IMG_5778Chamo-me Feliciano Lukombo Lito, tenho 47 anos de idade, sou missionário e dedico como encarregado da rede da salvação de Baio

Conheci a IMMA, em 2008, por intermédio do senhor Manuel Malungo, membro desta Igreja.

Os motivos do meu encaminhamento foram doenças, dificuldades financeiras e conflito durante 8 anos.

Para solucionar esses problemas, recorri a curandeiros e centros de saúde. Gastei avultada soma de dinheiro, sem com isto obter resultados satisfatórios. Pelo contrário tudo parecia piorar.

O senhor acima referido compadecido com o meu sofrimento, encaminhou-me a Igreja Messiânica, onde fui recebido pelo plantonista, que ouviu-me atentamente, e orientou-me a cumprir as práticas básicas da fé messiânica.

Cumpri com as orientações durante um mês, e todo problema que carregava ficou ultrapassado.

A experiência de fé que passo a relatar para os senhores, está relacionada com o despertar no cumprimento da minha missão e a mudança do meu sonen.

Há 3 anos, que dedico como encarregado da rede, disponibilizei um quarto na minha casa, onde passavamos a fazer desafios, assistência nas casas dos membros todos os dias, mas a frequência não mudava, não passavamos de 11 no número de presenças na rede diariamente. Desesperado achava que aquela realidade não mudaria mais, e passei a dedicar apenas na forma.

Com a dedicação dos responsáveis de Benguela, continuamos as marchas de Johrei nas casas dos membros e frequentadores, também tive a permissão de fazer a minha reflexão profunda, falando das minhas fraquezas e tudo que me afligia com o responsável Katerça.

Quero aqui realçar, que era viciado pelas redes sociais principalmente do facebook, onde quer estivesse não largava o telemóvel, ficava o tempo todo no facebook, algo que não conseguia controlar.

Tentei por várias vezes procurar o ministro para me abrir mas, receando que talvez ele poderia ficar zangado comigo, acabava sempre por desistir de o procurar.

Com esta minha maneira de pensar, o apego foi crescendo a ponto de até na hora do jantar ter uma mão no telefone e outra no garfo, e assim nem prestava atenção a minha família.

O vício era tanto que certo dia, de tão entretido que estava no facebook, quando olhei para o relógio já eram 5 horas da manhã, fiquei com vergonha de mim mesmo. Esquecia-me da leitura dos ensinamentos e das orações em família.

O outro ponto é que quando estava na rede, se não viesse muita gente ficava feliz, porque assim sobrava mais tempo para ficar no facebook sem ser incomodado. No Johrei Center, no dia do plantão da rede, era a mesma coisa, se tivesse muitas pessoas para receber Johrei, ausentava-me e me escondia no banheiro, durante horas para navegar.

Quanto a leitura dos ensinamentos, quando abria o ensinamento para ler, uma voz me incentivava e entrar no facebook, para ver algumas mensagens, e assim me esquecia da leitura.

Com este meu comportamento, minha esposa começou a brigar comigo. Procurava orar, mas notava que nada resultava. Assim sendo, tomei a decisão de falar com o responsável Mário Manuel Caterça, sobre todas as minhas fraquezas e de tudo que me afligia, fiz a reflexão profunda. Finalmente encaminhámos  todas as dificuldades que me impediam, orientou-me a materializar um donativo de pedido de perdão e um donativo especial para a construção, assim o fiz.

Com a inundação da minha casa devido as chuvas, um frequentador dispensou o seu armazém para desenvolvermos as actividades da rede, onde prosseguimos com as actividades habituais. Para minha surpresa a frequência subiu de 11 pessoas para 62 ao dia. Devido a afluência das pessoas, ficava a atender até as 20 horas e 30 minutos, nem tinha tempo para dar uma olhada no facebook. Comecei a ler e a estudar mais os ensinamentos. Com minha agenda tão preenchida com atendimentos e entrevistas, nem dei conta que já se tinham passados três dias que não navegava no facebook, mas minha família apercebeu-se e um dos meus filhos comentou o facto de ter conseguido desapegar.
Com esta mudança em mim, a harmonia voltou a reinar na minha família, meus filhos passaram a participar das orações em família.
Na rede de salvação já consigo atender um maior número de frequentadores e primeira vez, fruto disso passo a relatar algumas experiências fé.

1- Uma frequentadora que não conseguia dormir, porque era atormentada com barulhos estranhos no tecto e a partir de 01 hora da madrugada, sua criança entrava em choros inconsoláveis. Ouvi-a e orientei-a, graças a Deus e ao Messias Meishu-Sama depois de cumprir com as orientações, tudo voltou ao normal.

2- Um frequentador, trouxe-me almoço e convidei-o a comermos. Este contou-me um sonho, que teve dizendo que se encontrava na marcha de bate-portas, quando apareceu um amigo que já se encontra no mundo espiritual, que lhe chamou e disse que o tem visto quando bate as portas. Pediu que ficasse com ele, porque estava num lugar muito isolado, pediu-lhe ajuda para sair daquele lugar. Disse também que estava a passar fome, nisso um outro amigo chegou e convidou-lhe a comer, mas este ficou com muito medo. Despertou muito assustado. Daquele dia em diante, ganhou mais força para realizar suas dedicações, e passou a cultuar seus antepassados inclusive seus amigos.

Aprendi que quando nos entregamos de verdade a Deus, conseguimos ultrapassar a barreira que nos impede de crescer.

Meu compromisso é esforçar-me na minha tarefa e elevar o Núcleo de Johrei a Johrei Center o mais rápido possível.

Agradeço a Deus, ao Messias Meishu-Sama, aos meus antepassados e ao irmão Manuel Malungo pelo encaminhamento a esta Obra de Salvação.
Aos ministros, responsáveis, membros, frequentadores minha eterna gratidão.

Ondjiva, aos 26 de Março de 2017