IMG_5053

Palestra do Reverendo Claudio Cristiano Leal Pinheiro

2 de abril de 2017

Bom dia a todos!
Os senhores estão a passar bem?
Em primeiro lugar, gostaria de agradecer por toda a dedicação incansável de cada um dos senhores em prol da expansão da Obra Divina em Angola e por todo o continente Africano.

Neste momento estou no Japão, onde participei de aprimoramentos e do Culto da Primavera, realizado ontem, dia 1 de abril no Solo Sagrado de Atami, representando todos os senhores.

No próximo dia 14 de abril, celebraremos o culto de 07 anos de falecimento do nosso querido Reverendo Francisco Jesus Fernandes. Aqui na Sede Central e em todos os Centros de Aprimoramento e Johrei Centers de África, gostaria que fizéssemos uma grande marcha de limpeza e distribuição de flores e também de ministração de Johrei, como expressão de nossa gratidão pela sua existência e por ter sido utilizado pelo Supremo Deus e o Messias Meishu-Sama para plantar a semente da Fé Messiânica em nosso continente.

No dia 16 de abril será realizado o nosso próximo Congresso da Rede da Salvação, gostaria de contar com a presença de todos os senhores e que, juntos preparássemos a África para a realização desse Congresso, aprofundando mais ainda nas campanhas de limpeza nos lares, distribuição de flores, abertura de hortas, arborização e marcha de Johrei como temos feito, porém, convidando as pessoas, membros, frequentadores e visitantes de primeira vez para participarem do Congresso conosco.

A soma dessas práticas que temos feito em conjunto por toda a África, tem permitido despertar as pessoas que têm afinidade com a Obra Divina.

No Benin, um jovem frequentador, apesar de já ter recebido várias graças, não se preocupava em retribuir nem em falar da Igreja para ninguém. Um dia, ao visitar seus pais, que residem numa aldeia, o seu pai que é quimbandeiro e vidente, disse para ele: “ Você está a frequentar uma Igreja, não e? Ela é muito boa! Permaneça nela e se você praticar tudo o que estão a lhe orientar, a sua vida vai mudar. Você já não precisa do meu tratamento!” O jovem ficou muito espantado e ao voltar para a cidade e dedicar com empenho, chegando a encaminhar 4 pessoas para a Igreja, incluindo sua esposa.

Dias atrás, recebi uma experiência de Fé , que gostaria de compartilhar com os senhores:

Chamo-me Doroteia Jacinto Correia, tenho 22 anos de idade, sou missionária e dedico como assistente do grupo terra do Johrei Center do Rocha Pinto.
Conheci a I.M.M.A. no ano de 1998, por intermédio do meu pai Angelo Correia, membro de nossa Igreja. Os motivos que estiveram na base do meu encaminhamento foram: doenças, dificuldades financeiras e os conflitos conjugais que os meus pais passavam. Na altura, passávamos por muitas dificuldades que só foram ultrapassadas após ingressarmos na fé messiânica.
A experiência de fé que passo a compartilhar com os senhores está relacionada com a obediência no cumprimento das orientações recebidas dos nossos superiores e a dedicação no local de serviço.
É de realçar aos Irmãos, que terminei o ensino médio no ano de 2015, mas tive muitas dificuldades para ingressar no ensino superior por falta de possibilidades financeiras, pois eu não trabalhava. E em função da responsabilidade que meu pai tem para com os meus irmãos mais novos, e não só, pesava-me exigir que custeasse as minhas despesas com a faculdade.
Em julho de 2016 tive a permissão de participar de um encontro com o ministro coordenador do grupo jovem que teve lugar na Sede Central de África. Na ocasião, o ministro orientou-nos no sentido de aprofundarmos na implementação de hortas caseiras nas casas de todas as pessoas com quem temos afinidade e compromisso, com objectivo de divulgarmos esta coluna da salvação à sociedade.
Recebi a orientação com gratidão e graças a Deus e a Meishu-Sama com a ajuda do líder do grupo jovem da região, começámos a colocar em prática a orientação, actuando em diferentes unidades da região. Como a dedicação de implementação de hortas caseiras era feita baseada na programação dos Johrei Centers, sempre que terminássemos a dedicação, no encontro para o encerramento das actividades, muitos jovens vivenciavam grandes mudanças em suas vidas e como gratidão relatavam as suas experiências de fé aos participantes. E sempre que ouvia um jovem a relatar a mudança ocorrida na sua vida fruto dessa dedicação, motivava-me a continuar, a aprofundar cada vez mais nessa orientação. Até que um dia, ao regressar da mesma dedicação, meu pai informou-me que, havia falado com uma senhora sobre o meu desemprego e esta por sua vez, pediu-lhe que eu fosse ter com ela, pois precisava de alguém para trabalhar. Graças a Deus e ao Messias Meishu-Sama, no dia seguinte fui ao encontro da senhora e neste mesmo dia, após ser entrevistada, fui aprovada e comecei a trabalhar. Para agradecer essa mudança materializei um donativo de gratidão especial.
Quero ressaltar que trabalho no infantário, cuidando de crianças. Depois que comecei a trabalhar nessa organização, tomei conhecimento de que algumas crianças que temos cuidado, têm passado por algumas dificuldades de doenças e não só. Como somos duas messiânicas a trabalhar na mesma organização, então tomamos a decisão de começar a ministrar Johrei acompanhado com a leitura de ensinamentos de Meishu-Sama aos meninos da nossa sala, na hora em que estão a dormir, bem como colocar flores em todos os compartimentos do estabelecimento e oferecer aos outros colegas, colocando assim em prática a orientação do senhor Presidente. Graças a Deus e ao Messias Meishu-Sama, com essa prática começamos a notar certas mudanças no local de trabalho, com a vossa permissão passo a relatar os casos acompanhados:
I. Uma menina do infantário de três anos de idade, sua mãe informou que a mesma tem tido ataques de nervosismo, o que a deixava muito agressiva perante as outras crianças e consequentemente ficava febril nesses momentos. Diante dessa situação durante o período do sono passamos a ministrar-lhe Johrei acompanhado da leitura dos ensinamentos, e graças a Deus essa situação da menina ficou completamente ultrapassada, em casa os pais também reconheceram a mudança de atitude da menina.
II. Um menino de dois anos de idade, sofre de gripe e por essa situação sempre que dormisse, tinha dificuldades para respirar. Sua mãe informou-nos que por causa dessa doença o médico havia marcado uma cirurgia, mas a mesma só seria feita quando ele tivesse 4 anos de idade. Diante dessa situação também fomos assistindo este menino com Johrei e leitura de ensinamentos e graças a Deus e ao Messias Meishu-Sama, essa situação do menino tem vindo a melhorar significativamente.
A par dessas mudanças, uma colega do serviço que pertence a outra igreja, despertou e tem pedido Johrei nas horas livres, graças a Deus ela tem relatado mudanças que estão a ocorrer em sua vida. Ela afirmou que sofre de gastrite há bastante tempo e para solucionar o problema vem fazendo vários tratamentos hospitalares, inclusive lavagem estomacal, mas não obteve êxitos, depois que passou a receber Johrei e levar a flor de luz para casa passou a registrar mudanças significativas e já disponibilizou-se em conhecer a nossa Igreja.
Pela graça de Deus e do Messias Meishu-Sama, o meu trabalho tem corrido bem, e sou tida como uma funcionária exemplar, o que me proporcionou um aumento salarial e consequentemente consegui ingressar no ensino superior, numa faculdade privada.
Como gratidão por essas e outras mudanças ocorridas em minha vida, aumentou em mim o desejo de servir cada vez mais nesta maravilhosa Obra de Salvação fazendo feliz o meu próximo.
Com essa experiência de fé, aprendi que quando recebemos orientações superiores devemos de imediato colocá-las em prática, pois cumprindo-as é que alcançamos nossa felicidade.
Meu compromisso é de me empenhar cada vez mais em levar a felicidade para outras pessoas, encaminhando-as para o Messias Meishu-Sama e juntos participarmos na construção de um mundo melhor.
Por permissão de Deus e do Messias Meishu-Sama já encaminhei 30 pessoas a igreja, cuido de uma casa de frequentador com 4 pessoas, faço o dízimo, donativo de construção, tenho a horta caseira e peregrino aos locais de maior luz.
Agradeço a Deus, Meishu-Sama e aos meus antepassados pela permissão de conhecer esse maravilhoso caminho da salvação.
Aos ministros, missionários, membros e frequentadores e a todos que atentamente me escutaram, os meus mais sinceros agradecimentos. Muito Obrigado!

