novo como um filho de Deus.

Nós nos esquecemos do amor de Deus e usamos o amor como se ele fosse nosso. Por exemplo, falamos de “amor ao próximo” ou nos incentivamos a pôr em prática o nosso amor. Entretanto, em ensinamentos como “Amor Daijo” e “Possua Fé Universal”, Meishu-Sama nos adverte que o amor humano é limitado e, comparado ao amor divino, é mal em sua essência, independentemente de quão forte ele seja.

Meishu-Sama quer que entendamos que o amor divino existe. O amor de Deus é simples: é o Seu perdão. Amor é o perdão de Deus. Não é o perdão humano; é o perdão divino. Deus quer que os senhores saibam que Ele já nos perdoou, já está pronto para nos acolher em Seu Paraíso e deseja tornar-se uno a nós e fazer com que nasçamos de novo como Seus amados filhos.

Sim, é verdade que nós éramos filhos de Deus no Paraíso, antes de virmos à Terra. Porém, assim que viemos à Terra, nos esquecemos de onde viemos, esquecemos quem era o nosso Pai e quem éramos na verdade. Nós nos esquecemos do que realmente significava ser um filho de Deus. No entanto, Meishu-Sama se lembrou disso. Ele lembrou que o Paraíso era o seu verdadeiro lar, para lá retornou e nasceu de novo como um filho de Deus, um Messias.

O amor de Deus existe. Seu perdão existe. Agora temos a permissão de retornar ao nosso verdadeiro lar, o Paraíso. Praticar boas ações, encaminhar pessoas à Igreja ou ministrar Johrei a muitas pessoas não são requisitos para que sejamos acolhidos no Paraíso. Os senhores já têm o direito de entrar no Reino de Deus. Desta forma, com o amor de Deus em nossos corações, vamos retornar ao Paraíso que existe dentro de cada um de nós e nos encontrar com Deus.
Estou certo de que, assim, Ele nos concederá o nome que começa com “Messias”, da mesma forma que concedeu a Meishu-Sama o nome Messias Meishu-Sama.