IGREJA MESSIÂNICA MUNDIAL

SEDE CENTRAL DE ÁFRICA

 

HISTÓRICO DA PURIFICAÇÃO DA IGREJA EM ANGOLA

 

Várias situações têm sido reportadas sobretudo nas redes sociais, que apontam para um conflito interno na Igreja Messiânica Mundial em Angola.

Com efeito, um grupo de membros dissidentes da Igreja que a princípio se auto denominavam Comissão da Salvação, e actualmente se assumem como titulares dos órgãos da Igreja, têm levado a cabo várias acções, que ameaçam e colocam em causa o bom nome e imagem da Igreja, tendo evoluído para ataques à integridade física dos fiéis.

Dessas acções, ganhou maior notoriedade a tentativa de invasão do Centro de Aprimoramento do Bié no passado dia 13 de Janeiro de 2019, amplamente mediatizado, no qual houve agressões físicas e pessoas feridas.

A Direcção da Igreja Messiânica Mundial em Angola vem por este meio esclarecer aos fiéis e público em geral sobre a génese e evolução da purificação que actualmente se vive.

Os problemas que desencadearam a presente purificação surgiram no seio da Igreja no Japão, envolvendo o então Líder Espiritual (Kyoshu-Sama) Sr. Yoichi Okada e a Direcção da Igreja-mãe. É importante, antes de mais, esclarecer que Kyoshu”não é uma pessoa e sim uma posição (jishoi) existente dentro da Igreja-mãe.

Sobre esse conflito, por falta de conhecimento sobre as suas reais razões, na altura, a Direcção da Igreja Messiânica Mundial em Angola – Sede Central da Igreja em África – enviou à Igreja-mãe um ofício demonstrando o seu posicionamento, apelando ao entendimento entre as partes.

O Sr.Yoichi Okada, na altura Kyoshu-Sama, com o suporte do movimento “Su no Hikari” (que não faz mais parte da Igreja Messiânica Mundial) apoiou a criação e ficou em frente de um movimento dissidente da Igreja, cuja linha de orientação é estranha aos Ensinamentos do Fundador da Igreja Messiânica Mundial, Meishu-Sama.

Por se ter verificado um acentuado desvio da doutrina da Igreja Messiânica Mundial e dos Ensinamentos de Meishu-Sama por parte do Sr. Yoichi Okada, em 24 de Junho de 2018 a Igreja-mãe no Japão cancelou a sua investidura da posição de Líder Espiritual- Kyoshu-Sama.

Uma sequência de acontecimentos se verificou então em Angola, encabeçados por um grupo de então Sacerdotes da Igreja, que apoiando expressamente o Sr. Yoichi Okada, em seu nome, levaram a cabo as acções abaixo alistadas em ordem cronológica:

30 DE JULHO DE 2018

Um grupo de (até então) Ministros (Francisco Xavier Hatewa, António Manuel Muhongo, Francisco Joaquim Caxinda, Beny José Faustudo, Carlos dos Santos Alfredo, e Ana Maria da Silva) solicitou um encontro com o Presidente, Reverendo Claudio Pinheiro, para pedido de esclarecimentos sobre a situação doutrinária da Igreja e outros assuntos internos, incluindo o pedido de demissão do Min. Cabuço que havia ocorrido a 27 de Julho de 2018.

O encontro foi realizado, as questões colocadas foram esclarecidas, mas o grupo de ex-Sacerdotes não ficou satisfeito com a posição da Igreja de manter-se unida e em estado de oração e iniciou suas práticas criminosas.

27 DE AGOSTO DE 2018

O grupo de Sacerdotes através de carta comunicou que doravante se autoproclamariam de “Comissão da Salvação da IMMA”, com a seguinte composição:

  1. Presidente Francisco Xavier Hatewa;
  2. Vice-Presidente António Manuel Muhongo;
  3. Coadjuvados pelos Ministros Francisco Joaquim Caxinda, Beny José Faustudo, Carlos dos Santos Alfredo, Flávio dos Santos Cabuço, Ana Maria da Silva, Luyindulâdio Bedy Kiala e Missionário Mário Domingos Correia.

Através de um caderno reivindicativo, a autoproclamada Comissão iniciou o cometimento de vários crimes, como calúniae difamação, pois acusam sem provas nem fundamentos, a Direcção da Igreja de desvio de crença, abuso de poder, incitação de divisão no seio dos sacerdotes para melhor reinar, promoção do medo na prática da Fé, tratamento desigual dos funcionários, má gestão dos recursos financeiros, entre outros.

20 DE SETEMBRO DE 2018

Foram retirados os títulos de Ministros aos seguintes senhores: António Manuel Muhongo, Francisco Xavier Hatewa, Beny José Faustudo, Francisco Joaquim Caxinda, Carlos dos Santos Alfredo, Ana Maria da Silva, Luyinduladio Eduardo Bedy Quiala, Flávio dos Santos Cabuço e mais tarde aAfonso Quifuta Pereira, Geremias Pereira Quifuta, Manuel Francisco da Costa, Aleluia N’donda, Cine Dangereux Ramos Pascual, Nicolau Vicente, Alberto Pereira Quifuta eDomingos Fernando. No entanto, os visados até a presente data se apresentam como Ministros da Igreja Messiânica Mundial.

