FullSizeRenderChamo-me Darmacia Rodrigues Teixeira Mendes, tenho 67 anos de idade, sou membro e dedico como encarregada do Grupo Sol, do Johrei Center do Riboque . Conheci a Igreja Messiânica Mundial de São Tomé e Príncipe, por intermédio de uma membro desta igreja, por motivo de fortes dores no corpo. Ao ingressar na igreja e colocando em prática as orientações básicas da fé a dor no corpo diminuiu consideravelmente, o que me levou a despertar para materializar o meu donativo de primeira graça e de outorga e tornar-me membro para melhor servir a Obra Divina.

A experiência de fé que vou compartilhar com os senhores está relacionada com a força do Johrei. 

No sábado dia 18 de março, tive a grande permissão de participar no aprimoramento e receber a orientação do Presidente da Igreja Messiânica Mundial da África,  Reverendo Claudio Cristiano Leal Pinheiro, em que nos mostrou na prática o que devemos fazer actualmente a fim de voltarmos ao ponto inicial e praticarmos uma fé que se liga ao Messias Meishu-Sama. Pois, naquele dia, o Presidente falou da importância de praticar o Johrei nas naves, em casa com nossa família, no nosso local de trabalho e demais locais, para que maior número das pessoas encontrem o caminho da felicidade. Sendo assim, no mesmo dia fui submetida a um teste de Deus e Meishu-Sama com relação a orientação recebida. Portanto, eu tenho uma filha que é médica e que se encontra grávida. Pelo seu estado, ela vem sentindo tonturas acompanhada de dores de cabeça, fraqueza e falta de apetite. Naquele dia ela foi visitar-me decidiu acomodar-se na casa da sua irmã que vivi na outra residência no mesmo quintal a fim de repousar um pouco porque sentia-se mal com os sintomas acima mencionados. Com o passar do tempo, as dores de cabeça intensificaram e como habitualmente a mesma toma comprimidos para aliviar, ela pediu a sua irmã para me chamar, solicitando se eu tinha os tais comprimidos uma vez que, ela não se fazia acompanhar dos mesmos. Fui ao encontro dela, disse-lhe que não tinha comprimidos em minha casa! Ela pediu que fosse comprar. Respondi que ao invés do comprimido eu iria lhe ministrar Johrei. Ela e a irmã ficaram um tanto indiferentes com a ideia e começaram a zombar de mim. Mesmo assim, não me importei. Pedi permissão a Deus e Meishu-Sama para que me utilizassem naquele instante a fim de fazer feliz a minha filha através da ministração do Johrei. Comecei a ministra-la Johrei acompanhado das orações e quando eram aproximadamente 20 minutos, ela levantou, sentou alegando que se sentia bem e pediu um fruto para comer. Fechei a ministração do Johrei, preparei os frutos solicitado por ela e lhe dei. Depois de comer os frutos, pediu bolachas e comeu.

Como ela já se sentia bem voltei a minha casa a fim de dar continuidade ao  trabalho que estava fazendo. Horas depois, já no cair da tarde ela despediu-se e retornou a sua residência sem nenhum mal-estar. À noite por volta das 20 horas, telefonei-lhe para inteirar-me do seu estado. Ela respondeu que estava muito bem, agradeceu pelo Johrei recebido, reconheceu o milagre e pediu se eu pudesse ir a sua casa dia seguinte a fim de ministra-la Johrei, ao que concordei com todo prazer e assim o fiz. Pois, para mim era uma alegria imensa a minha filha reconhecer a importância do Johrei e pedir para receber. Digo isso porque desde que conheci a fé messiânica, esta é a primeira vez que minha filha solicita por sua livre e espontânea vontade o recebimento do Johrei.

Aprendi que as pessoas só vão despertar por meio de milagres. Aprendi também que as nossas palavras não vão convencer as pessoas, mas sim a prática daquilo que são as orientações de Meishu-Sama.

Agradeço a Deus, ao Messias Meishu-Sama e aos meus Antepassados pela permissão de conhecer este caminho da felicidade. A todos os que escutaram este relato, os meus sinceros agradecimentos.

Muito obrigada.

São Tomé 22 de Março de 2017