Culto às Almas dos nossos Ancestrais e Antepassados

Reverendo Claudio Cristiano Leal Pinheiro

Sede Central

02 de Novembro de 2017

Bom dia a todos! (Bom dia!)26553208_1997981323553019_365068167_n

Os senhores estão a passar bem? (Graças a Deus e ao Messias Meishu-Sama)

Parabéns pelo Culto Mensal e pelo Culto Anual dos Antepassados! Parabéns para todos!

Gostaria de agradecer do fundo do coração pelo esforço sincero que os senhores têm feito em prol da expansão da Obra Divina, por Angola, por todo continente africano, em particular por toda a preparação que viemos fazendo nos últimos meses para no dia de hoje, estarmos juntos aqui e temos caravanistas a nos representarem no Solo Sagrado do Brasil e também os que foram participar do Culto aos Antepassados e comemoração do aniversário da nossa igreja em Portugal.

Nós estamos com caravanistas, representantes de África no Brasil e na Europa. Parabéns pelo esforço de todos os senhores! (Aplausos)

Gostaria de comunicar a todos que hoje estão conosco os caravanistas dos seguintes países: Moçambique, São Tomé e Príncipe, Namíbia, Congo Brazaville, Serra Leoa e Ruanda. Por favor, uma Salva de palmas para todos eles. (Aplausos) Bem-vindos à Sede Central de África! (Aplausos) Também quero pedir uma salva de palmas especial para todos que vieram representar as províncias de Cabinda ao Cunene. Sejam bem-vindos à Sede Central de África! (Aplausos)

Daqui a pouco vamos precisar ter duas Sedes para poder receber tantas pessoas. Enquanto estava fazendo a oração, agradeci muito à Deus, à Meishu-Sama, aos nossos ancestrais e antepassados desde o Cairo até à cidade do Cabo, por todo nosso continente africano, que é o berço da humanidade. Agradeci as purificações que temos vivido no nosso continente e pedi ao Supremo Deus, ao Messias Meishu-Sama e aos nossos antepassados que tenhamos a permissão de levar o Johrei, a Agricultura Natural, a flor, os ensinamentos de Meishu-Sama, por toda África, por todo o mundo com o objectivo das pessoas saberem que o Messias já chegou e que o Supremo Deus e Ele estão vivos dentro de nós.

Hoje, o ensinamento que ouvimos “Existem Divindades?” nós pudemos constatar que o próprio Messias Meishu-Sama também era extremante materialista. No início da Sua vida achava que bastava o estudo ou ter dinheiro para poder melhorar a sociedade e o mundo. Precisou passar por várias dificuldades para poder começar a buscar Deus, buscar o sentido da vida. Graças a essas dificuldades que Meishu-Sama viveu, Ele conseguiu descobrir, confirmar a existência do espírito e a existência de Deus. Foi assim que ganhou a permissão de saber a respeito do Johrei e deixar o Johrei para a humanidade como base do Reino dos Céus na Terra, como retrata a Bíblia, ou do Paraíso Terrestre. Podemos ver que precisamos seguir os passos de Meishu-Sama, buscarmos Deus e colocá-lo no centro do nosso dia-a-dia.

Lendo o ensinamento de hoje, reflecti muito sobre o início do ensinamento, quando Meishu-Sama fala:

​Pude descobrir este magnífico método do Johrei, graças ao conhecimento que tive sobre a existência do espírito. Em outros termos, trata-se do princípio segundo o qual as doenças do corpo físico se curam por meio do tratamento do espírito.

Esse princípio deve ser considerado uma grande indicação da cultura do futuro. Realmente, ele representa uma grande revolução para a ciência e, se além do tratamento das doenças, nós o aplicarmos a todos os sectores da vida, o bem-estar da humanidade aumentará incalculavelmente. E não é só isso. Posso prever que o aprofundamento da pesquisa desse princípio atingirá até a essência da própria religião.

Então acho que é muito importante no dia de hoje, juntos com os nossos ancestrais e antepassados reflectirmos sobre essa grande permissão que temos de conhecermos o Johrei. O Johrei é algo que os nossos ancestrais e antepassados anseiam e esperam há milhares e milhares de anos. Cada um de nós quando conheceu Meishu-Sama – alguns através da flor, através dos ensinamentos, pela agricultura, pelo amigo que o convidou para a igreja ou foi encaminhado na porta da igreja – tivemos o primeiro contacto com o Johrei, e a nossa vida começou a mudar, igual aconteceu com a vida de Meishu-Sama, quando começou a despertar para Deus. Mas, muitas vezes, com o passar dos tempos, começamos a achar que existe algo além do Johrei. É claro que, o objectivo do Johrei não é resolver os nossos problemas. O objectivo do Johrei é nos religar à Deus. O Johrei é o meio para retornarmos à nossa origem que é o Supremo Deus. A Luz do Johrei é a força mais poderosa que existe na face da terra. Mas muitas vezes negligenciamos isso, parámos de aprofundar nessa prática básica que é a vida da nossa igreja, que é o centro da transformação do nosso planeta em paraíso.

