Reverendo Claudio Cristiano Leal Pinheiro
Culto Mensal de Gratidão
Sede Central
07 de Janeiro de 2018

Bom dia a todos! (Bom dia!)
Feliz ano novo para todos os senhores! (Aplausos) IMG_7055
Muito obrigado pela recepção e pela vossa presença. Gostaria de agradecer do fundo do coração, pelo esforço sincero que os senhores têm feito o prol da expansão da Obra Divina, do Johrei, dos Ensinamentos do Messias Meishu-Sama por toda Angola, por todo nosso querido continente africano. Quero agradecer pelo ano de 2017, agradecer também a permissão de iniciar este ano de 2018 com os senhores aqui na nossa Sede Central.

No dia 1 de Janeiro, fizemos o Culto de Ano Novo e Fundação da Igreja em toda África, aproximadamente 7 mil pessoas participaram desse Culto.

No dia 4 de Janeiro, tivemos a permissão de ter a primeira actividade, os ministros e responsáveis das unidades no nosso futuro Solo Sagrado de Cacuaco, onde começamos com a marcha de Johrei, estudo dos Ensinamentos, em particular sobre a vida do Messias Meishu- Sama, como falei para os senhores que íamos iniciar este ano. Hoje estamos aqui agradecendo ao SupremoDeus, ao Messias Meishu-Sama e aos nossos antepassados por mais um ano, pela permissão de iniciarmos o mês com esse encontro na Sede Central e mais ainda a permissão de iniciarmos o ano sobre as orações do nosso Líder Espiritual Kyoshu-Sama. Gostaria de ler a sua mensagem de ano novo para os messiânicos do mundo inteiro.

Passo a fazer a leitura:

Mensagem de Ano Novo de Kyoshu-Sama

1º de Janeiro de 2018

Envolto no amor e graça de Deus, a Ele agradeço por estarmos iniciando esse glorioso ano como humildes servidores de Deus, que realiza o trabalho de Criação incessantemente. Com fé e esperança em Deus, e junto a todos e a tudo, eu gostaria de externar a Deus e a Meishu-Sama meus mais sinceros votos de um feliz ano novo.

Feliz Ano Novo!
Com profundo respeito e temor a Deus, eu digo que Deus vive dentro de nós.
A Consciência de Deus é a fonte de todas as consciências; Meishu-Sama a denominou “Consciência Universal”. A Vontade Divina impregnada na Consciência Universal é de que Deus conceba Seus próprios filhos. Com esse propósito, Deus preparou o Paraíso antes de iniciar o Seu trabalho de Criação do mundo visível. Nesse Paraíso, Deus concebeu os espíritos de todas as coisas, assim como os espíritos dos seres humanos, destinados a se tornarem filhos de Deus. A cada um desses espíritos humanos foi dado o nome Messias, e foi através dos espíritos de Messias que Deus criou tudo o que existe no Universo.

Portanto, todas as coisas do Universo e todos nós, seres humanos, somos um só, unidos sob o nome Messias. Nós estávamos ligados a todas as coisas antes da Criação do Universo e estamos unos a elas neste exacto momento.

Todas as coisas do Universo, incluindo nossas faculdades mentais e sensoriais e todas a células de nosso corpo, servem, escutam e seguem obedientemente a Vontade Divina para que nos tornemos filhos de Deus. Sem todas as coisas do Universo nós não podemos nos tornar filhos de Deus. O propósito da Criação de Deus é fazer com que nos tornemos filhos de Deus.

Com o início deste Ano Novo, eu gostaria de me entregar inteiramente, de corpo e alma, a Deus, reconhecendo que Ele utiliza todas as coisas do Universo, incluindo eu mesmo, como uma só unidade, e que a Vontade Divina se estende a todas as coisas, incluindo eu próprio.