Essa experiência me emocionou muito, a começar pela postura da jovem Doroteia, de entender a dificuldade dos pais em lhe enviar para a faculdade. Actualmente vemos muitas pessoas que ao enfrentarem situações parecidas caem na lamuria e no desespero, esquecendo até mesmo de tudo o que os pais já fizeram por si e apenas a reclamar pelo que não podem lhes oferecer. A sua postura de compreensão e de gratidão pelos pais e irmãos é um tesouro que precisamos transmitir aos nossos filhos e netos. Além dessa postura, ela escolheu o caminho da dedicação, de fazer o próximo feliz participando da montagem de hortas caseiras junto com o grupo jovem. Através da dedicação ela conseguiu emprego e não ficou acomodada na graça recebida, pelo contrario, se empenhou para praticar a fé no local de trabalho, aprofundando no servir as pessoas a sua volta, através do Johrei e da prática da Ikebana. Naturalmente, começou a crescer no seu trabalho, a ponto de poder custear seus estudos.

Essa experiência nos leva a várias reflexões. Quando enfrentámos um problema, acredito que o principal é sempre lembrarmos que é uma oportunidade para nos voltarmos mais ainda para Deus, para reconhecermos Sua existência em um nível maior, mais profundo.

A questão não é se o problema se resolve logo, mas o que estamos a aprender com ele? Estamos a receber a dificuldade com gratidão?

A jovem Doroteia recebeu com gratidão e materializou esse sentimento através da dedicação em prol da felicidade do próximo.

Outro ponto é: “Qual a nossa postura ao recebermos uma graça?” Muitas pessoas ao conseguirem a graça de um emprego, deixam de dedicar alegando que não têm tempo. Doroteia nos mostrou que quem quer, sempre encontra um caminho, quem não quer sempre encontra uma desculpa! Ela começou a servir no seu próprio local de trabalho. A fé messiânica é pragmática, precisamos praticá-la em casa, na escola, no trabalho, na rua, onde quer que estejamos.

O objectivo de recebermos as graças é para termos condições de servir a Deus, de reconhecer a Sua existência e sermos instrumentos para levarmos outras pessoas a reconhecerem a existência de Deus e colocá-lo no centro das suas vidas. Precisamos estar sempre atentos para não deixarmos de cultivar a prática do servir. O servir através da dedicação e da assistência às pessoas e que nos fortalecerá cada vez mais e nos permitirá acumular experiências e ganharmos convicção.

Essa que é a base para que nosso lar seja composto por uma família convicta e que possamos ser utilizados por Deus e pelo Messias Meishu-Sama para fazermos o mesmo nos lares das outras pessoas.

Muito obrigado a todos e até o nosso Congresso da Rede da Salvação no próximo dia 16 de abril na Sede Central da África.