Chamo-me Helena Isabel Tavares Dias,IMG_0588 tenho 43 anos de idade e resido em São Marcos, São Tomé e Príncipe, sou membro dedicante do Centro de Aprimoramento da Marginal 12 de Julho.
Conheci a Igreja Messiânica Mundial de São Tomé e Príncipe em Dezembro de 2013, encaminhada pelo irmão Luís Stock, missionário desta instituição religiosa.
Os motivos que me levaram a frequentar a igreja foram doença do meu filho, que sofria de fortes dores de cabeça, causando-lhe paralisia num lado do corpo, o que lhe impedia de andar normalmente e dificuldades financeiras.
Certo dia em que me encontrava no Hospital Central a cuidar do meu filho que estava internado, um jovem entrou na enfermaria e pôs-se a levantar mão em direcção aos doentes, assim que chegou perto do meu filho fez o mesmo e passado alguns minutos ele que estava contorcendo com dores de cabeça, ficou quieto. Dias depois, ele voltou, fez o mesmo, falou-me da igreja e convidou-me a conhecer. Não dei importância ao convite e mais tarde meu filho voltou a ter crises de dores de cabeça. Nesse ínterim, ele lembrou-se da oração de mão levantada que na altura fez cessar as dores que tinha e pediu-me para procurar o benfeitor para voltar a fazer oração. Foi assim que acabei procurando a igreja e passar a frequentar.
Ao chegar na unidade, fui recebida pelo plantonista que orientou-me a receber 10 Johrei por dia, fazer limpeza na nave, fazer limpeza na casa de banho, distribuir flores, encaminhar pessoas na porta da unidade, assistir aos cultos, fazer a horta caseira, colocar flores em casa e participar das outras dedicações.
Cumpri com essas orientações e em pouco espaço de tempo meu filho começou a melhorar, a tristeza e o desânimo deixaram de fazer parte da minha vida e ouvindo as palestras despertei para servir a Deus e Meishu-Sama. Para a concretização desse sentimento, decidi tornar-me membro para também ministrar Johrei nas outras pessoas. Para a materialização deste desiderato, fui agraciada com a participação numa formação de pequenos negócios, com um subsídio diário de 100 mil Dobras durante 15 dias, dinheiro esse com o qual materializei o meu donativo de outorga e fui outorgada no dia 21 de Dezembro de 2014, na nossa futura Sede Central em Palmar.
A experiência de fé que passo a relatar para os irmãos está relacionada com o donativo especial para a construção da Sede Central de São Tomé e Príncipe.
Ao ouvir sobre a necessidade de nos esforçarmos para construirmos a nossa Sede Central e a importância de participarmos na sua construção praticando donativo de construção dirigida, decidi praticar. Foi assim que desapeguei de todo meu salário, materializei o meu primeiro donativo de esforço máximo no mês de Fevereiro. Após praticar essa dedicação, eu que vinha passando por purificação ligada ao conflito conjugal, a mesma intensificou ao ponto do meu marido sair de casa e ficar fora durante três meses, fizemos as pazes ele voltou para casa. Algum tempo depois ganhei permissão de fazer outro esforço máximo e o marido voltou a sair de casa e ficar mais uns meses fora.
Mesmo passando por essas peripécias, voltei a fazer o terceiro esforço máximo e o donativo de outorga para o meu filho. Um mês depois ele partiu para o Mundo Espiritual. Depois do falecimento do meu filho e depois de ter completado 20 dias, o meu marido voltou a sair de casa, levando parte dos meus pertences, ainda assim, antes de sair destruiu a geleira, a televisão, quebrou o retrato de Meishu-Sama, matou todos os patos e as galinhas que tinha no quintal e tentou arrancar o meu Sagrado Ohikari do pescoço. Felizmente esse intento não foi consumado porque tive a protecção do Messias, o Ohikari apenas acabou por cair.
É de salientar que assim que fiz o terceiro esforço máximo descobri que ele mesmo sendo membro, tinha contacto com as práticas da era da noite. Agradeci por tudo que estava acontecendo, não vacilei e continuei a dedicar.
Ultrapassada essa fase de purificação, o meu irmão que se encontra em França há mais de 30 anos, que a minha mãe já não sabia se ele estava em vida, voltou ao país depois de todos esses anos ausente para nos visitar.
O meu irmão que se encontra em Portugal, me enviou uma quantia em dinheiro para usar na construção da minha casa.
A minha patroa me ofertou uma carrinha de brita, uma de areia para utilizar na construção da minha casa e aumentou o meu salário.
Com todas essas purificações e graças, pude aprender que preciso participar na construção da Sede Central de São Tomé e Príncipe, e que o esforço máximo ajuda-nos a eliminar as máculas mais profundas dos nossos antepassados.
O meu compromisso é de acompanhar casas, ajudando outras pessoas a saírem do sofrimento como me ajudaram.
Agradeço a Deus, ao Messias Meishu-Sama e aos meus antepassados pela permissão de estar servindo da Obra Divina.
A todos, os meus sinceros agradecimentos.
Muito obrigada!

São Tomé, 06 de Agosto de 2017