O MUNDO DESCONHECIDO

O mundo em que vivemos e respiramos é o Mundo Material, o Primeiro Mundo. Com a morte, tornamo-nos habitantes do Mundo Espiritual, o mundo desconhecido, isto é, o Segundo Mundo.

O Mundo Desconhecido é invisível, inapreensível e, por se assemelhar ao Nada, torna-se difícil crer em sua existência apenas por meio de textos ou de uma simples explicação. Entretanto, desde que o Mundo Espiritual não é um verdadeiro Nada, mas sim uma existência real, ele deve manifestar-se de alguma forma por meio de fenômenos.

Com efeito, aquele mundo tem-se revelado em grande, média ou pequena escala nos aspectos da vida humana, nos seus mínimos detalhes, em todas as épocas e locais do mundo. Simplesmente, o ser humano é que não conseguia percebê-lo.

Isso foi causado pela educação da cultura tradicional, que não tinha interesse algum pelo espírito, pois era o Mundo da Noite. Afinal, na escuridão da noite, só se consegue enxergar fracamente com a luz da Lua, mas de dia, com a luz do Sol, é possível distinguir instantaneamente as coisas de forma nítida e clara. Num futuro bem próximo, o Mundo Desconhecido se tornará o Mundo Conhecido, e o mundo da luz da Lua se tornará o mundo do Sol, ou seja, um mundo de luz muito intensa. Como resultado disso, os segredos, as falsidades e as falácias virão à tona aos olhos de todos. Nesse sentido, o primeiro destes foi a falácia da Medicina actual, descoberta por mim.

5 de Fevereiro de 1947