Chamo-me Miriam Patrícia da Mata Batista de Sousa, miriamtenho 7 anos de idade, resido no bairro da cadeia de São Tomé e sou frequentadora do Centro de Aprimoramento da Marginal 12 de Julho.

Conheci a Igreja Messiânica Mundial de São Tomé e Príncipe, através da minha mãe que é membro; Comecei a frequentar quando tinha pouco mais de 3 anos acompanhando a minha mãe nos dias de cultos.

A experiência que se segue, está relacionada com o milagre vivenciado, após passar por uma forte purificação.

Há um ano atrás, saindo da escola de regresso à casa, caí e ao levantar-me, senti dores nas pernas mas, consegui chegar a casa.

No entanto, no fim do dia, comecei a sentir fortes dores nas duas pernas que se estendeu à barriga e envolveu o corpo todo deixando-me aflita porque as dores eram muito fortes que eu chorava e gritava de tanto sofrimento.

A minha mãe começou a ministrar-me Johrei e fazia a prática do sonen encaminhando os antepassados que estavam a se manifestar através daquele sofrimento. Durante a noite, contorcia-me com as dores e a minha mãe me ministrou Johrei até ao amanhecer. Ela vendo que a situação se mantinha apesar de alguns alívios momentâneos, levou-me ao Hospital Dr. Aires de Menezes onde fui submetida a consulta médica e análises clínicas, para se apurar a causa do meu sofrimento. Como já não conseguia manter-me em pé, nem dar mais um passo sequer, o médico imediatamente orientou a fazer ecografia para saber se tinha partido algum osso na perna, felizmente não era o caso. Contudo, fiquei internada para observação.

Na cama do hospital, fiquei com as duas pernas paralisadas, sem conseguir levantar-me da cama para fazer as necessidades fisiológicas; passei a depender da minha mãe e dos meus familiares para realizar tais necessidades, aumentando ainda mais o meu sofrimento e da minha querida mãe.

Diariamente era observada pelo médico que me acompanhava assim como os demais que apoiavam na procura de solução para o meu caso. Todo esforço e empenho dos mesmos, resultava sempre em nada, pois não se detectava de concreto a causa da minha paralisia, deixando-os de braços atados. Comecei a ter febres altas chegando a 39 graus; ao ser submetida à análise clínica, o médico disse que tinha infecção urinária e um abcesso interno, que para o seu tratamento teria que fazer uma incisão na minha barriga. Enfim, de concreto não sabiam o que tinha. Durante o tempo que estive internada, acompanhada da minha mãe, me ministrava Johrei e fazia comigo a pratica do sonen, assim como alguns membros da igreja iam dar-me assistência religiosa. Com sonen de entregar aquela  purificação nas mãos de Deus e do Messias Meishu-Sama, era motivada a ter fé e esperança de que passada essa fase, iria voltar a andar e ter vida normal o que veio acontecer. No entanto, lamentavelmente algumas pessoas que iam me visitar, diziam que eu não conseguiria mais andar, o que me entristecia e aumentava o meu sofrimento e a da minha mãe.

Numa sexta-feira, o médico que me acompanhava, entrou no quarto, virou-se para minha mãe e disse:

– Não dê muita comida, nem água a menina que na segunda-feira, ela será operada.

Ouvindo aquilo, o medo tomou conta de mim, comecei a chorar e a minha mãe aflita, foi à igreja buscar orientação. De acordo com as suas palavras, foi orientada a fazer um donativo especial, entregando aquela decisão médica, nas mãos de Deus e do Messias Meishu-Sama. Ela materializou o donativo e continuei a ser assistida com Johrei, comecei a notar melhorias nas minhas pernas.

Na segunda-feira, de manhã, já não tinha febres e quando o médico entrou no meu quarto, provavelmente para saber se já estava preparada para ir ao bloco operatório, encontrou-me sentada com bom aspecto, sorrindo; ficou surpreso e apenas disse:

– Uau, graças a Deus minha amiga está sentada e a sorrir! Então não vai mais ter operação.

O meu coração encheu-se de alegria com aquelas palavras e muito feliz, falei:

– Graças a Deus.

Depois de receber alta hospitalar ainda andava com algumas dificuldades, mas com a continuidade no recebimento do Johrei, em pouco tempo as dores desapareceram, voltei a andar normalmente e hoje tenho o prazer de compartilhar esse milagre que o Messias Meishu-Sama me proporcionou.

Aprendi que Meishu-Sama é o Messias esperado pela humanidade e que o Johrei tira as pessoas do sofrimento.

Agradeço a Deus e ao Messias Meishu-Sama, pela permissão de ter conhecido este caminho de salvação junto com os meus antepassados.

Agradeço em especial a minha mãe e todos aqueles que nos apoiaram durante todo o processo de purificação.

Muito Obrigado!