Meu nome é Malaquias Armindo, malaquiastenho 57 anos de idade, sou missionário e dedico como responsável do Núcleo de Johrei do Mbondo Chapeu.

Conheci a Igreja Messiânica Mundial no dia 15 de Maio de 2005, porque sofria com perturbação mental, fui encaminhado pelo senhor Francisco Fonseca Ebo.

Sofri com perturbação desde a infância até os 45 anos, para solucionar, frequentei hospitais, igrejas e tratamentos caseiros; gastando avultadas somas em dinheiro, mas sem melhorias. Com isso, a família concluiu que eu devia herdar um altar de Santos. Foi com este quadro de sofrimento que encontrei Meishu-Sama.

Encaminhado à igreja Messiânica, fui orientado a receber 10 Johrei por dia, manter a Flor de Luz em casa, fazer a Prática do Sonen e ler os ensinamentos de Meishu-Sama. Pratiquei as orientações durante 20 dias com algumas dificuldades por motivos de trabalho. Pelo meu empenho no recebimento de Johrei, a perturbação mental que carregava há 45 anos diminuiu significativamente. Para agradecer, materializei os donativos de ingresso na fé e de outorga para melhor servir na Obra Divina.

A experiência de fé que passo a relatar, está relacionada com a oração e o donativo de construção.

No dia 1 de Janeiro de 2017, estabeleci uma meta de aprofundar na oração Zenguen Sandji no Altar do Lar; com o objectivo de aprender a recitar correctamente. Como resultado deste compromisso, no mês de Abril de 2017, ganhei à permissão de receber do meu superior a tarefa de fazer um donativo de Construção do Centro de Aprimoramento do Morro Bento; pratiquei a orientação imediatamente e comuniquei o cumprimento ao meu orientador.

No mês seguinte, iniciei a praticar a orientação superior de colocar uma ikebana de flores no serviço, para clarear o ambiente espiritual; semanalmente colocava um arranjo de flores na minha mesa durante dois meses; alguns chefes incomodaram-se com ela e, assim, fui impedido de continuar a fazê-lo. Refletindo, pus em prática o ensinamento “Ceder para Conquistar”.

Como alternativa, tomei a decisão de praticar as orações das 6 e 12 horas no serviço todos os dias até o fim do ano. Fiz também uma horta no serviço. Semanalmente, passei a dar de empréstimo um livro de ensinamentos de Meishu-Sama aos colegas que estivessem de serviço.

 Mudanças

  1.  A unidade ganhou a permissão de ser visitada várias vezes e está a ser cuidada com muita atenção pelos superiores.
  2.  A unidade tinha o material de tecto falso guardado há três anos e não havia permissão para colocá-lo, mas, graças aos desafios de orações e o donativo de construção do Centro de Aprimoramento, a unidade já tem o tecto falso colocado.
  3. Ganhei a permissão de fazer um donativo especial de Construção do Santuário.
  4. Ganhei também a permissão de receber visita e oração no Altar do Lar.
  5. No fim de 2017, mais de 23 colegas de serviço foram promovidos em diversas categorias, aumentando deste modo clima de muita alegria e bom ambiente de trabalho.
  6.  Um colega, fiel de uma igreja Cristã, chamou-me em sua casa para lhe ministrar Johrei; depois de ser assistido durante uma hora, fizemos juntos a limpeza em sua casa; semana seguinte ganhou a permissão de ser selecionado e há 6 meses se encontra a trabalhar fora do país.

A experiência de fé a seguir, está relacionada com a importância da outorga, o Johrei e a prática do Sonen.

Depois que ganhei a permissão de me outorgar, comecei a ministrar Johrei diariamente e fazer oração, apesar da dificuldade para dedicar, devido ao trabalho, mas aproveito todas as oportunidades possíveis.

Assim, no dia 30 de Novembro de 2007, a minha filha de 12 anos, depois de jantarmos foi à cama dormir e dia seguinte não acordou, morreu sem adoecer. Comuniquei ao meu orientador que, na altura se encontrava na Sede Central. Durante 4 horas, fizemos assistência com Johrei, Prática do Sonen e materializei um donativo, milagrosamente,  a minha filha ressuscitou ou seja ganhou nova vida.

Com essa ocorrência, percebi que não estava a cuidar os meus familiares. Pedi permissão ao meu superior para visitar e cuidar da minha família. Com esta atenção, registei as seguintes mudanças:

  1.  Ganhei a permissão de encaminhar e acompanhar 21 pessoas da família para Igreja Messiânica (pai, mãe, esposa, filhos, sobrinhos e irmãos) outras 25 pessoas entre colegas de serviço e vizinhos do bairro foram outorgados, totalizando 46 pessoas.
  2.  As pessoas da família que são membros têm me ajudado a orar diariamente no Altar do Lar, trocamos Johrei e na limpeza.
  3.   A minha casa tem sido um lugar de ministração de Johrei, sobretudo no período das 19 às 21 horas que é o momento de novelas e, diariamente, assistimos mais de 20 pessoas.
  4.  A minha filha que ressuscitou tem actualmente 23 anos de idade e é mãe de 2 meninos.
  5.  O meu irmão de 55 anos de idade, depois de se outorgar, 3 anos depois, ganhou a permissão de ter o seu primeiro filho.

Com estas mudanças, aprendi que a comunicação saudável com o responsável do Johrei Center ou com o ministro é o caminho para nos ligarmos ao Supremo Deus e ao Messias Meishu-Sama.

Faço o dízimo, donativo de construção, peregrino os locais de maior luz, cuido de uma casa de membro, uma de frequentador e sou cadastrado. Por permissão do Supremo Deus e do Messias Meishu-Sama encaminhei cerca de 96 pessoas das quais 46 são membros.

Agradeço ao Supremo Deus, ao Messias Meishu-Sama e aos meus antepassados pela permissão que me concederam de conhecer este maravilhoso caminho da salvação.

Agradeço ao senhor Francisco Fonseca Ebo que serviu como instrumento do Messias para o meu encaminhamento à Obra Divina.