Chamo-me Amarildo Luís Nayna, amarildomissionário dedicante na Província de Tete. Conheci a Igreja Messiânica Mundial de Moçambique em 2013, encaminhado pela minha mãe, Anabela Carlos Andrade, membro da igreja.

Durante a minha dedicação na província Tete, tive a permissão de acompanhar vários casos, um dos quais passo a relatar.

A jovem Yra Abdula Ibraymo Ossene, frequentadora há 2 meses, encaminhada pela irmã Elka Jorge Muchanga, também frequentadora da igreja. Na altura, estava grávida, tinha desentendimento com o seu namorado, enfrentava conflitos laborais, depressão e insónia. No dia 10 de Fevereiro do presente ano, num sábado, estava a passar mal com depressão e cólicas fortes. A sua irmã levou-a ao hospital. No dia seguinte, a irmã encaminhou-a a igreja e juntas, partiparam do culto, expliquei-lhe sobre a igreja e passei-lhe as orientações básicas.

Ela sentia vontade de ir a igreja, principalmente aos domingos, mas algo estranho sucedia, pois sentia sempre um mau estar entre as 9 às 11 horas, da manhã, o que a impedia de sair de casa. Esta situação repetiu-se durante duas semanas. Até que, no dia 04 de Março, ela teve uma forte discussão com o seu parceiro, o que a deixou muito abalada, pedindo então que se separassem.

No mesmo dia, ela teve vontade de tomar Ratex, mas uma força maior a impediu. Chorou durante todo dia. Mais tarde, saiu de casa com o objectivo de se lançar no rio Zambeze. Chegando ao rio, ficou mais de duas horas a pensar se suicidava-se ou se ia a igreja.

Felizmente, a ideia de suicídio ficou para trás, abandonou aquele local e foi a uma padaria nos arredores para comprar pão.  Naquele momento, eu também ia comprar pão numa padaria próxima ao alojamento, mas, por algum motivo, deu-me vontade de comprar pão numa outra padaria e assim o fiz. A caminho de lá, recebi a chamada da irmã Yra, perguntando se estava na igreja. Naquele instante em que ela me fazia a pergunta, eu já estava a virar a esquina em direcção a padaria. Ela viu-me e pediu que me aproximasse, uma vez que estava dentro do seu carro. Percebi que ela não estava bem e levei-a imediatamente a igreja, onde recebeu bastante Johrei.

Chegando a igreja, liguei para o Responsável da unidade, pedindo o seu auxilio e este veio logo de imediato. Juntos fizemos a oração no Altar e em seguida, ministramos-lhe Johrei das 21 até às 22 horas.

Ainda no mesmo dia, fomos a sua casa para fazer oração e continuamos com o Johrei. Foi então que o Responsável orientou que fizéssemos uma limpeza profunda na sua casa no dia seguinte. Conforme orientado, organizei a rede de salvação e fomos a sua casa fazer a limpeza.

Como resultado da limpeza, teve um sono profundo, o que não acontecia há bastante tempo; conseguiu ir ao serviço e o seu parceiro pediu-lhe perdão pela sua postura e reconciliaram-se.

Actualmente, sente-se melhor, a insónia e a depressão desapareceram por completo e teve a permissão de firmar contracto com a empresa, uma vez que se encontrava-se no período probatório até ao mês de Maio, mas com a limpeza profunda, a assinatura do contracto foi antecipada e foi promovida. O seu namorado foi conversar com a sua madrinha para marcar a data de apresentação.

Por essas graças recebidas, ela fez um donativo especial de gratidão pela transformação que teve na sua vida.

Comprometeu-se em intensificar na dedicação, aprofundando na leitura dos Ensinamentos de Meishu-Sama, recebimento do Johrei e preparar o donativo de outorga para se tornar membro.

Esta experiencia de fé mostrou claramente que somos utilizados e protegidos a todo o instante pelo Messias Meishu-Sama. Acredito que se ela não tivesse sido encaminhada à igreja e recebido Johrei, os seus antepassados não teriam forças para lhe proteger.

Agradeço ao Supremo Deus, ao Messias Meishu-Sama e aos meus antepassados por me terem utilizado como seu instrumento na salvação desta jovem.

Aos ministros, missionários e fiéis em geral, o meu mais profundo agradecimento.