Chamo-me Manuel Tomé Monteiro, Manuel Tometenho 63 anos de idade, resido em São Marçal, sou membro desta instituição religiosa, trabalho como segurança do Centro de Aprimoramento de Almeirim e dedico como encarregado das hortas caseiras.

Conheci a Igreja Messiânica Mundial de São Tomé e Príncipe em 2012 por intermédio da irmã Mercina, membro afastada desta igreja, por motivos de desemprego e dificuldade financeira.

Na igreja fui recebido pelo plantonista que depois de ouvir-me atentamente, orientou-me a receber

  • Johrei diariamente;
  • Participar dos cultos e cultuar os antepassados;
  • Fazer limpeza na nave e no banheiro;
  • Manter a flor de luz em casa e oferece-la à outras pessoas.

Empenhando no cumprimento das orientações, em pouco tempo comecei a constatar mudanças. Para agradecer essas mudanças, materializei um donativo especial de primeiras graças e posteriormente de outorga tendo recebido o sagrado Ohikari no mesmo ano.

A experiência de fé que vou compartilhar com os senhores está relacionado com treino de desapego.

No dia 07 de Setembro deste ano, completei 63 anos de idade. Encontrando-me de serviço aqui no Centro de Aprimoramento de Almeirim, comecei a refletir sobre mim mesmo e a bênção de poder completar mais uma primavera, continuando a caminhada neste mundo. Refleti sobre a vida, desde que conheci Meishu-Sama e também sobre como tenho manifestado a minha gratidão. Face a reflexão, percebi que me falta muita gratidão por tudo que já ganhei na vida depois de conhecer este caminho. Para melhor agradecer a Deus e Meishu-Sama pelos 63 anos de vida, criei o sonen de fazer um donativo especial dirigido à construção da Sede Central de Palmar, uma vez que ainda não havia participado.  Com esse sentimento, empenhei-me e um mês depois fui agraciado com um pequeno trabalho, após concluir parte do trabalho, recebi a remuneração e canalizei todo o valor para o donativo de construção.

Confesso que não foi fácil, porque o apego que manifestava em mim era muito forte. Mas graças a Deus e à Meishu-Sama, consegui encaminhar esses antepassados que estavam a se manifestar com o apego e consegui materializar o meu donativo de construção dirigido à Sede Central de Palmar pela primeira vez. Depois de fazer esse donativo, senti-me leve, percebi que fiquei mais alegre e motivado para servir na Obra Divina.

Aprendi que a prática da gratidão é o melhor caminho que nos leva a felicidade.

Meu compromisso é continuar a empenhar-me para ter a permissão de participar activamente na Obra Divina.

Agradeço ao Supremo Deus, ao Messias Meishu-Sama e aos meus antepassados por esta grande permissão de servir em prol da felicidade de outras pessoas.

A todos  os meus sinceros agradecimentos.

São Tomé, 16 de Novembro de 2017