Chamo-me Gina Inácio Mapangane, Untitled1tenho 55 anos de idade, sou membro e dedico como assistente do Grupo Lua, no Johrei Center do Jardim.

Conheci a Igreja Messiânica Mundial de Moçambique em Novembro de 2012, por intermédio da irmã Ancha Celeste Cossa, membro da igreja.

Os motivos que me levaram a conhecer a igreja foram conflitos familiares e falta de paz espiritual.

Tudo começou quando o meu neto, ao brincar em casa, caiu e partiu para o Mundo Espiritual. A partir desse dia, começou a minha purificação. A minha filha passou a ter perturbações e culpava-me pela morte do meu neto. Vivia isolada, não comia e muito menos cuidava da sua própria higiene, alegando que queria seguir o seu filho, pois a vida não tinha mais sentido para ela.

Foi um momento de grande tristeza e sofrimento, pois eu também não aguentava ver a minha filha naquele estado.

Até que, certo dia, ao passar em frente ao Johrei Center, a irmã Ancha, que fazia a marcha da flor na porta, vendo a minha aparência de desânimo, ofereceu-me a flor e convidou-me a entrar na igreja, ao que aceitei. Levou-me ao altar e fez comigo uma oração, encaminhando-me, de seguida, à Ministra, que atenciosamente ouviu-me.

Orientou-me a cumprir as práticas básicas da fé messiânica que são:

  • Receber 10 Johrei por dia,
  • Fazer a prática do sonen com o donativo de gratidão diariamente e o dízimo para manter o meu coração agradecido,
  • Distribuir flores de luz e mantê-las em casa,
  • Fazer a horta caseira e dedicar no banheiro.

Passei a receber Johrei diariamente e após cerca de 3 meses de frequência, o remorso que sentia pela mágoa da filha foi cessando, ganhei forças para intensificar a minha dedicação.

Dias depois, a minha filha decidiu subir ao terraço para se atirar. Aflita, pedi ao meu filho para correr à igreja e pedir ajuda. Prontamente, os membros foram à minha casa, onde fizeram oração e levaram-na à igreja.

Chegados lá, fomos ao altar com a Ministra e fizemos oração com o donativo de gratidão. Nesse dia, a minha filha dormiu bem e as perturbações que tinha, cessaram, graças a Deus e ao Messias Meishu-Sama.

Continuei com a frequência à igreja e, posteriormente, ganhei a permissão de tornar-me Membro. Os fiéis da igreja davam a assistência religiosa em minha casa. Em busca de orientação, fui orientada a fazer o donativo especial de gratidão e com a graça do Messias Meishu-Sama, ganhei a permissão de conseguir materializá-lo. Recebi também a visita do Ministro, que falou com a minha filha e fez-lhe entender que o que aconteceu com o seu filho, mesmo que ela estivesse presente, iria acontecer. Disse ainda que ela tinha de voltar a viver normalmente, pois é jovem e tem muita vida para dar. Pediu então que tomasse banho e comesse algo, o que aceitou prontamente.

No dia seguinte, ela acordou, ferveu água para o banho, preparou o seu chá e disse que ia à casa de uma tia visitá-la e passou pela igreja, participou do culto, dedicou e fez donativo, graças a Deus e ao Messias Meishu-Sama. Hoje, ela tornou-se membro junto com a sua filha, que recebeu Shoko e vive uma vida normal.

A outra experiência de fé que passo a relatar é do meu filho mais velho.

Ele saiu em missão de serviço para as províncias, onde começou a purificar com problemas na bexiga e já não conseguia urinar. Os médicos não conseguiram resolver o seu problema, mas graças às orações e donativos feitos, ganhou a permissão de ser transferido para o Hospital Central de Maputo e foi directo para a sala de reanimação.

De imediato, foi colocado um aparelho provisório para que conseguisse urinar até um determinado tempo, caso contrário, teria que usá-lo por toda vida. Quando soubemos do relatório dos médicos, os assistentes religiosos intensificaram a ministração de Johrei e orações diariamente no hospital.

Graças a Deus e ao Messias Meishu-Sama, quando chegou a data prevista para retirar o aparelho, ele voltou a urinar normalmente.

Para agradecer pelas graças recebidas, materializei a minha gratidão.

Com esta experiência de fé, aprendi que realmente o Johrei salva.

O meu compromisso é participar da salvação do mundo, encaminhando mais pessoas para este caminho da Salvação.

Agradeço a Deus e ao Messias Meishu-Sama e também aos meus antepassados por me conduzirem a este caminho da salvação. Já me cadastrei, participo do encaminhamento de pessoas, das quais 7 tornaram-se membros e tenho a horta caseira.

Aos ministros, missionários, membros e frequentadores, os meus sinceros agradecimentos.