Meu nome é Maria da Cruz Nascimento dos Santos Carvalho, Untitledsou membro e resido na localidade de Penha – São Tomé.

Conheci a Igreja Messiânica Mundial de São Tomé e Príncipe no ano 2005, quando me ofereceram uma flor na rua e convite para entrar na unidade.

Fui atendida pelo plantonista que depois de orar comigo no altar e orientou-me a receber no mínimo 10 Johrei por dia, assistir aos cultos e colocar as flores naturais (Ikebana) em casa.

Antes de conhecer a igreja, vivia atribulada com conflito conjugal e familiar, mesmo com as orações fervorosas, tratamento nas casas dos curandeiros gastando dinheiro, os meus sofrimentos não davam sinais de melhoria.

Ao colocar em pratica as orientações recebidas e ao aprofundar cada vez mais nas actividades da igreja, tais como marchas de encaminhamento na porta, assistência religiosa, distribuição de flores nos bairros, entre outras dedicações, em pouco tempo tudo melhorou consideravelmente. Como gratidão despertei para materializar o meu donativo de primeira graçase de outorga, tendo recebido o Ohikari no dia 30 de Abril de 2006.

Com o meu empenho nas dedicações, fui agraciada com uma viajem a Portugal a fim de visitar a minha filha onde vivi momentos felizes. Algum tempo depois, comecei a purificar com dores no local onde tinha sido operada há vários anos. Isso foi-se agravando ao ponto de impedir-me a locomoção. Apesar das assistências que vinha tendo dos membros da igreja, a situação não melhorava e tive de recorrer a medicina, mas também sem qualquer resultado. Com isso, fui convidada a conhecer uma outra igreja, onde oraram comigo no altar e passado algum tempo a dor cessou e como fiquei melhor nasceu em mim a vontade de ser batizada naquela igreja. Depois do batismo, os pastores exigiram que levasse o Retrato do Messias e o Ohikari, assim o fiz porque pensei que seria feliz. Participei nalguns cursos básicos e me tornei diácono e intercessora (assistente para os cultos). Certo dia acabei de cumprir o plantão, de regresso a casa, comecei a sentir muita fraqueza, convulsões, dores no local da operação e quase que desmaiava. Mesmo com as orações fervorosas dos pastores as coisas pioravam em vez de melhorar, passando a ser um fardo pesado para minha filha porque ela é que passou a fazer tudo para mim. Fui encaminhada para outra igreja e para minha desgraça, surgiram outras enfermidades tais como: diabete, tenção alta, tuberculose, hemorragia na boca e sempre que tomava medicamento para hipertensão arterial, esta aumentava e tinha que recorrer ao hospital onde ficava internada. Mesmo participando em vários sacrifícios, até de entrega de valor correspondente ao custo de um boi, não encontrava melhorias.

Ao refletir sobre a minha situação, lembrei-me de Meishu-Sama e do Johrei, de quanto eu fui ingrata e do mal que fiz quando destrui a minha ligação com Ele. Nasceu em mim o sentimento de procurar a missionária Maria da Conceição e Silva que foi a minha orientadora, afim de voltar a receber Johrei. Fiz isso por duas vezes e consegui dormir aliviada. Fui orientada a participar na marcha de Johrei,  no Centro de Aprimoramento de Quilombo, de onde saí muito leve, aliviada e satisfeita.  Com o meu retorno à Igreja Messiânica Mundial, recebi a prorrogação da vida, porque os meus sofrimentos acabaram.

A experiência de fé que passo a relatar está relacionada com o donativo de construção dirigido a Sede Central do Palmar.

Como estamos na fase de construção da nossa Sede Central, ao ouvir nas palestras a orientação que devemos participar materializando o nosso donativo de construção, nasceu em mim a vontade de fazer um donativo especial dirigido a essa construção. Como não estou a trabalhar, não faço nenhum negócio e não tenho ninguém para me dar, nasceu em mim a preocupação de como materializar essa orientação. Depois de muita reflexão, lembrei que a minha arca poderia ser usada para fazer essa dedicação. Busquei orientação do meu orientador e comuniquei à minha filha a minha intenção, pedindo a sua colaboração, considerando que ela sempre se preocupava com a minha situação. Felizmente ela me disse: “Se esse é o teu desejo, podes faze-lo e eu vou procurar a pessoa para comprar a arca.”

