Chamo-me Lucinda Mendes Rodrigues, 29994020_589478424736192_1503378072_otenho 40 anos de idade, resido na funda, sou frequentadora e dedico como encarregada do grupo Lua da rede de salvação do bairro São Miguel.

Conheci a I.M.M.A em 2015, por intermédio da minha sobrinha Cléria Marques do Espírito Santo, membro desta igreja.

Os motivos que me levaram a conhecer a igreja foram doenças e conflitos conjugais.

 Tendo em conta o estado clínico em que me encontrava, em 2015, havia recebido o convite da minha sobrinha, a fim de ingressar a fé messiânica, mas como frequentava uma outra religião, recusei o convite. Um ano depois, a minha mãe partiu para o Mundo Espiritual, deixando-me triste e bastante traumatizada. Assim sendo, comecei a ter sentimentos negativos que invadiam o meu coração e achava-me culpada pela morte dela.

Depois da morte dela, passei a vivenciar vários conflitos no lar e a ter problemas de saúde, nomeadamente, dores em todo corpo, dores de coluna e dores de bexiga, que não me permitia ficar em pé por muito tempo, fraqueza nas pernas, nos braços e para piorar, comecei a ter maus sonhos. Em virtude disso, realizei várias consultas e ecografias, através das quais foi diagnosticado uma infecção na costela direita. Sempre que tomava medicamentos, as dores pioravam. Com este cenário, passei a receber várias orações e a fazer jejum, mas mesmo assim, situação não passava. Certo dia, sonhei com os meus antepassados, que mostraram-me o caminho da minha casa muito escuro. O sonho repetia-se varias vezes. Foi neste calvário, que fui encaminhada.

Na unidade religiosa, fui recebida pelo plantonista que após ouvir-me, atentamente, orientou-me o seguinte:

  • Receber 10 Johrei por dia;
  • Dedicar no banheiro e na nave;
  • Participar do culto matinal e vesperal;
  • Peregrinar aos locais de maior luz.

Cumpri com as orientações sem dificuldades, e no prazo de 15 dias de dedicação, tudo foi solucionado. Como gratidão, fiz um donativo especial de agradecimento pelas graças recebidas.

A experiência de fé, que passo a relatar aos senhores está relacionada com a prática do sonen, horta caseira e a vivência da flor nas casas dos fiéis.

Em Janeiro do ano passado, ganhei a permissão de participar de uma marcha de Johrei no Solo Sagrado de África. Após a oração de elevação espiritual dos nossos antepassados, a professora do sanguetsu da região norte, programou uma marcha de distribuição de flores no bairro São Miguel e Kanguengue. Desta feita, participei da marcha com muita alegria e gratidão. Terminada a marcha de Johrei, voltei para casa, onde comecei a sentir fortes dores de dente, as minhas gengivas ficaram inflamadas durante 3 dias.

No dia seguinte, esforcei-me, a fim de participar do culto matinal na unidade religiosa, onde fui orientada a lavar as cortinas da nave e toalhas de limpar o retrato de Meishu-Sama. Lavei-as com muito amor e gratidão e, repentinamente, senti algo diferente na boca. Para o meu espanto era a inflamação na gengiva que estava a sair bastante pus. Por outro lado, o meu filho chegou do serviço, mostrou um dente e disse:

Chinda, eu estava com fortes dores de dente no meu local de serviço, não te telefonei para não te preocupar, mas sem entender as dores passaram por completo.

Como se não bastasse, meu filho de 15 anos, também estava a purificar com febres e dores na coluna, há duas semanas. Em virtude disso, fizemos tratamentos médicos sem obter resultados sa29942668_589479444736090_1704998588_otisfatórios. Preocupada com o seu estado, fiz um donativo para agradecer pela purificação. Ao dormir, sonhei que estava mal, não conseguia mover o corpo. Espantei-me do sonho, assustada, fui observar o meu filho e constatei que estava grave, fiz a prática do sonen durante uma hora, ele começou a transpirar bastante e o seu estado melhorou. Materializei um donativo de gratidão para agradecer aquele milagre.

Com estes milagres, ganhei mais força e convicção no poder do Supremo Deus e Messias Meishu-Sama. Comecei a realizar vivências da flor e a horta nos lares dos frequentadores que acompanho. Fruto destas dedicações, vivenciei as seguintes mudanças:

  1. Os meus filhos que não trabalhavam, começaram a trabalhar.
  1. Eu que vivia um enorme conflito no lar com o meu esposo, porque o mesmo não dava sustento à família devidamente e dormia fora de casa constantemente, comecei a dar aulas de flores e implementar as hortas caseiras nas casas dos frequentadores, o meu esposo começou a apoiar a família e comprou um televisor novo. Hoje no meu lar os conflitos minimizaram.
  1. O meu irmão ofereceu-me dez mil kwanzas, com o qual materializei um donativo para ligar as nossas raízes à construção do Templo Messiânico.
  1. Uma frequentadora, que estava a purificar com febres e dores no corpo, não conseguia ficar em pé e nem conseguia comer, depois de fazer a prática do sonen e colocar flor de luz em sua casa, no mesmo dia, recuperou satisfatoriamente.
  1. Outra frequentadora, que o marido tinha se distanciado dela há muitos anos, depois de ter feito a horta caseira e realizar a vivência da flor em sua casa, o marido voltou, pediu-lhe desculpas, reconciliaram-se e vivem em harmonia.
  1. Assim, que comecei a fazer a vivência da flor na casa dos frequentadores, os meus vizinhos que não me saudavam, passaram a cumprimentar-me.

 Por permissão do Supremo Deus e do Messias Meishu-Sama, já encaminhei 5 pessoas a igreja e cuido de 5 casas de frequentador, faço o dízimo, donativo diário e de construção, tenho a horta caseira e sou cadastrada.

O meu desejo é levar a corda da salvação para outras pessoas que estão a sofrer.

Agradeço ao Supremo Deus, ao Messias Meishu-Sama e aos meus antepassados, pela permissão de conhecer este maravilhoso caminho da salvação.

Muito obrigado.