Chamo-me Eleutéria Quaresma do Nascimento, Untitledtenho 60 anos de idade, sou frequentadora e resido em S. Gabriel – São Tomé e Príncipe.

A experiência de fé que vou relatar para os senhores, está relacionada com donativo de outorga.

Ao participar numa das orações especiais para elevação espiritual dos antepassados, o palestrante frisou sobre a importância da outorga, tendo realçado o benefício do sagrado Ohikari nas nossas vidas e não só.

Ao ouvir isso, nasceu em mim o desejo de receber o meu sagrado Ohikari para também ministrar Johrei. Entretanto surgiu em mim alguma desmotivação porque como não trabalhava, o dinheiro era naquele momento o maior desafio. Recorri aos meus familiares abordando a questão e felizmente comprometeram-se em ajudar-me.

Como no mês de Outubro de 2018, recebemos a tarefa de fazer limpeza profunda em casa como preparação para o Culto Anual às Almas dos Antepassados, decidi praticar. Na segunda-feira da semana que antecedeu o culto, depois de tomar o pequeno almoço, dei início a limpeza até as 18 horas. Durante a arrumação, dei conta que não abri uma saca que estava dentro da outra. Peguei na mesma abri e fui vasculhado o seu interior tirando tudo que tinha dentro. Ao abrir um dos bolsos, para a minha surpresa, encontrei um valor correspondente a mil novas dobras e muito feliz agradeci a Deus Meishu-Sama por esta graça.

Ao refletir sobre essa graça inesperada, conclui que esse dinheiro me chegou as mãos por causa do compromisso que havia feito. Sem perca de tempo, fui à igreja e materializei a primeira parte do donativo de outorga a fim de receber o sagrado Ohikari no Natalício de Meishu-Sama.

Com isso, comecei a participar activamente nas marchas de distribuição de flores e foi com esse empenho que, numa das dedicações abordei uma jovem com objectivo de lhe oferecer uma flor. Ao fixar o seu rosto deparei que a mesma é esposa de um antigo colega de trabalho. Dei-lhe a flor e trocamos algumas impressões. Ao voltar no outro dia para orar em sua casa, deparei com seu marido que era meu colega de trabalho. Depois de oração falei com ele sobre a situação da empresa em que trabalhávamos e que se encontra encerrada há 5 meses por motivos de conflito entre os acionistas e no final ele incentivou-me a pesquisar a minha conta no banco, alegando que poderia haver algum deposito feito pela empresa. Inicialmente duvidei, mas como ele insistiu bastante, no dia seguinte fui ao banco e para a minha surpresa, encontrei na minha conta o valor correspondente ao que faltava para concretizar o meu donativo de outorga. Agradeci do fundo do coração a Deus e Meishu-Sama, peguei no montante e fui ao encontro do responsável para materializar a parte do donativo em falta.

Após participar 5 vezes nas marchas de distribuição de flores como preparação para o Culto do Natalício de Meishu-Sama, dias depois purifiquei com febres, dores de corpo e formigueiro nos pés. Graças a Deus e Meishu-Sama com a assistência religiosa em minha casa 3 dias depois consegui superar a purificação.

No dia 21 de Dezembro de 2018, fiz uma limpeza profunda em minha casa, renovei a minha horta caseira e a tarde ganhei a permissão de receber a visita do Ministro para uma assistência religiosa.

No dia 22 depois da entrevista com o Ministro com vista a outorga do Sagrado Ohikari, horas depois recebi um telefonema do meu patrão convocando-me para reiniciar as minhas actividades na empresa, no dia 23 de Dezembro, precisamente no dia do Culto do Natalício de Meishu-Sama e da Cerimónia de Outorga da Luz Divina. Informei ao patrão que só começaria a trabalhar na segunda-feira, pois para domingo tinha um compromisso importante e inadiável ao que ele aceitou.

Diante de tudo isso aprendi que, para concretizar o nosso desejo, precisamos fazer a nossa parte, porque Deus está no comando de tudo.

Meu compromisso é empenhar-me cada vez mais para levar o amor de Deus às outras pessoas servindo dentro da Obra Divina.

Agradeço a Deus, ao Messias Meishu-Sama e aos meus antepassados por me terem mostrado este maravilhoso caminho da salvação.

Muito obrigado.