Deus é eterno e está vivo. Ele vive e trabalha dentro de nós e dentro de todas as coisas. À medida que envelhecemos, nosso corpo gradualmente enfraquece e eventualmente perece. Porém, o nosso verdadeiro corpo não é o corpo físico que está destinado a morrer. A cada um de nós foi concedido um “corpo espiritual”, que é a alma, a vida e a consciência de Deus. Dentro de nós existe a alma de Deus – um glorioso corpo espiritual que está vivo em nosso interior.

Esse corpo espiritual que cada um de nós possui é o nosso verdadeiro corpo, nossa verdadeira individualidade e nosso verdadeiro “eu”. Até hoje, nós só viemos valorizando o “eu” da nossa individualidade física. Eu acredito que viemos ignorando e desrespeitando o nosso verdadeiro “eu” – o “eu” de Deus que existe em nosso interior. O “eu” da nossa individualidade física precisa retornar ao Paraíso e se tornar uno ao “eu” de Deus. O “eu” da nossa personalidade física um dia perecerá. Porém, se ele se fundir ao “eu” do Deus vivo e eterno, seremos capazes de nos unir à eternidade e nascer de novo como verdadeiros filhos de Deus.

Meishu-Sama conseguiu fazer isso. Ele conseguiu se tornar uno ao “eu” de Deus e nascer de novo como Seu verdadeiro filho, um Messias. Como fiéis de Meishu-Sama, precisamos seguir seus passos e nos tornar unos ao “eu” de Deus que existe em nosso interior. É por isso que precisamos acreditar no nome Messias – é através desse nome sagrado que Deus nos perdoa, salva e nos acolhe em Seu Paraíso. É através desse nome sagrado que Deus nos cria e educa para que obtenhamos a vida eterna.

“Salvação” significa acreditar no perdão de Deus e encontrar nosso verdadeiro “eu” – o nosso verdadeiro Pai que está no Paraíso. “Construir o Paraíso Terrestre” significa, para nós que vivemos na Terra, nos esforçar conscientemente para retornar ao Paraíso em nome do Messias, nos tornar unos a Deus e construir o Paraíso de Deus em nosso interior. Anunciar essa verdade para o maior número possível de pessoas é a forma de podermos participar da “salvação da humanidade”, ensinada por Meishu-Sama.

Em um de seus salmos, Meishu-Sama escreveu:

Que alegria!
A Luz de Deus agora brilha gloriosamente!
As trevas de todo o mundo
Desapareceram por completo!

A Luz de Deus já brilhou em tudo e alcançou a parte mais profunda e sombria do coração de cada um de nós.

Essa Luz tem o poder de perdoar e salvar. Nós temos a tendência de pensar que o perdão de Deus é dirigido somente à nossa natureza má. No entanto, a Luz da salvação de Deus brilha tanto nas coisas que consideramos boas como naquelas que consideramos más, ao mesmo tempo.

Os olhos de Deus acompanham tudo o que fazemos e pensamos. Deus nos vigia, não para julgar se somos bons ou maus, mas sim para acolher tudo em seu Paraíso e trazer a salvação a todos.

Não precisamos esconder nada de Deus. Independentemente do que os senhores pensarem, sejam pensamentos positivos ou negativos, e do que fizerem, sejam boas ou más ações, falem para Deus: “Eu Lhe agradeço por Seus olhos acompanharem tudo o que eu faço e penso! Em nome do Messias, que é uno a Meishu-Sama, eu me entrego inteiramente, de corpo e alma, ao Senhor, como uma pessoa que já foi perdoada e salva. Por favor, me utilize conforme a Sua vontade!”

É precisamente nos momentos em que nos deparamos com situações ou pessoas difíceis que Deus está tentando se comunicar conosco. Através de nossas dificuldades diárias, Deus quer que percebamos que nosso julgamento e ponto de vista a respeito de uma situação ou de uma pessoa são limitados e egocêntricos. Portanto, antes de julgar qualquer coisa devemos conversar com Deus e dizer: “Do meu ponto de vista, eu acho que essa situação ou pessoa parecem ser assim e assim. Mas Deus, como o Senhor vê isso? Eu quero servir ao Senhor e não a mim mesmo. Portanto, por favor utilize os meus olhos como Seus, meus ouvidos como Seus, meus pensamentos como Seus, e me ensine a julgar conforme o Seu verdadeiro julgamento”. Deus está vivo dentro de nós a todo instante, se comunicando conosco e ouvindo as palavras que dirigimos a Ele.

