Igreja Messiânica Mundial de Angola

Sede Central de África

COMUNICADO

 

DERRAMAMENTO DE SANGUE EM NOME DE YOICHI OKADA

 

50234325_397036774203236_8515459992231346176_n

O facto ocorreu na Província de Bié, no domingo, dia 13 de Janeiro de 2019.

Era o dia programado para a realização do Culto Mensal da Província e vinham fiéis de todos os cantos da província. Quando eram 6:00 horas da manhã, um grupo de jovens liderado por três ex-Sacerdotes da Igreja Messiânica Mundial, nomeadamente Luyinduládio Eduardo Bedy Quiala, Adão António João e Flávio dos Santos Cabuço, seguidores de Yoichi Okada fizeram-se presentes no Centro de Aprimoramento (CA) do Bié. O Responsável João Vemba Francisco, vendo a sua presença, impediu-os de entrar e orientou aos guardas que ficassem em prontidão. Decorria, entretanto, a preparação do culto.

Às 8:30h esses seguidores de Yoichi Okada entraram no CA como se estivessem a entrar numa frente de luta. Eles vieram com tudo, trouxeram programações e ensinamentos, para realizarem o culto deles com o objectivo de tomarem mesmo o CA. As portas da liturgia foram imediatamente trancadas pelos dedicantes, mas o Sr. Luyinduládio (conhecido como Ministro Belo) tentou forçar a porta, gritando que ele é que construiu a Igreja, que deu o seu máximo na construção e que o Responsável Vemba não construiu nada.

Às 9:00h, o Sr. Cabuço mais alguns jovens distribuíram os folhetos da prática do sonen, começaram a entoá-la. Em resposta, o missionário Inocêncio Keita saiu da liturgia e pediu ao Sr. Cabuço que se retirasse de frente do Altar. Nesse momento, alguns jovens seguidores de Yoichi Okada, dentre eles o Quintas, Bumba, David e Victor, começaram a empurrar o missionário Keita para fora da Igreja e a lhe dizer para sair da Igreja e não se meter, porque ele não participou da construção e porque que ele não é uma pessoa do sul e sim camundongo (pessoa do norte), demonstrando uma  triste postura de tribalismo.

Outros jovens seguidores de Yoichi Okada invadiram a liturgia e foram contra o Responsável Vemba, tentando lhe tirar à força da liturgia. Foi assim que um frequentador, vendo a agressão, foi buscar uma enxada na horta da Igreja, ficou na porta da liturgia e, numa tentativa de intimidar os agressores, gritou que quem tocasse no responsável Vemba seria atacado com a enxada. Um jovem seguidor de Yoichi Okada tentou agredir o Responsável Vemba e este frequentador reagiu com a enxada, acertando num jovem. Os demais jovens seguidores de Yoichi Okada foram então contra esse frequentador, e agrediram-no, partindo vasos e copos na sua cabeça até que ele perdeu os sentidos. Graças a Deus, as senhoras presentes conseguiram socorrer o frequentador e levaram-no ao hospital, onde levou 13 pontos na cabeça.

Quando se apercebeu do nível da confusão que se instalou na liturgia, vendo sangue no chão, o Sr. Quintas, valendo-se da sua posição de oficial da polícia, ligou à patrulha que prontamente se fez presente no CA, mandou fechar a Igreja e levou a todos para o Comando Municipal do Cuito, algemados.Untitled

Mas graças a Deus, que é efectivamente quem está no comando, quando foram ouvidos os depoimentos de todos (Responsável Vemba, Srs. Luyinduládio, Cabuço, Missionários Inocêncio Keita e Madalena) a polícia concluiu que os seguidores de Yoichi Okada invadiram domicílio alheio, pelo que a reacção de todos os fiéis presentes no CA foi legítima. Desesperados, os Srs. Luyinduládio e Cabuço tentaram argumentar que eram superiores hierárquicos dos missionários Vemba e Keita, começaram a acusar o Reverendo Claudio Pinheiro de gatuno, mas a polícia informou que isso não era relevante, e que o facto é que eles devem responder pelas agressões que encabeçaram no CA de Bié.

A situação se complicava cada vez mais para o lado deles. O inspector reuniu-se então só com o Quintas, por aproximadamente 30 minutos, findos os quais perguntou qual era a vontade dos presentes – encerrar o caso ou prosseguir com o processo. O Sr. Luyinduládio disse que preferia encerrar o caso e resolve-lo amigavelmente, mas o posicionamento do Responsável Vemba e seus apoiantes foi diferente. O caso deve prosseguir, os invasores e agressores devem ser responsabilizados. Assim foram abertos os processos.

Por fim o investigador disse que se os seguidores de Yoichi Okada querem exercer as suas actividades na Província precisam estar munidos de uma carta de recomendação e um manifesto do Ministério da Cultura que lhes autorize.

Os irmãos Bumba e Quintas, petulantes, ainda disseram que querem a unidade do Kunji, mas o inspector, sábio, disse que quem deve decidir é a pastora local, tendo esta se recusado, afirmando que está do lado da Ministra Graça.

O inspector disse aos seguidores de Yoichi Okada que caso eles entrem em mais alguma unidade religiosa serão punidos. Só assim é que se retiraram e afirmaram que voltarão a Luanda e não farão mais confusão.

O QUE PERGUNTAMOS AO SR. YOICHI OKADA É O SEGUINTE:

É essa a FÉ COMPLETAMENTE NOVA que o senhor ensina aos seus seguidores? Essa fé que incita um irmão a agredir o outro em nome de Deus? Que ensina a invadir locais de culto? Que ensina a obstrução da realização de cultos e da prática da fé, violando a liberdade religiosa de quem não comunga da mesma crença que os senhores? Que suscita a intolerância religiosa? Que induz o pensamento de que quem não segue “Yoichi Okada” não merece respeito?

Em nome de Yoichi Okada, seus seguidores invadem e se apossam de Unidades Religiosas e Pólos Agrícolas que são propriedades da Igreja Messiânica Mundial em Angola. Desde o início, os seus seguidores vêm ameaçando sem medo a integridade física dos fiéis de Meishu-Sama que não centralizam a fé em si, Yoichi Okada, havendo várias publicações no facebook com essas ameaças.

Pensávamos que os líderes que representam uma religião fossem anunciantes da paz e não de conflito e ataques como estes que vêm sendo demonstrados por aqueles que seguem avidamente o Sr. Yoichi Okada. Não vemos tal postura em nenhum dos Ensinamentos Sagrados de Meishu-Sama, que nos ensina a agir diariamente construindo o paraíso e não criando mais inferno.

Em Angola há leis e quem as infringe é punido. Os processos vão seguir e eles serão presos, porque partir vasos e copos na cabeça de um fiel que estava a agir em legítima defesa agrava a responsabilidade.

Sr. Yoichi Okada, todas essas atrocidades  estão a ser cometidas em seu nome!

Atrocidades a ponto de ser derramado sangue em uma das nossas unidades religiosas!

Nossa Igreja existe em Angola desde 1991 e sempre teve o respeito do governo e da sociedade mas, essa postura dos vossos seguidores está a difamar o nome do Messias Meishu-Sama e da nossa Instituição!

Qual é o vosso objectivo com isso?

A única coisa que desejamos é difundir o Johrei e os ensinamentos do Messias Meishu-Sama em paz!

Será que é difícil para si e seus seguidores aceitarem isso?