Chamo-me Myrna Lourene Celeste Wilson, Mirnaconheci a Igreja Messiânica Mundial de Moçambique em Fevereiro de 2002, por intermédio de uma amiga de nome Beth, a quem tenho muita gratidão. O problema que me levou a buscar Meishu-Sama foi o desemprego. Fui recebida pela Ministra Gilda que ouviu-me atentamente, e orientou-me a receber 10 Johrei por dia e a manter a Flor de Luz em casa.

Cumpri com as orientações recebidas de forma obediente, e a graça não tardou a chegar, ganhei a permissão de ser convidada a fazer parte dos colaboradores de uma empresa como secretária executiva. A emoção foi tanta que como gratidão ao Messias Meishu-Sama tomei a decisão de tornar-me membro da igreja, que veio a concretizar-se em Setembro do mesmo ano, recebendo o  Ohikari (Luz Divina).

De 2003 a 2007 dediquei no Grupo Jovem como vice-presidente. Em 2006, fiz o sonen de peregrinar ao Solo Sagrado de Guarapiranga no Brasil, com vista a assistir o Culto às Almas dos nossos Antepassados nos dia 1 e 2 de Novembro e assentar os meus antepassados no paraíso. Já no Solo Sagrado assumi o compromisso de dedicar na expansão da Obra Divina em Moçambique.

Após o meu regresso, em vez de dedicar para a expansão da obra como me comprometi no Solo Sagrado, a minha dedicação foi reduzindo, chegando ao ponto de parar de ir a igreja, fiquei afastada 9 anos. Durante este período, não me afiliei a nenhuma religião. Foram 9 anos de dedicação para a minha cama,  televisão, festas e viagens.

De forma muito constante, comecei a sentir a falta de Deus na minha vida, sentia um vazio enorme, e uma vontade de começar a dedicar na obra de Deus, porém, não conseguia sair do conforto da minha casa. Tinha consciência e certeza do que precisava fazer, mas a preguiça era maior, sabia que estava a ser dominada pela força negativa, também sabia que, se despertasse para a dedicação e para a fé, a minha vida,  o destino dos meus antepassados e da minha família, iria mudar por completo, por isso, a força negativa fazia de tudo para plantar e enraizar a preguiça em mim.

A medida que aumentava a vontade de buscar Deus, aumentava também a preguiça. Chegando ao ponto de parar de fazer as orações, que de forma esporádica fazia em casa. Como o sonen de retornar a fé era sincero, e o espírito precede a matéria, ganhei a permissão de receber a visita em minha casa dos irmãos Basílio, Mara e Dália. Mesmo assim, não consegui despertar, chegando ao ponto de não atender as chamadas deles.

O vazio crescia de tal forma que comecei a lutar contra a força negativa, escutando palestras e assistindo vídeos religiosos, porque o que a minha alma queria era ouvir a palavra de Deus, porém, não conseguia sair do conforto do meu lar.

E foi nessa busca incessável por Deus, que no dia 15 de Setembro de 2017, ganhei a permissão de ter a manifestação do Mundo Divino e dos meus antepassados, que orientaram-me a reoutorgar a foto do Messias, fazer sorei-saishi, fazer limpeza profunda no lar, plantar flores no jardim, reflectir com o Vice-presidente, peregrinar ao Solo Sagrado para reafirmar o compromisso de servir na Obra Divina, que o meu egoísmo e apego não me deixaram cumprir, após o meu regresso do Solo Sagrado.

Como Deus é ordem, no final do mesmo dia, ganhei a permissão de ir ao Johrei Center da Matola 700 onde fui recebida pelo vice-responsável, que depois de ouvir-me atentamente, comprometeu-se a participar da limpeza profunda que iria fazer em minha casa no dia seguinte. Para minha surpresa e alegria ele foi acompanhado de três membros da igreja, mas, pela profundidade da minha reflexão ele orientou-me a reflectir com os superiores, e buscar orientação. Quanto a limpeza foi muito profunda, dos 100% dos bens que tinha, apenas 25 a 35% foram permitidos a voltar, tendo-se doado o resto que era a maioria.

No dia 17 do mesmo mês, ganhei a permissão de ser recebida pelo Vice-presidente que com suavidade, calma e com um sorriso, orientou-me a partir do zero, da origem dos meus mais profundos sentimentos para transformá-los.

Dias depois, fui recebida pelo Responsável do Johrei da Matola 700 e pela Ministra Magaia, que orientaram-me a alinhar o sonen para receber a imagem de Kannon, a fotografia de Meishu-Sama, a fazer o dízimo, a participar da marcha da oração as 6 horas, a formar a minha rede da salvação, a praticar Agricultura Natural e a distribuir flores de Luz, após a orientação fomos ao altar agradecer e assumi mais uma vez, o compromisso de ser usada como instrumento de Deus e do Messias Meishu-Sama, para salvação da humanidade.

Com o sonen alinhado, cumpri obedientemente as orientações, com isso as graças não demoraram a surgir: 1) Fui escolhida como campeã de mudança no meu serviço e devia participar nos dia 1, 2 e 3 de Novembro de uma conferência em Johanesburg, esta graça carregava consigo um sentimento de tristeza, porque o meu sonen era dedicar fervorosamente para assentar os meus antepassados no paraíso, no Culto às Almas dos Antepassados. Como o sonen estava alinhado e o Mundo Espiritual é que define o rumo das coisas, mesmo depois de ter acusado o convite o meu nome não chegou à África do Sul, por isso não pude viajar. Para materializar a minha alegria, fui ao altar agradecer pela graça, porque meu foco era o culto e não Johanesburg.

A maior graça que recebi foi de despertar para a fé junto com a minha família, antepassados e ser usada como instrumento do Messias para a salvação da humanidade. No dia 2 de Novembro de 2017 o meu cunhado proibiu a família de participar do culto, tendo dito a minha irmã que o principal objectivo das crianças era a escola. Quando a minha irmã contou-me, orientei-a a fazer a Prática do Sonen encaminhando os antepassados que estavam a se manifestar naquele momento, também fiz o mesmo, e para o meu espanto, do nada ele autorizou a participar do culto, dizendo que nunca proibiu a família de rezar, graças a Deus e ao Messias Meshu-Sama.

Em cumprimento as orientações, ganhei a permissão de reoutorgar a foto de Meishu-Sama, de receber a imagem de Kannon junto com a minha mãe, de fazer o sorei-saishi, de formar a minha rede da salvação que é constituída de 10 pessoas, de distribuir 752 flores de luz sendo que, 125 foram distribuídas no meu serviço com a permissão dos meus chefes, 220 distribuídas no distrito de Magude, 407 no bairro de Tsalala. Participo da marcha de oração as 6 horas todos os dias,  recomecei a fazer o dízimo, donativo de construção e em Outubro fiz um donativo especial com o sonen de pedir a Deus e Meishu-Sama para perdoar, purificar, salvar,  e despertar o Deus que está dentro de mim para junto com os meus ancestrais e antepassados participar da Obra Divina.

Tive a permissão de alinhar o meu sonen para receber o Altar do Lar, já iniciei as orações de preparação espiritual para peregrinar aos Solos Sagrados do Japão em 2018. E, ganhei a permissão de ceder um espaço para a construção do Johrei Center no Bairro de Tsalala.

Com estas graças todas, agradeço do fundo do meu coração a Deus, ao Messias Meishu-Sama, aos meus antepassados.

Aos ministros, aos membros e frequentadores, o meu muito obrigado. Em especial, a família Wilson muito obrigado.