Eu tenho visto várias experiências, tem um caso recente aqui em Angola de uma família, que um dos filhos começou a ter problemas mentais, problemas espirituais. Tentaram os tratamentos mas nada. A mãe membro, os outros irmãos dedicavam então a família toda ministrava Johrei para a criança. Com esse Johrei diário da família toda, ele se recuperou totalmente. Por isso, no nosso dia-a-dia, já que hoje estamos aqui dando atenção especial aos nossos ancestrais e antepassados a melhor forma para elevação deles é aprofundarmos na pratica do Johrei e formarmos verdadeiros ministrantes do Johrei. Vamos expandir o número de pessoas que praticam o Johrei no dia-a-dia. Essa luz do Johrei, como a força negativa não consegue atacar começa a sujar o nosso coração para pararmos de ministrar e receber o Johrei. Mesmo na salvação dos ancestrais e antepassados, façam a experiência de ministrar Johrei diariamente a partir dos vossos lares. Um familiar ministrando Johrei, o outro recebendo. Onde quer que formos vamos levar essa Luz, não tem presente maior para os nossos antepassados do que eles estarem a dedicar conosco através da ministração do Johrei.

Eu sinto que o mundo com tudo o que tem acontecido, aumento de violência nos lares, na sociedade, guerras, doenças, conflitos no geral, nós messiânicos precisamos cada vez mais levantarmos a mão e sermos instrumentos dessa Luz. Como nós ouvimos hoje nas duas experiências muito marcantes. A segunda experiência, da irmã Josefa, fala sobre a profunda reflexão. Falei com os senhores no Culto Mensal de Agosto para prepararmos o Culto aos Antepassados de forma especial. Além de todas as outras dedicações, preencher os formulários, fazer a limpeza nas casas e tudo mais, vamos encaminhar os ancestrais que estão a sofrer dentro de nós através do sofrimento que carregamos nos nossos corações. No ensinamento lido hoje, Deus é visível ou invisível? É invisível. Para termos o contacto com Deus que é invisível, temos que começar pelo nosso lado invisível, os nossos sentimentos. Na experiência que a irmã compartilhou conosco hoje, ela própria disse que fez a reflexão profunda várias vezes, mas nunca contava tudo, sempre mantinha algum sofrimento guardado no coração. Esse sofrimento, que guardamos é o apego. Meishu-Sama fala que o objectivo da fé é erradicar o egoísmo e o apego. O principal aprimoramento do Mundo Espiritual é tirar o egoísmo e o apego. Preconceitos, ingratidões, mágoas, aflições, ressentimentos, invejas, vinganças, ciúmes, mentiras, medos são formas de apego. Quando guardamos isso no coração, guardamos ancestrais e antepassados presos nesses sofrimentos. Sem essa limpeza do nosso invisível, o invisível maior, que é a origem, que é Deus, fica distante. Ficamos distante Dele. Mesmo Ele estando vivo dentro de nós, escondemos Ele através desses apegos que guardamos no coração. Por isso, precisamos entender a nossa missão como representantes de Deus, como representantes do Messias Meishu-Sama, como representantes dos nossos ancestrais e antepassados. Nós temos a grande permissão de encaminharmos eles para Deus. Mas quando fala encaminhar o antepassado, não é que as pessoas têm que xinguilar (incorporar, entrar em transe); encaminhar o antepassado que está preso no que está a me fazer sofrer, que está preso na dor que tenho guardada no fundo do coração. Existem raízes presas e nós precisamos devolver esse sofrimento para Deus libertar esses ancestrais e antepassados. Depois que ela conseguiu fazer isso, conseguiu pôr fim a um conflito de 14 anos com o ex-marido, a casa ele devolveu-lhe sem ela pedir, novamente a família harmonizou-se começou a notar a diferença. Isso mostrando que, para mover o visível que os nossos olhos vêm, que as nossas mãos pegam, começa no invisível que é o nosso sentimento, através da limpeza do nosso coração. O nosso líder espiritual, Kyoshu-Sama nos ensinou uma prática, que para mim particularmente tem sido valiosa para estar sempre lembrando de Deus e voltando o meu sentimento para Ele no meu dia a dia. Gostaria de fazer junto com os senhores hoje juntos com os ancestrais e antepassados essas Palavras de Luz que o nosso líder nos deixou, vamos fazer juntos:

Deus é Luz.

E onde há Luz, paz, felicidade e alegria são abundantes.

Na escuridão, permeiam-se o conflito, a pobreza e a doença.

Vós que desejais Luz e prosperidade, vinde!

Vinde à Luz e chamai o nome do Messias!

Assim sereis salvos.

Nosso Juramento

            Nós, membros da Igreja Messiânica Mundial, temos como objetivo nascer de novo como verdadeiros filhos de Deus seguindo os passos de Meishu-Sama, que alcançou a posição de um Messias, um filho de Deus.