Deus é o nosso verdadeiro Pai. Ele sempre nos apoia sem jamais falhar. Por muito tempo nós, a humanidade, ignoramos esse Deus verdadeiro. Isso mesmo. Pensávamos e falávamos: “nós conhecemos Deus”, “nós acreditamos em Deus” e “nós servimos a Deus”, mas eu sinto que viemos criando uma imagem de Deus que era conveniente para nós.

Tudo pertence a Deus. No entanto, será que não furtamos de Deus coisas como “gratidão”, “amor” e “boas ações” e forçamos nós mesmos ou outras pessoas a “agradecer aos outros”, “amar o próximo” e “praticar boas acções”? Será que não furtamos de Deus expressões como “Paraíso Terrestre” e “salvação” e as viemos usando para expressar nossos próprios pensamentos, ao invés dos pensamentos de Deus? Será que não furtamos de Deus todas essas coisas que pertencem a Deus e, de acordo com a nossa conveniência, as utilizamos como se fossem nossas, para promover e comunicar nossa própria vontade e objectivo, ao invés da Vontade e Objectivo de Deus?

Apesar disso, Deus não quer condenar-nos por termos furtado coisas que pertencem a Ele. Ele está a nos dizer que nos perdoou por tudo o que fizemos, estamos a fazer e pelo que faremos. Portanto, em nome do Messias, que é uno a Meishu-Sama, vamos nos arrepender e desejar sinceramente encontrar o verdadeiro Deus, cujo amor não tem limites.

Como eu sempre digo, a Vontade e Objectivo de Deus são um só: fazer com que nasçamos de novo como Seus filhos, como Seus Messias. Esta é a missão de Deus. Isso quer dizer que esta é a nossa missão também. Não tenham dúvidas quanto a isso. Sempre falamos que “nossa missão é construir um Paraíso na Terra”. Porém, como pode a Terra se tornar um Paraíso se nos esquecemos da missão de Deus? Como poderá qualquer pessoa alcançar a verdadeira felicidade sem se tornar ciente de sua verdadeira missão de se tornar um filho de Deus, um Messias?

Na verdade, nós, a humanidade, nos esquecemos da missão determinada por Deus. No entanto, Meishu-Sama, através de sua vida dirigida por Deus, nos ensinou que nossa missão é nos tornar filhos de Deus. Foi por isso que Meishu-Sama declarou, um ano antes de falecer, que Ele havia nascido de novo como um Messias. Não seria esse o ensinamento mais importante que Meishu-Sama nos deixou? Será que não é isso que precisamos objectivar se nos consideramos fiéis de Meishu-Sama?

Quão felizes somos nós que tomamos conhecimento da missão de Deus através de Meishu-Sama! Conhecer o nosso verdadeiro Deus, o nosso verdadeiro Pai, e saber que podemos ser Seus filhos – se isso não é a salvação, o que seria então? Nós estávamos perdidos e havíamos esquecido quem éramos e aonde estávamos indo. Porém, Meishu-Sama veio a este mundo com a Luz de Deus e iluminou o caminho que precisamos seguir – o caminho do renascimento como filho de Deus.

Em nome do Messias, que é uno a Meishu-Sama, vamos despertar para a missão de Deus! Vamos retornar ao Paraíso como pessoas que foram perdoadas e salvas! E vamos servir na nova obra de Deus!

Deus está agora renovando todas as coisas e fazendo com que nasçamos de novo como Seus filhos. Eu, junto a todas as coisas, todos os ancestrais, todos os senhores e todos aqueles que ainda nascerão na Terra, gostaria de oferecer meu mais sincero louvor a Deus, que governa, sustenta e alcança tudo.