A Comissão adoptou o slogan “100% Kyoshu-Sama” e em nome de Yoichi Okada:

  • Iniciaram uma campanha de invasão às Unidades Religiosas e recusam-se a entregar o donativo à Igreja, legítima depositária, recorrendo a ameaças e agressões, publicadas nas redes sociais;
  • Começaram a orientar os fiéis a fazerem a sua doação monetária em contas pessoais de membros da Comissão, distintas das contas da Igreja, publicadas também no facebook.

7 DE OUTUBRO DE 2018

O Sr. Michio Shirasawa, braço direito do Sr. Yoichi Okada, endereçou uma carta aos membros da Comissão, manifestando seu profundo respeito por eles que, no seu entender, entraram em contacto com a essência dos Ensinamentos de Meishu-Sama, ou seja, manifestando seu apoio incondicional aos desmandos cometidos pelos membros da Comissão.

O conteúdo desta carta foi para a Direcção da Igreja uma negativa surpresa, um verdadeiro acto de traição, pois ficou óbvio que os actos de violência, discriminação e calúnias desencadeados pela autoproclamada comissão afinal têm a bênção do Sr. Shirasawa e, por conseguinte, a bênção do Sr. Yoichi Okada.

A Igreja sentiu-se terrivelmente traída, pois até então vinha orando para que no Japão se chegasse a algum entendimento. E mesmo tendo o Sr. Yoichi Okada deixado de ocupar o Trono de Kyoshu,a Igreja Messiânica em África manteve por ele um profundo respeito, de tal forma quea prática do sonenque o saudoso Reverendíssimo Tetsuo Watanabe formulou a partir de suas orientações e a sua saudação de ano novo continuaram a ser lidas diariamente, em todas as Unidades Religiosas de todo o continente africano.

Após a declaração do Sr. Michio Shirasawa, ficou evidente a índole agressiva desse grupo, cuja actuação fomenta e alimenta a divisão, a rivalidade e violência entre irmãos. Assim, ficou claro para a IMMA que o mais acertado seria nos mantermos fiéis aos Ensinamentos de Meishu-Sama e ligados aos Solos Sagrados e à Igreja Messiânica Mundial que Ele fundou.

No mesmo mês de Outubro, a Direcção da Igreja enviou então um ofício à várias instituições do Estado, entre elas o INAR (instituto Nacional dos Assuntos Religiosos) e o Comando Geral da Polícia, comunicando o conflito que se tinha instalado no seio da Igreja e solicitando a sua intervenção para a solução.

24DE OUTUBRO DE 2018

Os actos de ocupação de instalações de culto da Igreja intensificaram-se fora da capital, com lugar nalguns casos a intervenção policial.

Por sua vez, a Direcção da Igreja efectuou a comunicação através de cartas a instituições públicas competentes sobre o conflito, tendo o INAR (Instituto Nacional dos Assuntos Religiosos) orientado aos membros da Comissão a se absterem de quaisquer práticas em nome da Igreja.

7 DE DEZEMBRO DE 2018

A despeito da orientação do INAR, a Comissão realizou o que chamou “Conferência Extraordinária” e elegeu supostos novos membros da Direcção da Igreja, que nessa falsa qualidade peregrinaram para o Japão e foram recebidos pelo Sr.Yoichi Okada.

3 DE JANEIRO DE 2019

O Jornal “O País” publicou uma notícia sobre a pretensa nova Direcção da Igreja Messiânica Mundial de Angola, decorrente da reunião dos dissidentes realizada no dia 7 de Dezembro de 2018. Esta notícia foi desmentida pela Direcção da Igreja no mesmo jornal, edição do dia 21 de Janeiro de 2018, dado que a composição da Direcção da Igreja mantém-se inalterada.

13 DE JANEIRO DE 2019

Em nome do Sr. Yoichi Okada, a Comissão tentou ocupar a força o Centro de Aprimoramento do Bié, onde se gerou um conflito do qual 3 pessoas ficaram feridas.

INDICAÇÃO DA SITUAÇÃO ACTUAL

  • O acontecimento do dia 13 de Janeiro de 2019 teve ampla publicidade nas redes sociais e na televisão e mereceu várias reacções, principalmente várias mensagens de repúdio;
  • Estão já a correr os trâmites legais para a responsabilização dos infractores.
  • Actualmente, algumas Unidades Religiosas e pólos de Agricultura Natural da Igreja estão sob ocupação dos seguidores do Sr. Yoichi Okada;
  • Por conta de todos os delitos cometidos pelos seguidores do Sr. Yoichi Okada (calúnia e difamação, exercício ilícito de profissão titulada, burla, roubo, abuso de confiança, ameaças, discriminação e ofensas corporais) foram instaurados os processos judiciais competentes para a responsabilização dos autores;
  • Da mesma forma, toda essa situação foi reportada à Igreja Izunome e à Igreja-mãe no Japão e as medidas necessárias serão aplicadas
  • A Direcção da Igreja aguarda o desfecho, o qual espera que seja célere.

A Direcção da Igreja mais uma vez manifesta a sua consternação pela publicidade negativa que a Igreja tem estado a merecer e agradece profundamente a todos que, independentemente de tais acontecimentos, mantêm-se firmes na Obra Divina de Salvação da Humanidade e Construção do Paraíso Terrestre e reitera o seu profundo e permanente compromisso assumido aquando da sua implantação em Angola.

Luanda,3 de Fevereirode 2019

Direcção da Igreja Messiânica Mundial em Angola