Chamo-me Josefa Mateus Dala, tenho 44 anos de idade e dedico como responsável do Núcleo de Johrei Popular, da Província do Uíge.

23476745_1919930698024749_174475404_nConheci a I.M.M.A em 2003 por intermédio da irmã Arminda Carlos, membro e dedicante desta igreja.

Os motivos que estiveram na base do meu encaminhamento foram:

  • Doenças;
  • Conflitos conjugais e familiares;
  • Maus sonhos.

Quanto à doença, sofri de constantes dores de cabeça e de bexiga. No que se refere ao conflito conjugal, este durou cerca de 3 anos, chegou a ponto de separar-me do meu marido e como consequência disto perdi todos os bens materiais que possuía incluindo a casa. Esse conflito envolveu a minha família. Certo dia, a irmã Arminda Carlos, sonhou com a minha mãe que se encontra no Mundo Espiritual dizendo-lhe que a minha salvação está na Igreja Messiânica.

Quando despertou era um sonho. Ao amanhecer mandou-me chamar e contou-me a respeito do sonho. Para ser sincera, no mesmo momento não aceitei o que a irmã Arminda falou para mim, pois ela não conheceu minha mãe durante o tempo que habitou o mundo material. Por este motivo achei que era forma dela levar-me à sua igreja, por isso não considerei o sonho como realidade e voltei para a minha casa.

Dois dias depois, voltou a sonhar com a minha mãe. Quando lá cheguei pela segunda vez, levou-me até ao Johrei Center do Sambizanga aqui em Luanda, onde fui atendida pelo plantonista que após ouvir-me orientou o seguinte:

  • Receber 10 Johrei por dia;
  • Manter a flor de luz em casa;
  • Dedicar na nave e no banheiro;
  • Fazer o auto exame da fé todos os dias;
  • Fazer leitura dos ensinamentos de Meishu-Sama;
  • Peregrinar ao Cacuaco, Bom Jesus e Sede Central;
  • Distribuir flor e encaminhar outras pessoas.

Cumpri as orientações sem dificuldades e após 15 dias, as dores de cabeça, bexiga, os maus sonhos e os conflitos familiares foram solucionados. Com este milagre, despertei, fiz o meu donativo de ingresso na fé e tornei-me membro para melhor servir na Obra Divina.

A EXPERIÊNCIA DE FÉ QUE PASSO A RELATAR AOS SENHORES, ESTÁ RELACIONADA COM O PLANTÃO NA SEDE CENTRAL E A REFLEXÃO PROFUNDA.

No final do mês de Julho, fomos comunicados pelo nosso responsável da área a respeito de participarmos no plantão da Sede Central de África. Como não tinha dinheiro para o transporte, resolvi levantar no banco. Chegando lá, coloquei o cartão multicaixa devidamente sem errar o código, porém o mesmo ficou preso durante dois dias, facto que levou-me a tratar outro.

Mesmo com outro cartão, não consegui levantar dinheiro, porque o mesmo não estava activado. Foi assim que fui ao balcão pedir cheques, deram-me com desconto de 2 700, 00 kwanzas.

No dia 06 de Agosto do corrente ano, ganhei a permissão de participar do plantão da região na Sede Central de África, e no dia 12 do mesmo mês, decidi então fazer a reflexão profunda com o Ministro.

Caros irmãos, confesso que por várias vezes fiz a reflexão profunda, mas tinha sempre alguma coisa que guardava dentro de mim, não contava para ninguém, nem mesmo ao Ministro. Mas, neste dia decidi abrir meu coração falando tudo e não deixar nada.

Eu tenho 3 filhos fruto de duas relações, um destes filhos que já se encontra no Mundo Espiritual, não conseguia cultuá-lo, nem tinha feito seu sorei-saishi e por fim troquei a sua linhagem. Sempre pedi perdão a este ex-marido mas ele não aceitava, pois dizia que estava a arranjar um caminho para encaminhá-lo a nossa igreja, por fim falou-me:

– “Se estão a te pedir pessoa, entrega da tua família!”

As pessoas sabiam que todos os meus filhos eram de um só pai. Foi então que abri meu coração e falei isso ao Ministro e sobre outras dificuldades que enfrentava na unidade religiosa.

