Chamo-me Baptista João Quindela, file(1)tenho 43 anos de idade, resido no bairro Golf 2, município do kilamba kiaxi, sou missionário e dedico actualmente como responsável do Johrei Center do Golf II. Conheci a I.M.M.A, no dia 24 de Janeiro de 2003, por intermédio do Senhor Miguel Mpanzo, membro da nossa Igreja.

Sofri durante 3 anos com cabeça aberta , febre tifoide e malária; que me causava insónia e síndrome de pânico; que me impossibilitava passar a noite na minha casa. Por esse motivo, abandonei a minha casa e fui residir com o meu tio.

Para minimizar este quadro, era obrigado a tomar duas cápsulas de diazepam todas as noites.  Consultei, igualmente, um terapeuta tradicional, que me deu um cinto de segurança, uma raiz, uma munição, mas sem resultado satisfatório.

Apesar disso, tinha dificuldade em manter boa convivência com a minha esposa, o que me levava a agredi-la com frequência, causando-lhe muito sofrimento.

Minha condição financeira era precária. Apesar de ter um emprego na altura, o salário era gasto com remédios.

Com base nisso, tive a permissão de ouvir falar sobre a I.M.M.A., mas como era cristão, menosprezava os convites que me eram formulados.

Quando comecei a viver com a minha esposa, perdi a permissão de comungar e de participar de outras actividades religiosas, sentia-me distante de Deus, o que me levou a procurar a Igreja Messiânica, onde fui orientado o seguinte:

  • Receber 10 Johrei por dia;
  • Manter a flor de luz em casa;
  • Peregrinar aos locais de maior luz da nossa Igreja.

Com o cumprimento das orientações, em um mês os problemas de saúde foram solucionados, a harmonia voltou a tomar conta do meu lar e ganhei certa estabilidade financeira.

Para retribuir as graças recebidas e melhor servir na Obra Divina, materializei um donativo de gratidão, de ingresso na fé e de outorga.

A experiência de fé a seguir está relacionada com a orientação do Presidente da I.M.M.A., Reverendo Claudio Cristiano Leal Pinheiro proferida no Culto Mensal de Gratidão de Abril de 2018.

No dia seguinte, reuni com os encarregados do Johrei Center e Núcleos de Johrei, para levarmos à cabo as orientações do senhor Reverendo baseadas na vivência da flor nas casas dos fiéis, distribuição de flores, montagem de hortas caseiras, limpeza e cadastramento. Com a prática destas actividades, obtivemos os seguintes resultados:

  1. Um frequentador estava a passar por conflitos com a sua filha, recebeu uma equipe de missionários em sua casa, que realizaram a limpeza e aula da flor com a família. Dias depois, o frequentador foi à unidade religiosa e explicou que a sua filha se reconciliou com ele, depois de um ano de desentendimento.

  2. Outra frequentadora, afastada há vários anos, estava a purificar com febres altas, depois que os missionários realizaram a limpeza e aula da flor, melhorou e no domingo, conseguiu participar do culto dominical.

  3. Um assistente do Grupo Sol depois da limpeza e a aula da flor em sua casa, os clientes na bancada de sua esposa passaram a vir com muita afluência; recebeu o telefonema de um familiar a informar que uma sobrinha vai contrair o matrimônio, ainda este ano, facto que não ocorria na família.

  4. Uma membro depois de terem feito a limpeza, aula da flor e renovação da horta de sua casa, o seu cunhado, que desde 2015, deixou de frequentar a sua casa, sem motivos aparente, apareceu alegando que vinha visitar a família.

  5. A assistente de liturgia com a morte do neto, sentia um peso dentro de si e tinha insónia, com a prática das orientações, conseguiu dormir profundamente; Sua sobrinha que não presenciou a dedicação, ao chegar em casa notou um ambiente agradável, ao ver sua cama bem arrumadinha,  perguntou a sua tia se pagou algum valor pela limpeza feita em casa; A sua mãe também agradeceu pela limpeza.

 Com tudo isso, ganhei a permissão de ser escolhido para apadrinhar um casamento que realizar-se-á em Junho. Ganhamos também a permissão de levar um autocarro à Sede Central com 64 fiéis, no dia do nosso culto.

 Aprendi que quando colocamos as orientações dos nossos superiores em prática os milagres acontecessem.

 Por permissão do Supremo Deus e do Messias Meishu-Sama, encaminhei 500 pessoas, das quais 280 tornaram-se membros, faço dízimo, donativo de construção, sou cadastrado.

Desejo participar da construção do Templo Messiânico e peregrinar aos Solos Sagrados do Japão e Brasil.

Agradeço ao Supremo Deus, ao Messias Meishu-Sama e aos meus antepassados pela permissão de conhecer este maravilhoso caminho da salvação. Agradeço, especialmente o irmão Miguel Mpanzo.

Muito obrigado a todos.