Que Deus e o nome Messias sejam louvados para todo o sempre.

Muito obrigado (Aplausos)

Essa foi a mensagem de ano novo do nosso Líder Espiritual Kyoshu-Sama. É muito importante termos essas palavras como nosso guia para esse ano de 2018. Vamos procurar ler repetidas vezes e reflectir com o objectivo de podermos praticar juntos com os nossos ancestrais e antepassados, sempre com o objectivo de retornarmos para o nosso Paraíso Interior, e podermos nascer de novo como verdadeiros filhos de Deus, como Messias. Esse é o objectivo de tudo que nós praticamos.

Gostaria de parabenizar a todos pelo dia de amanhã, que será o dia da cultura nacional. Parabéns pelo dia 8 de Janeiro para todos nós! (Aplausos)

É uma data muito importante. A palavra “cultura” vem do Latim Culturare, que quer dizer cultivar, não só no sentido agrícola, mas também no sentido de cultivar conhecimento, cultivar práticas. Então, quando falámos de cultura, é tudo que um povo faz. A literatura, arte, dança, religião, hábitos alimentares e tudo o que fazemos, é cultura.

Eu acho que quando falámos de cultura, nós estamos a lembrar um pouco do que Deus faz através de nós. Já que acreditámos que somos os instrumentos de Deus.

Na actualidade que vivemos vários problemas na nossa sociedade, vemos que em muitos casos, precisamos respeitar as nossas raízes culturais e buscar ressuscitar os pontos positivos da nossa cultura e trazer para a actualidade.

Dando um exemplo concreto, quando falámos sobre cultura angolana em particular, ou cultura africana em geral, vemos a importância do Jango. Não é isso?
Quando falámos do Jango, dos Quiosques que temos alguns aqui na Sede, lembro quando visitei pela primeira vez o Reino do Bailundo, logo depois que acabou a guerra no nosso país. No dia que cheguei lá, estavam a construir um novo Jango. O falecido Rei Ekuikui IV outra vez que voltei lá disse:

– “Aquele dia que você veio pela primeira vez, nós vimos que tinha um significado diferente a vossa visita, porque estávamos a construir o nosso Jango, a renovar fazendo um Jango novo e maior.”

Jango ou Ondjango é a casa onde se conversa, a casa onde se ouvem os mais velhos, onde se dialoga. Na nossa cultura, esse ponto do diálogo, de ouvir, de respeitar, principalmente os nossos pais, os nossos mais velhos, que são os nossos antepassados mesmo vivos, porque vieram antes de nós, acho que é muito importante nos dias de hoje, que muitas vezes as pessoas estão viciadas na tecnologia, ficando no WhatsApp, no telemóvel, as vezes na mesa com o pai, a mãe, os filhos, cada um fica a navegar, ninguém conversa, ninguém ouve o outro, ninguém respeita. E isso vemos cada vez mais, destruição dos lares, conflitos desnecessários. Precisamos reflectir sobre esses pontos da nossa cultura que esquecemos, que ignorámos.

Pontos que Deus fez de positivos, fez no desenvolvimento da nossa cultura e que muitas vezes menosprezámos, mas a sociedade hoje precisa retornar para esses pontos positivos da nossa cultura, principalmente as nossas crianças, os nossos jovens, para valorizar essa herança dos nossos antepassados.

Existem pontos da nossa cultura, que são negativos que nós precisamos aprender a ver: “Isso não é bom!”

Tiveram vários reinos, varias civilizações na antiguidade que se destruíram por terem uma cultura que não respeitou a natureza.

Tiveram reinos no Nordeste de África, que entraram em decadência simplesmente porque para produzir ferro, destruíram todas as árvores que tinham. Por destruirem as árvores, perderam os rios, perderam as colheitas, entrou a fome e entrou a revolta. Porque toda revolução começa na barriga. Falta comida e começa o conflito.

