Chamo-me Silva Salomão Muehombo, 47390008_327542458083453_1083637725002727424_ntenho 24 anos de idade, sou membro e dedico como assistente de experiências de fé.

Conheci a I.M.M.A aos 23 de Março de 2016, por intermédio do meu irmão José Candeeiro Tomas, membros da nossa Igreja.

O motivo que me levou a conhecer a Igreja foi a mudança de postura do meu irmão. Uma vez que ele era alcoólatra e fazia uso de estupefacientes, durante 4 anos, nós familiares já não contávamos com ele.

Ao ouvirmos que ele estava a frequentar uma Igreja e deixou de fazer uso excessivo de bebidas alcoólicas e de estupefacientes, ficamos curiosos, fomos visitá-lo e admirámos a sua nova postura.

Depois de algum tempo, como eu estava desempregado e também fazia o uso excessivo de bebidas alcoólicas, o mesmo convidou-me a frequentar a Igreja, aceitei e fomos a unidade religiosa, onde fui recebido pelo plantonista que orientou as práticas básicas da fé que são:

  • Receber 10 Johrei por dia,
  • Manter a casa limpa com a flor de luz,
  • Assistir aos cultos,
  • Peregrinar aos lugares de maior luz.

Cumpri com as orientações com algumas dificuldades, mas graças a Deus, em menos de duas semanas, comecei a perder a vontade de fazer o uso excessivo de bebidas alcoólicas e ter uma nova postura, onde os familiares elogiaram e me incentivaram a continuar a frequentar a Igreja e, como se não bastasse consegui um emprego. Agradecido pelas tamanhas graças recebidas de Deus e do Messias Meishu-Sama, materializei o donativo de outorga e tornei-me membro no mesmo ano, para melhor servir a Obra Divina.

A experiência de fé a seguir está relacionada com o donativo especial de construção e a prática de “muito obrigado”.

É de salientar que após me tornar membro, comecei a dedicar com mais afinco, para minha surpresa a purificação acelerou causando-me a perda do emprego facto que me deixou muito admirado e preocupado.

Devido a esta purificação afastei-me da Igreja durante dois meses. O meu orientador vendo a minha ausência foi a minha casa.

Fiz a reflexão profunda, o mesmo orientou-me a voltar ao ponto inicial da minha fé.

Assim sendo, decide continuar com as dedicações, onde ganhei a permissão de ter um novo emprego. A princípio, fiquei receoso porque o salário era muito pouco, ao ter com o meu orientador, este por sua vez orientou-me a agradecer e fazer distribuição de fores, filosofia de salvação e pontualidade no horário de chegada ao local de serviço. Para minha surpresa, o patrão decidiu aumentar o salário no mesmo mês, este milagre incentivou-me a materializar o donativo especial do meu primeiro salário e manter-me firme nas dedicações de participar nas marchas de visitas nas casas dos fiéis, actividades dos jovens da região, fazer locução nos cultos matinais e vesperais, bem como no Culto Mensal de Gratidão da  unidade, na Sede Central de África.

Com base na orientação do Reverendo Claudio Cristiano Leal Pinheiro de aprofundar nas práticas de dez “obrigado” por dia, tive a permissão de encaminhar a minha colega.

Certo dia, o meu patrão pediu para controlar algumas senhoras que vieram prestar serviço de limpeza em sua casa, onde não habita ninguém, cumpri com a solicitação.

Sempre que elas precisavam de alguma coisa, atendia-lhes com muito respeito, e em seguida agradecia. O mesmo acontecia quando  precisava pedir-lhes “por favor” e ao receber “muito obrigado”.

As senhoras ficaram admiradas com a minha postura, no final começaram a comentar, em seguida uma delas, chamou-me e perguntou:

Mano és de que Igreja?  – Admirado questionei-lhe:

Como é que sabes que eu sou da Igreja? A mesma respondeu:

Pelo teu jeito de ser, és muito respeitoso e sempre que queres uma coisa pedes “por favor”, quando recebes, agradeces. Esse tempo encontrar um jovem assim é muito raro. – Em resposta, eu disse-lhes:

Sou da Igreja Messiânica Mundial.

Essa Igreja afinal é boa! – Disseram elas.

Ficaram tão satisfeitas e decidiram começar receber flores e procurarem a Igreja no seu bairro.  Assim sendo, passo a relatar os seguintes milagres vivenciados:

  1. Uma frequentadora que estava fraca nas dedicações e tinha dificuldade de fazer leitura, após começar a dedicar na locução, melhorou a sua leitura e foi eleita como delegada da sua turma.
  2. A minha colega que era contra a Igreja, ignorava-me dizendo:

Esta Igreja é dos falsos profetas.

Agradeci do fundo do meu coração. Certo dia, ela estava a purificar com fortes dores de barriga, a mesma mandou-me chamar e pediu-me oração. Sem vacilar ministrei-lhe Johrei, durante 30 minutos. A purificação passou e todos os colegas que estavam a minha volta ficaram admirados.

Agradecida pelo milagre, veio assistir o Culto às Almas dos Antepassados, no mês passado e comprometeu-se a frequentar a Igreja. Até nos dias de hoje os meus colegas chamam-me de “muito obrigado” ou “graças a Deus”.

Já encaminhei 30 pessoas, tenho a horta caseira, faço os donativos e peregrino aos lugares de maior luz.

Cuido de uma casa, com um total de seis pessoas, onde aprofundo nas práticas básicas.

Aprendi que, quando colocamos em prática as orientações, somos agraciados e protegidos por Deus.

Comprometo-me em aprofundar nas práticas básicas da fé e despertar o maior número de pessoas para participar da Obra Divina.

Agradeço ao Supremo Deus, ao Messias Meishu-Sama e aos meus Antepassados pela permissão de me conduzirem neste magnífico caminho da salvação.

Aos ministros, responsáveis, membros e frequentadores que têm contribuído para o meu crescimento espiritual.

Muito obrigado!