Chamo-me Cipriano Sousa Riqueza, Ciprianotenho 43 anos de idade, resido em Acaé Pubel Libreville Gabão, e dedico como responsável do Núcleo de Johrei de Acaé Pubel.

Conheci a Igreja Messiânica Mundial no dia 3 de Outubro de 2012 em São Tomé, por intermédio da minha irmã Feliciana, membro desta igreja.

Os motivos dos meus sofrimentos foram: doenças constantes, dificuldades financeiras e conflito conjugal. Ao ingressar na igreja e entrando em contacto com o Johrei, todos os problemas cessaram consideravelmente.

A experiência de fé que venho compartilhar com os irmãos, relaciona-se a purificação vivenciada na minha missão em Gabão.

No dia 9 de Maio de 2016 ganhei a permissão de viajar à República Gabonesa para expansão desta grande obra, numa missão de 3 meses. Ao chegar, fiz uma grande reflexão, analisei a origem, a tradição e costume do País onde constatei que todos estão submetidos a trabalho todos dias da semana. Desta forma orei e pedi orientação ao Messias Meishu-Sama e aos meus antepassados para que me ajudassem a cumprir esta missão. Foi assim que no dia seguinte elaborei uma programação com uma meta definida, aprofundando frequentemente nas orações. A partir desta ocasião, as coisas tornaram-se mais difíceis para mim. Certo dia ao passar defronte a uma igreja que situa a 20 metros de distância da nossa igreja acompanhado de um membro de nome João, deparamos com o pastor da mesma que também é comandante da polícia de Jandarme. Este estava conversando com uma senhora da sua tribo sobre a nossa igreja, pensando que o irmão João fosse o pastor da Igreja Messiânica no Gabão, dizendo o seguinte:

– “Este Homem não pode ser um pastor! Um pastor responsável da igreja não pode estar de calção com o joelho à mostra na via publica! Um pastor não pode estar de camiseta na via pública!”

Naquele momento ia a passar e a senhora respondeu o seguinte:

– “Não é ele o pastor desta igreja! É aquele jovem que está passando!”

De repente ele chamou-me e perguntou:

– “És tu o pastor?!”

Respondi que sim, e fez-me várias perguntas:

– “Qual é o objectivo da vossa igreja?  Vocês trabalham com folhas?  Qual é o Deus que vocês adoram?  A vossa igreja tem bíblia?  Vocês usam Talismã?”

 Perguntas que foram todas respondidas. No final o mesmo disse que iria ver o nosso trabalho na igreja, ao domingo. Após ter ido embora a senhora que estava com ele, com tanto medo disse para mim:

– “Porquê você falou tudo para ele sabendo que ele está procurando inspeccionar a vossa igreja?”

Respondi-lhe:

– “O nosso Deus é vivo e não dá para esconder!”.

Neste grande teste, cheguei a igreja, orei entregando todos os problemas nas mãos de Deus e continuei com as minhas dedicações. No Domingo, o dia previsto para a visita, o mesmo recebeu a informação de que o seu carro foi roubado, preocupado com o sucedido não conseguiu visitar a nossa igreja até a data presente, visto que o mesmo tinha más intenções contra a igreja. Não obstante, purifiquei com diarreia, febres e as minhas filhas em São Tomé tiveram uma conflito com o proprietário da casa em que vivíamos, sendo forçadas a sair da casa. Posteriormente a essa limpeza as graças de Deus brotaram sobre mim.

Quanto as actividades de difusão, durante esses 3 meses as pessoas começaram a frequentar naturalmente a nave, tendo a frequência de 857 frequentadores e 22 primeira vezes vindo de casa, ganhámos também a permissão de outorgar 7 novos membros.

Recebi 10 camisas novas, um equipamento de TV Cabo e um fogão a gás. Ao chegar em São Tomé constatei uma grande mudança no seio familiar, hoje as minhas filhas vivem unidas numa casa maior e em melhores condições.

Agradeço a Deus e Meishu-Sama por me ter escolhido para juntos cumprir esta missão, oro todos os dias para o nosso pastor Daniel para que a luz do Supremo Deus possa lhe despertar para que juntos possamos cumprir esta missão.

Aprendi que quando nós dedicamos com sinceridade e obediência limpámos o Mundo Espiritual e somos protegidos por Deus.

O meu compromisso é de aprofundar nas três colunas da salvação para despertar o maior número de pessoas que estão sofrendo para juntos participarmos nessa construção do Paraíso Terrestre.

Aos ministros, missionários, membros e frequentadores os meus sinceros agradecimentos!