Então, nesses pontos que também errámos, precisamos usar como reflexão nos dias de hoje. Essa destruição ambiental que vivemos hoje com a questão da seca em várias partes do país e do mundo, inundações e outros, ou seja, como messiânicos, acreditámos na construção do Paraíso Terrestre, precisamos resgatar os pontos positivos da nossa cultura, incorporá-los e o que é negativo devolver para Deus.

Acima de todas as culturas e todas as tradições, está o Supremo Deus, estão as leis da grande natureza.

Então, quando falámos de cultura, gostaria que refletíssemos sobre as diversas manifestações culturais e artísticas, que Meishu-Sama fala que são importantes na construção do paraíso, no aperfeiçoamento de cada um de nós e que também estudássemos sobre esses pontos da nossa cultura, que estamos a negligenciar e que fazem muita falta na sociedade de hoje. Principalmente o dialogo e o respeito pelos mais velhos. Saber ouvir os nossos pais. Os nossos pais aprendem conosco e nós com eles, com os nossos avôs etc. Respeitar a experiência deles, porque quando fizermos isso, estaremos respeitando os nossos antepassados, estaremos a respeitar a Deus, que é a origem de todos nós.

É muito importante isso na sociedade de hoje tão perdida por estar afastada de Deus.

Os senhores gostaram das experiências de fé? (Gostamos)

Mais uma salva de palmas para a nossa irmã e para o Ministro Afonso. (Aplausos)
Fiquei muito emocionado com as duas experiências de fé. Quando o Ministro Afonso me contou pela primeira vez sobre este pastor na Republica Democrática do Congo, já há um tempo que vem acompanhando ele, contando as experiências dele. Achei interessante a forma que o pastor foi encaminhado, através do Ensinamento de Meishu-Sama. Os jovens deram o Ensinamento para ele, leu e a alma dele acordou. Porquê? Nós não encaminhámos ninguém. As pessoas são encaminhadas por Deus através dos nossos antepassados. Quem tem a missão de desenvolver a obra do Messias Meishu-Sama, já foi preparado no Mundo Divino. O que precisamos, é ser instrumento para encontrar essas pessoas para Deus trazê-las através de nós. E um dos meios é através dos Ensinamentos.
No que ele leu, já se identificou, ali já mostrou a afinidade dele com Meishu-Sama.

Quando falámos sobre Messias, como expliquei para os senhores no Culto do Natalício, Meishu-Sama não veio substituir ninguém. Meishu-Sama veio concretizar o que os outros religiosos profetizaram.

Existe um poema de Meishu-Sama que diz o seguinte:

“Ensinamentos que vivificam todos os outros Ensinamentos. Esses sim são os Ensinamentos do Messias.”

A experiência que o Ministro Afonso relatou, mostrou como que os Ensinamentos que o Supremo Deus revelou ao Messias Meishu-Sama e o Johrei começaram a vivificar esse pastor. Tantos anos se entregando com o amor ao próximo, mas não conseguia sair do sofrimento, da doença, da pobreza, do conflito. O contacto dele com o Johrei, com os Ensinamentos, com a Prática do Sonen. Começou a mudar a sua vida. Falei para o Afonso, há mais de um mês, que ele era uma pessoa especial, porque não guardou aquilo só para ele. Mesmo sendo pastor, ele começou a compartilhar com os irmãos dele na sua Igreja. Porque não conseguia ver as pessoas ligadas a ele continuando a sofrer. Isso mostra o amor altruísta dele, a vontade de fazer o seu próximo feliz, de servir o seu próximo.

Essa experiência também nos mostrou a força do Johrei.

Até falei brincando com o Ministro Afonso depois, quando contou aquela experiência dos do anel. Falei:

– “Afonso, você agora é o Senhor dos Anéis da Igreja. Se tiver problema de anel, você é o especialista. Vou botar você para ministrar Johrei.”

Isto mostra tal como o Ensinamento de hoje, “Teoria da Harmonia”. O jovem que tinha recebido aquele compromisso da família, quando recebeu o primeiro Johrei, parecia que estava bem. Quando se virou, sentiu um calor grande nas costas e teve diarréia. Então disse:

– “Mas, eu cheguei bem, recebo essa luz e tenho isso?”