O Ministro orientou-me a fazer a prática do sonen todos os dias, e pedir perdão aos antepassos do meu ex-marido, ter gratidão por este homem, pois é através dele que hoje conheço Meishu-Sama.

No dia 14 de agosto, regressei a minha província e comecei a colocar em prática as orientações do meu superior. Dia seguinte, recebi uma ligação com um número estranho, não o atendi. Em seguida, mandou-me uma mensagem dizendo:

– “Estás perdoada por Deus. Preciso falar contigo, por favor atende o telefone.”

Enviei-lhe um liga só e ele voltou a ligar. Ao ouvir sua voz, dei conta que era o meu ex-marido, perguntou como eu estava e como ia a minha missão na igreja, depois falou:

– “Enquanto você não pedir perdão ás pessoas magoadas, Deus e os antepassados também não te vão perdoar, por isso, a partir de agora peço-lhe perdão e pode falar comigo quando quiser!”

O facto que mais me admirou foi quando ele falou-me sobre a nossa casa que eu havia perdido após a nossa separação.

– “Como eu já fiquei durante 14 anos nesta casa, agora precisamos ter uma conversa sobre a mesma, pessoalmente aqui em Luanda.”

Sendo assim, no mês de Setembro, decidi vir a Luanda, ao encontro dele, na casa dos seus pais. Disse o seguinte:

 – “Hoje quero lhe pedir perdão por todo mal que fiz a você. Muitos têm filhos e mulheres mas estão a sofrer assim como eu. Agora preciso da sua ajuda, pois minha mulher ficou grávida com meu vizinho, portanto, se não ajudar-me eu posso perder a vida!”

Em seguida, minha ex-sogra e o meu ex-sogro, falaram os seus pontos de vista. Por fim, falei a eles que estava muito grata por tudo aquilo que o meu ex-marido me fez passar, pois através dele hoje tenho Meishu-Sama e sou feliz. Meu ex-sogro perguntou:

– “Estás na província do Uíge em missão da igreja, com quem você mora lá?”

Respondi-lhe que vivo sozinha. Ele continuou:

– “Então como este é o caso, vamos entregar tudo nas mãos de Deus.”

Mas meu ex-esposo pediu reconciliação. No momento, falei a ele que tinha que pedir orientação ao meu superior, e só lhe darei a resposta em Dezembro do corrente ano, pois ele já tem duas mulheres. Ele chorou bastante mas não podia fazer nada.

Quando regressei à província do Uíge, falei com o meu superior, e no mesmo instante o espírito do meu falecido filho incorporou em mim e falou o seguinte:

– “Eu vivia no inferno aqui no Mundo Espiritual, porque a minha mãe havia trocado a minha linhagem. O meu nome é António Mateus Virgílio e ela me cultuava com o nome de António Mateus Alexandre, mas após ela ter feito a reflexão profunda e o meu sorei-saishi, hoje estou num nível superior ao do inferno. A partir de agora, ela vai conseguir materializar o donativo para o seu altar do lar!”

Depois da reflexão profunda tive algumas mudanças que passo a relatar:

Há 14 anos atrás, depois de separar-me do meu marido, ele confiscou a nossa casa. Graças a Deus e ao Messias Meishu-Sama, consegui recuperá-la sem nenhum conflito.

Minhas duas irmãs que não se falavam durante 3 anos, reconciliaram-se e hoje já conseguem conversar normalmente.

Na unidade religiosa, vivia em conflito com os missionários mas, após a reflexão profunda e o meu relato de fé, hoje o conflito deixou de existir e outros missionários também estão a fazer a reflexão profunda.

Com esses milagres, aprendi que tanto a criação do Paraíso como a criação do inferno, tudo depende do pensamento do homem.

Meu compromisso é de aprofundar cada vez mais na limpeza do meu sonen para que possa participar da salvação de outras pessoas.

Pela permissão do Supremo Deus e do Messias Meishu-Sama, encaminhei 500 pessoas na fé dos quais 96 são membros. Tenho a imagem de Kannon em casa, faço dízimo, donativo diário e de construção, cuido de 6 casas de membros e 3 de frequentadores num total de 15 membros e 12 frequentadores.

Agradeço a Deus, ao Messias Meishu-Sama e aos meus Antepassados pela permissão de conhecer este caminho da salvação.

Aos ministros, responsáveis, membros e frequentadores que ouviram o meu relato de fé o meu muito obrigado.