            Todos nós nos tornamos filhos de nossos pais terrenos através do nascimento físico. Hoje, acreditamos ser necessário nascer, mais uma vez, como verdadeiros filhos de Deus e reconhecer que nosso verdadeiro Pai é o Deus vivo e eterno.

            Da mesma forma que nossos pais terrenos nos deram um nome ao nascermos, Deus nos deu um nome quando Ele nos concebeu no paraíso.

            Acreditamos que esse nome é Messias e que todos os seres humanos nascem na Terra para se tornarem verdadeiros filhos de Deus – Messias.

            Para que sejamos aceitos por Deus como Seus verdadeiros filhos, acreditamos ser necessário nos esforçar, conscientemente, para direcionar nossos corações a Deus em nosso dia-a-dia.

            Nós louvamos e glorificamos Deus, O reconhecemos como o Criador e atribuímos a Ele tudo o que acontece em nossa vida.

            Acreditamos que, gradualmente, esse esforço fará com que cresçamos para nos tornarmos aquilo que precisamos ser, isto é, verdadeiros filhos de Deus – Messias.

Palavras de Oração

Deus, eu reconheço que o Senhor está vivo.

Dentro de mim, o Senhor está vivo.

Eu Lhe agradeço por me criar e educar para nascer de novo como Seu filho.

Que essa benção seja compartilhada com todos.

Em nome do Messias, que é uno a Meishu-Sama, eu me entrego ao Senhor.

Por favor, me use conforme a Sua vontade.

Muito obrigado! (Aplausos)

Esses sentimentos de querermos ser utilizados por Deus, vamos seguir o exemplo da irmã que fez a primeira experiência de fé. Para sermos utilizados por Deus no nosso dia a dia, nós messiânicos não podemos achar que a prática da fé é só na igreja! A verdadeira fé é praticada na nossa casa, no nosso trabalho, na nossa escola, na sociedade, no dia a dia o que fazemos. Podemos ser instrumentos para levar esperança para as pessoas ou para levar mais tristeza, desesperança para as pessoas. Os senhores querem levar esperança ou desesperança? Então, precisamos ser essa mudança que queremos ver no mundo! Como a irmã Ana nos mostrou hoje através da sua experiência de fé, quando tivermos um problema na nossa casa, no nosso trabalho, no nosso bairro, na nossa escola, em vez de fazermos como todo o mundo que só aponta os problemas vamos ser parte das soluções dos problemas como representantes de Deus, como messiânicos. Os senhores viram que através da prática de fé começando pela limpeza, pela flor, pela horta no local de trabalho, ela mudou a atmosfera do seu trabalho e começou a mudar a vida dos seus familiares e dos seus colegas? É difícil isso? Precisamos tomar decisão e usar a experiência dela como exemplo. Esta construção do paraíso começa no nosso coração e precisa ser levada para onde nós vivemos, trabalhamos e circulamos. Nós estamos agora a nos preparar para o Natalício do Messias Meishu-Sama, gostaria que fizéssemos ainda mais esforços nessa preparação para agradecermos pela vinda do Messias Salvador da humanidade. Esse Culto do Natalício será realizado aqui na Sede Central de África, no dia que Meishu-Sama nasceu, 23 de Dezembro, às 10 horas. Além do que estamos a preparar, como fizemos para o Culto aos Antepassados, gostaria de pedir mais um ponto: preparar os nossos lares e os lares das pessoas com quem nós temos afinidade fazendo aula de Ikebana dentro da nossa casa, com a nossa família. Os familiares se reunirem para fazer Ikebana, as professoras, os monitores, os encarregados do Sanguetsu fazendo isso vão poder ajudar os senhores. Gostaria que antes do Natalício de Meishu-Sama, todas as famílias messiânicas, isto é dos membros e dos frequentadores pudessem reunir os familiares em casa e cada um fazer Ikebana, juntos com o objectivo de levar o belo ao mundo. A beleza da flor é para lembrar a beleza que já existe dentro de nós. Estamos a vivenciar muitas experiências marcantes com as famílias que têm feito isso juntas. Fazendo Ikebana junto com os familiares está a gerar muita luz, muita harmonia, muita união nos lares. Sinto que a humanidade está precisando isso. Então, vamos preparar o natalício de Meishu-Sama com esse pontinho a mais. O próprio Meishu-Sama é que fazia Ikebana na sua casa. No momento de fazer Ikebana com toda a família junta para depois oferecermos, estaremos a fazer uma prática que o Messias fazia no seu dia a dia. Junto com os nossos familiares é possível fazermos isso? (Sim) Então, com esse sentimento, vamos nos preparar a partir de hoje para o Natalício do Messias Meishu-Sama, no próximo dia 23 de Dezembro, aqui na Sede Central de África.

Muito obrigado!

Boa missão a todos!