Chamo-me Madalena Monteiro Pereira da Silva, DSC02902-22tenho 20 anos de idade, resido no Distrito do Sambizanga. Sou membro e dedico como encarregada do sanguetsu do Johrei Center do Sambizanga. Conheci a Igreja Messiânica Mundial no mês de Maio de 2015 por intermédio da minha mãe, Maria Filomena Monteiro frequentadora.

O motivo que me levou a conhecer a igreja, foi conflito familiar. Depois da morte do meu pai, surgiu um desentendimento familiar, por causa da herança da casa dos meus avôs da qual, ele, tinha herdado uma parte. Esse conflito gerou um mau clima no seio da família, porque os familiares do meu pai receberam a casa em que residíamos e junto com a minha mãe acabamos sendo despejados da casa.    Assim sendo,  fomos forçados a dirigir-nos para a casa da minha irmã onde passamos a residir.

Para agravar ainda mais o sofrimento, passado algum tempo, surgiu outro conflito com a minha irmã. Esta passou a desconfiar de mim, tendo chegado ao ponto de acusar-me de estar a namorar com o seu marido. Assim, a minha situação piorou ainda mais. Foi em meio a extremo desespero que minha mãe, sem mais saber o que fazer, me encaminhou para a Igreja Messiânica, em busca de Deus. No Johrei Center fui recebida pelo plantonista, que após escutar o relato do meu sofrimento, orientou-me as práticas básicas da fé, as quais passei a colocar em acção; e, em pouco tempo de prática, o quadro evoluiu para melhor. Reconciliei-me com a minha irmã e a harmonia voltou a reinar novamente.

A experiência de fé que passo a relatar para os senhores está relacionada com a importância da pessoa adoptar uma postura que dignifica a fé que professa.

Após a outorga, recebi a graça de dedicar no sanguetsu. Dedicava mas, levava as dedicações sem seriedade; não tinha postura correcta para dedicar. Essa postura fez com que os membros da minha família desacreditassem a minha fé, e gerou desconfiança tanto no seio familiar, quanto no meu relacionamento amoroso. Os conflitos e a desconfiança, se agudizavam a cada dia que passava e, nessa altura nada do que fazia dava certo. Essa purificação, durou cerca de três meses.

Após a purificação abrandar, retomei as dedicações, mas, por não ter melhorado de postura, isso em nada adiantou.

Todas as dedicações se tornaram motivo de conflito; meu marido tornou-se ainda mais agressivo comigo, inclusive contratou pessoas para me controlarem, sempre que saísse de casa, para a igreja. Para ir a igreja tinha que fugir. Se ele se apercebesse que sai de casa para ir dedicar, era motivo de conflito em casa. Confesso que não foi fácil ultrapassar essa fase da minha vida.

Certo dia, aflita, triste e, com decisão de abandonar o lar, deparei-me com um missionário em plantão que, ouviu-me atentamente, e de seguida fomos ao altar entregando tudo nas mãos de Deus e Meishu-Sama. Orientou-me que mudasse de postura, e aconselhou que contactasse a professora do sanguetsu, para mais orientações.

Nessa fase, a professora estava a unir as sangueteiras com a programação de marcha e limpeza em nossas casas. Após as dedicações, reassumi o meu verdadeiro compromisso com Deus e Meishu-Sama. Ganhei forças nas dedicações, com isso formamos uma dupla de encarregadas do Sanguetsu e a encarregada do Grupo Terra, as duas equipas passaram a marchar juntas. Dessa dedicação obtivemos os seguintes resultados:

Abrimos 4 casas, das quais a da minha vizinha. Constatei que ela vivia os mesmos problemas que eu, e também que era viciada em jogos.

Depois das assistências intensivas de Johrei, orações e flores, o problema de 8 anos que ela enfrentava, foi ultrapassado, e hoje ela frequenta a igreja.

Um jovem com perturbações mentais, que para dormir tinha de ser amarrado, sua mãe após ter recebido uma flor, houve uma grande mudança. Hoje o mesmo, dorme, come, sem ser necessário amarrá-lo. A mãe que há vinte anos vivia numa casa apertada, ganhou a permissão de ter uma casa nova e enorme. Hoje, ela recebe-nos com muita alegria, como se fôssemos filhas.

Outra frequentadora, cuja filha de um ano, dormia com os braços cruzados, após a assistência o quadro mudou e, também, ganhou a permissão de ter uma nova casa.

Uma senhora que ignorava a nossa igreja cuja filha frequentadora padecia com paralisia e problemas dos rins, depois que viu que com o cumprimento das praticas básicas, sua filha apresentou melhorias, prontificou-se dizendo: “Minha filha, tem cadeira de rodas, ela pode passar a ir à igreja e, eu também preciso conhecer a igreja para passar a frequentar.”

Minha sogra, depois que recebeu Johrei pela primeira vez, sentiu-se muito bem, e totalmente alegre.

Os meus familiares que sempre falavam mal de mim, por não gostar de procurá-los, hoje, frequentam com regularidade a minha casa.

Meu esposo, está mais amoroso e compreensível comigo e, a paz reina no nosso lar.

Aprendi que, quando nos entregamos na obra do Supremo Deus e Meishu-Sama, tudo se desenvolve naturalmente. Ganhei muita força nas minhas dedicações. Aprendi, também, que o filho que não obedece seu pai cai no abismo, e, quem vive para servir torna-se feliz.

Meu compromisso é continuar a fazer cada vez mais as tarefas da salvação.

Junto com a minha equipa cuidamos de 4 casas de membros e 4 de frequentadores; faço o dízimo, donativo diário e de construção, e tenho a horta caseira.

Agradeço a Deus, ao Messias Meishu-Sama e aos meus antepassados, pela permissão de conhecer este maravilhoso caminho da salvação.

Aos Ministros, Responsáveis, Membros e Frequentadores que sempre estiveram presentes ajudando no meu crescimento, os meus sinceros agradecimentos.

Luanda, aos 15 de Maio de 2017