Chamo-me Domingos Augusto Caetano, 45636057_2432211880361835_4496159004552069120_ntenho 30 anos de idade, dedico como Vice-responsável do Johrei Center do Tchinguari.

Os motivos que me levaram a conhecer a igreja foram doença, conflitos familiares, consumo excessivo de bebidas alcoólicas e o uso de estupefaciente durante quatro anos.

Com relação a doença era acometido com paludismo todos os meses.O irmão Laurindo Cassoma, sendo meu colega de serviço na altura, vendo o meu estado de saúde encaminhou-me a igreja, onde fui orientado as seguintes práticas básicas da fé:

  • Receber 10 Johrei por dia;
  • Manter a flor de Luz em casa;
  • Ter a horta caseira;
  • Peregrinar aos lugares de maior luz;
  • Dedicar na nave e no banheiro;
  • Encaminhar pessoas a fé.

Com o cumpri  das orientações, a Direcção da empresa transferiu-me para uma outra área de trabalho, a partir daí os conflitos no trabalho foram ultrapassados e o novo chefe chamava-me de filho, facto que deixava os meus colegas admirados. Deixei de ingerir bebidas alcoólicas e o uso de estupefaciente.

Os conflitos familiares passaram completamente, hoje assumo uma nova postura, facto que deixa os meus familiares contentes ao ponto de mesmo pertencendo a outras denominações religiosas, pedem-me flores e oração. Para retribuir as graças recebidas do Supremo Deus e Messias Meishu-Sama, tornei-me membro para melhor servir a Obra Divina.

A experiência de fé a seguir está relacionada em aprofundar na leitura dos ensinamentos do Messias Meishu-Sama, limpeza e vivência da flor.

Ao estudar o livro Fé no Quotidiano, no ensinamento “Minha Natureza” a frase: “…Como eu me vejo.  Agora, ao invés de me colocar na posição de terceiros, tentarei analisar-me de forma subjectiva, dando uma visão mais profunda de mim mesmo.” chamou minha atenção, o que me levou a fazer uma auto-reflexão, de como tem sido o meu comportamento com os fiéis, e passei a ouvi-los um por um.

Na reflexão os mesmos disseram que gostavam do meu empenho nas dedicações, mas que era muito arrogante. Assim sendo decide aprofundar no estudo do ensinamento “Domine o GA”. No início da leitura fiquei indignado porque dizia exatamente sobre o meu comportamento, mas decide continuar até ao fim. Assim percebi que é importante ter “Ga” e não ter “Ga” é bom que tenhamos mas não o manifestarmos.

Foi assim que tomei a decisão de mudar de postura principalmente com os jovens. Tornei-me mais prestativo, compreensível, bondoso e cortês.

Essa mudança admirou muito os fiéis, chegando ao ponto de ganhar permissão de dedicar como Vice-responsável da unidade religiosa.

Numa actividade na Rede de Salvação, na zona verde 3, um missionário elogiou-me dizendo que estava com uma postura diferente, um novo homem porque percebeu que não manifestava o Ga, o que serviu-me como um incentivo.

Uma membro, cujo pai é missionário, teve dificuldades de entender os ensinamentos devido o estudo bíblico que a mesma recebia e parou de frequentar a igreja, procurei-a, ela tinha várias duvidas como: “Porquê que o nome de Meishu-Sama não consta na bíblia?” Respondi-lhe porque Ele veio numa época diferente de todos os profetas da Bíblia. Em seguida, perguntei-lhe se o nome de Jesus está no Antigo Testamento. A mesma disse-me que não. Continuei:

O Novo Testamento foi escrito antes ou depois da morte de Jesus?

– Depois da Sua morte – Respondeu a jovem. Questionei-lhe:

– Agora qual é a tua decisão?

Pediu um tempo para pensar, depois de 15 dias retomou e está a dedicar com afinco, aprofundando no Johrei e nos ensinamentos de Meishu-Sama. Nesta altura, está a terminar de ler o ensinamento “Religião e o Mundo Espiritual”.

O meu sobrinho que estava desesperado por falta de emprego, ofertei-lhe o livro “Novos Tempos”, ao ler o ensinamento “O Sofrimento é uma forma de purificação”, entendeu que o que estava a passar era uma forma de purificação, agradeceu pelas dificuldades, desta feita ganhou a permissão de fazer cursos de Pedagogia, Didática e Informática, graças a Deus já está a trabalhar como professor e tem nova proposta de trabalho.

Um casal cujo a esposa sofria com hemorragias há três meses, recorreu em três quimbandeiros e hospitais sem resultado satisfatório, ao relatar a sua preocupação decidi fazer a limpeza e a vivência da flor em sua casa, após isto a purificação acelerou. Chamei por Meishu-Sama! Confesso que o coração bateu forte, mas manti-me firme, ministrei Johrei durante uma hora, a purificação cessou. Surpreendentemente, a hemorragia parou, encaminhei-os a Sede Central para participar na marcha de Johrei. Para retribuir esta graça abriu a sua fixa de construção e é candidato a outorga.

Aprendi que quando possuímos firmeza na fé, somos agraciados além do que esperamos. Fruto disso, tive a permissão de entronizar o altar do lar.

Com a permissão do Supremo Deus e do Messias Meishu-Sama encaminhei 40 pessoas, das quais 5 tornaram-se membros, tenho a horta caseira, faço dízimo, e peregrino aos locais com maior luz, cuido de uma casa, com total de 4 pessoas.

Meu compromisso é de me empenhar cada vez mais e levar esta felicidade para outras pessoas.

Agradeço ao Supremo Deus, Messias Meishu-sama e aos meus, antepassados pela permissão de me conhecer este maravilhoso caminho da salvação.

Aos ministros, responsáveis, membros, frequentadores e a todos que têm contribuído para o meu crescimento espiritual a minha eterna gratidão.

Muito obrigado.