Assim que apareceu o comprador, chamamos um técnico para verificar se a arca estava a precisar de alguma reparação e este ao verificar o eletrodoméstico, disse que a arca estava em boas condições e não havia nada a reparar. Com essa resposta comunicamos a interessada na compra da arca que levou a mesma para sua casa, com promessa de pegar o valor combinado no dia seguinte, porque tinha que a testar para confirmar o seu estado. No dia seguinte, eu e a minha filha fomos ao encontro da compradora a fim de receber o valor, ela confirmou a operacionalidade do aparelho e entregou o valor conforme o combinado.

Assim que recebi o dinheiro, fui directo a igreja, coloquei-o todo num envelope, dirigi-me ao altar e materializei o referido donativo de construção especial dirigido a Sede Central do Palmar.

Quatro dias depois, a senhora que comprou a arca telefonou para minha filha dizendo que a arca deixou de funcionar. Preocupada, imediatamente ela telefona para mim e diz: “Mama onde é que estás? tens que vir agora ter comigo.” Como me encontrava na unidade a participar da marcha de Johrei, fiquei assustada e desorientada com a preocupação da minha filha. Felizmente os irmãos que estavam presentes, me deram força aconselhando-me a ir ao altar, orar e pedir ajuda à Meishu-Sama e entregar tudo nas mãos de Deus. Cumpri a orientação pedindo a Meishu-Sama para me ajudar seja lá o que for que estivesse a acontecer.

Ao chegar em casa a minha filha me informou o sucedido. Fiquei ainda mais transtornada e foram aparecendo várias ideias. Comecei a orar, pedindo perdão e ajuda a Meishu-Sama, conversando com os meus antepassados e não conseguia me acalmar. passei toda tarde muito preocupada e agitada, sempre a orar.

A noite, tive um sonho em que apareceu um irmão da igreja e me perguntou o que se passava comigo. Ao contar-lhe o sucedido, ele me disse: “Oh Rosa, você quer ir buscar o teu dinheiro de volta? Quando fazemos donativo na igreja, ele não fica na igreja, nem são os ministros, nem os responsáveis que ficam com o nosso dinheiro. Ele vai diretamente para o Mundo Espiritual. Você quer conhecer quem é responsável do nosso dinheiro no Mundo Espiritual? Vamos para você conhecer e ver se consegues pedir o teu dinheiro de volta.” Ele me levou até um local onde tem uma casa muito bonita e organizada, com um quintal bonito e com muitas flores lindas. Paramos na entrada e ele me falou indicando para duas senhoras muito grandes que estavam sentadas com a cabeça baixa: “São essas senhoras que guardam os nossos donativos. Podes ir pedir o teu dinheiro.” Vendo o tamanho das duas senhoras, que nem com a minha presença elas levantaram a cabeça para que eu pudesse ver os seus rostos, não tive a coragem porque fiquei com muito medo e decidi voltar para casa.

Quando despertei do sonho, fiquei assustada e com muito medo, não consegui dormir mais e só passei a agradecer, orar, e pedir perdão. Ao amanhecer, eu e a minha filha fomos ao encontro da senhora para nos inteirar da situação e negociar a devolução do dinheiro.  Assim que chegamos no local, vimos a arca funcionando lindamente e dava impressão que era uma outra arca, porque parecia estar mais nova. A senhora nos pediu desculpas e disse que um dos botões é que tinha desligado criando essa situação indesejável.  Em seguida, fui a igreja e materializei um donativo para agradecer a Deus e Meishu-Sama pela permissão de ter vivenciado mais um grande milagre.

Alguns dias depois, recebi de oferta um sofisticado aparelho de som vindo directamente de Londres para mim cujo custo total é três vezes superior ao valor do eletrodoméstico que desapeguei para participar da construção da nossa Sede Central através de donativo.

Com essa experiência, aprendi que quando fazemos os nossos donativos, eles são canalizados para o Mundo Espiritual e há quem cuida deles. Os donativos que fazemos não é para os ministros, nem para os responsáveis e que as orientações que recebemos devem ser colocados na pratica com sinceridade e honestidade porque é para nos ajudar a cumprir missão.

O meu compromisso é continuar a fazer o donativo de construção dirigida a Sede Central do Palmar e também ganhar a permissão de conseguir o valor para a peregrinação aos Solos Sagrados.

Agradeço ao Supremo Deus e ao Messias Meishu-Sama pela permissão de conhecer este maravilhoso caminho da salvação junto com os meus antepassados.

Muito obrigada.

This post is also available in: Francês