Parece desarmonia, não é? A luz serviu para limpar o que estava sujo, revelar o que estava escondido e no dia seguinte, o primo ligou para ele de outra província. Você vê que o Mundo Espiritual é mais rápido que a internet.

Aconteceu um negócio aqui, na outra província o avô gritou:

– “Descobriram o nosso feitiço! Descobriram o nosso segredo!”

Isso também mostrou, que é a força do Johrei. Como Kyoshu-Sama disse:

“Cada um de nós está ligado a todas as coisas do Universo. Nós viemos de uma origem comum.”

Podem conversar com qualquer cientista, materialmente falando, tudo isso é composto de matéria cósmica.

No próprio Génesis, primeiro livro da Bíblia, fala:

“No inicio, tudo era escuridão, até que Deus disse – Que haja luz!”

A partir daí, todas as coisas começaram a ser formadas.
Tudo no Universo, tem uma origem comum. Toda matéria tem uma origem comum. Então, nós todos, estamos ligados a tudo no Universo. Nós somos parte do Universo. O Universo é a grande natureza, que é o corpo do Supremo Deus.

Por isso que os nossos pensamentos, os nossos sentimentos, as nossas acções influenciam todo o Universo. Não é só influenciar as nossas linhagens, nossos ancestrais. Nós estamos ligados a todo o Universo. Por isso que cada um de nós, que desperta para fazer a Prática do Sonen, que desperta para fazer a profunda reflexão, para abrir a porta dos nossos corações, influencia essa abertura para todo o Universo. Nós estamos a permitir que essa luz expanda cada vez mais e que a humanidade desperta junto conosco.

Por isso que Meishu-Sama disse:

“Quando todos os homens abrirem as portas dos seus corações, desaparecerão as trevas que envolvem esse mundo.”

A luz já está dentro de nós. Na semente, na partícula divina que cada um de nós recebeu do nosso Pai, o Supremo Deus quando fomos preparados por Ele no Paraíso.

Muitas vezes, na ilusão do materialismo, desses milhares de anos de Era da Noite, achamos que temos que ter protecção, por isso a pessoa vai no quimbanda para ter um anel, para ter um cinto, para ter sei lá o que. Não precisamos disso porque essa luz que existe dentro de nós, é a luz que criou toda vida no Universo. Isso já existe dentro de nós.

Durante a Era da Noite, ignorámos isso, ignorámos Deus. Nos afastamos dessa luz, então que veio a Luz do Oriente, o Messias Meishu-Sama veio para trazer essa luz, trazer essa consciência, para nos guiar de volta para a nossa origem, que é o Supremo Deus.

Foi preparada a vinda de Meishu-Sama durante milhares de ano. Esse momento foi preparado durante milhares de anos por toda a humanidade que viveu até então, em particular, pelos grandes lideres Buda, Jesus, Maomé e outros grandes religiosos, pensadores que Deus veio utilizando. Por isso que nesse momento, Jesus está a trazer os cristãos para conhecerem o Johrei e os Ensinamentos. Maomé está a trazer os muçulmanos. Buda Sakyamuni está a trazer os budistas. Todos para terem esse contacto com a luz de Deus através do Johrei e com os Ensinamentos que o Pai Jeová revelou ao Messias Meishu-Sama, para que juntos possamos construir o Reino dos Céus na Terra, o Paraíso Terrestre. Para que juntos possamos retornar para o nosso Paraíso Interior.

Por isso, gostaria que nesse ano de 2018, como vimos na experiência da jovem Maximina, para podermos construir o nosso Solo Sagrado, vamos precisar aprofundar no encaminhamento.

Encaminhamento, não é só trazermos pessoas para Igreja, é ajudar a pessoas a trilhar o caminho de retorno a Deus. O caminho para nascer de novo como verdadeiro filho de Deus. Por isso é importante, a Rede de Salvação, aprofundar no cadastramento e acompanhamento dos lares.

Os senhores viram que maravilha que a experiência das aulas da flor nos lares, como ela fez. Começou a mudança na sua família, e começou a ser instrumento para mudar as outras famílias que têm afinidade com ela. Já deu aulas em 6 casas. 4 casas de membros e 2 de frequentadores.

Precisamos levar para os lares o Johrei, a flor, a agricultura e alimentação natural, os Ensinamentos do Messias Meishu-Sama.

Nessa fase de grandes tribulações, que cada um de nós, que o mundo está a viver, é importante a nossa decisão de cumprirmos a nossa missão alertando a humanidade, despertando as pessoas, levando essa esperança para a vida das pessoas. Como o pastor Alex, que o Ministro Afonso contou a experiência. Toda a humanidade estáaespera dessa luz. Toda humanidade está a espera da vinda do Messias.

Nós já sabemos que Ele chegou, não podemos ser egoístas e manter isso só para nós, para a nossa família, precisamos levar as colunas da salvação para o mundo.

No meio disso, vão surgir dificuldades, graças, vidas, desafios, alegrias, é muito importante o Ensinamento que foi lido hoje reflectirmos quando surgir algo que parece que é desarmonia, parece que é negativo, por detrás daquilo, está o Supremo Deus limpando, purificando, nos trazendo de volta para Ele. Esse Sonen para receber as purificações. Esse Sonen para enfrentar as dificuldades sabendo que quem coloca as dificuldades para nós, não é Satanás, é o Supremo Deus. Deus é que coloca essas dificuldades com o objectivo de nos educar, nos treinar, para que possamos nascer de novo como Seus verdadeiros filhos.

Quando temos essa visão de Deus, mesmo no momento da dificuldade, vai brotar a gratidão.

Lembrei esses dias de uma história, que contei para os senhores alguns anos atrás, sobre o Japão. Japão como é um grande arquipélago, a população lá, come mais peixe. Mas, a população cresceu muito. O Japão é oito vezes menor que Angola.
Só que a nossa população, são vinte e cinco milhões de habitantes, a do Japão são cento e quarenta milhões.

Então, comendo muito peixe, todo mundo gosta de peixe, o peixe perto da costa foi desaparecendo e cada vez tiveram que ir pescar mais longe para poder abastecer a população do país. Mas, japonês gosta de peixe fresco. Nós também, né? Melhor peixe fresquinho que congelado. Então, traziam o peixe de longe, quando comiam, já não estava fresco, sem gosto e congelado. Pensaram: “Como é que podemos melhorar?” Aperfeiçoaram os barcos, colocaram umas câmaras frigoríficas mais modernas para não congelar tanto. Assim traziam ainda o gosto de peixe fresco, mas não estava bom. Pensaram novamente: “Como é que vamos fazer para esse povo ficar satisfeito?” Então, fizeram barcos maiores, em vez de câmara congeladora, colocaram tanques de água, para conserver os peixes vivos. Mas o sabor continuava estranho, sem o gosto a peixe fresco. Ao colocar o peixe vivo nos tanques, um pequeno tubarão entrou e começou a correr atrás dos peixes, comeu alguns peixes mas os que sobraram, ficaram bem fresquinhos. Com isso, começaram a colocar tubarão em todos os tanques. Conosco ocorre o mesmo, para nos mantermos vivos, tem que ter desafio na nossa vida, tem que ter um tubarão na vida de cada um de nós. O tubarão as vezes é um conflito, dificuldade financeira, é uma purificação física, é aquele chefe chato, aquele colega, etc.

Quando parece que tem algo negativo, Deus está a utilizar aquilo para nos manter vivos, para nos trazer de volta para Ele, para retornarmos para Ele.

Os senhores querem se manter vivos, querem ser felizes? (Sim) Agradeçam pelos tubarões que têm nas vossas vidas.
Muito obrigado.
Feliz 2018!