Chamo-me Rebelina Martinho Kafundanga, 56751249_2151414461602376_7813283120517480448_ntenho 50 anos de idade, sou missionária e dedico como encarregada do grupo coral e sociedade de senhoras do Johrei Center do Benfica.

Conheci a Igreja Messiânica Mundial em 2003, por intermédio da senhora Albertina Portugal, membro da nossa Igreja.

Os motivos que estiveram na base do meu ingresso foram mortes constantes dos meus filhos, doença (hemorragia avançada), presença de homem noturno.

Quanto as mortes, cheguei a enterrar cinco filhos antes de completarem nove anos de idade. A família do marido achava que escondia alguma coisa e exigiram de imediato que nos separássemos, assim aconteceu.

Procurei casas de quimbandeiros, para descobrir as causas da morte dos meus filhos, onde fui submetida à vários tratamentos que o mais temível de todos, foi de me golpear o corpo todo com caco de garrafa, pondo-me medicamento ardentes, em seguida orientou-me a jogar-se num poço de carvão aceso, alegando que só assim estaria curada da maldição e se não fizesse morreria. Recusei, preferindo morrer.

Como consequência, adoeci com hemorragia sem parar, durante três meses.

Procurei uma igreja cristã, a fim de encontrar paz onde tive uma revelação que o meu ex-esposo já tinha perdido 25 filhos contado com os meus; continuei a frequentar mais, não sentia a paz que procurava e acabei desistindo. Para piorar comecei a sentir presença de homem noturno.

Os médicos e meus familiares pensavam que não tinha mais solução e que não aguentaria mais 24 horas, de noite tive um sonho com meu bisavô que disse:

– Rebelina, daqui a 24 horas enviarei alguém que vai de mostrar o caminho da luz.

De manhã, angustiada preparei a roupa para vestir pois morreria a qualquer momento, segundo meus familiares. Ao meio-dia, uma senhora se dirigiu à minha casa com a flor de luz, pedindo para fazer-me uma oração, aceitei. Durante a oração chorei muito e para minha surpresa a hemorragia parou. Contei-lhe o sonho e ela convidou-me a conhecer a igreja.

Na unidade, fui recebida pelo plantonista que orientou-me as práticas básicas da Igreja. Cumpri as orientações sem dificuldade, em apenas 14 dias de recebimento de Johrei, passei a dormir bem, com sono tranquilo e meu aspecto melhorou.

Para retribuir a graça, em 2004 tornei-me membro para melhor servir a Obra Divina. Naquele período, recebi a orientação de dedicar como encarregada de sorei-saishi e fazer o mesmo, a fim de assentar as minhas raízes familiares.

A experiência de fé a seguir, está relacionada com as visitas nas casas dos fiéis com as mamas da Sociedade de Senhoras.

Com o espirito de humildade, após receber a orientação de aprofundar na visita às casas dos fiéis, para fazer limpeza, vivência da flor, plantação de árvores e outras práticas, decidimos colocar em prática da seguinte forma:

  1. Todas juntas e unidas visitamos um total de 100 casas, sendo 30 de membros e 70 de frequentadores;
  2. Distribuimos 700 flores de luz;
  3. Fizemos 350 vivências nas casas dos fiéis entre membros, frequentadores e pessoas de primeira vez;
  4. Distribuimos 330 filosofias da salvação;
  5. Fizemos 35 limpezas profundas entre casas e lugares de grande foco de lixo;
  6. Plantamos 50 árvores de diversas espécies;
  7. Participaram das actividades 80 senhoras entre membros, frequentadoras e primeira vez.

Com estas actividades, vivenciamos várias ocorrências que passo a relatar:

  • Um casal que não dormiam juntos desde o nascimento do seu terceiro filho, o marido alegava ser por causa do calor, após receber a visita da sociedade de senhoras, que procurou aprofundar no caso o que levou a fazer uma reflexão profunda e aula para casais, da Coletânea dos Ensinamentos de Meishu-Sama, o esposo despertou e comprou um novo colchão, voltaram a dormir juntos. A esposa, agora, é candidata a outorga, o marido despertou, dedica como assistente do Grupo Lua e têm participado de todos os cultos. Ele que não recebia o seu salário há algum tempo, numa dessas visitas, recebeu o telefonema do seu patrão, dizendo que dentro em breve iriam pagar os seus salários.
  • Um casal, que se encontrava em briga, após a visita, em sua casa o marido recebeu a flor com dúvidas, dizendo: “Quero ver o que esta flor vai fazer.” No dia seguinte, uma membro foi para lá saber como passaram a noite, e para o seu espanto, o casal que já não dormia junto há algum tempo, foi recebida pelo esposo, com um sorriso no rosto que, reconheceu que a flor, tem mesmo poder, porque já há tanto que não saia com a esposa, para efetuar as compras de casa e os mesmos continuam a receber assistência em sua casa.
  • Uma frequentadora, que estava zangada com o esposo, que já se encontrava fora de casa há algum tempo, após a visita, na qual aprofundamos na limpeza em sua casa, admirou-se com a presença do esposo à hora do jantar, que lhe levou a uma loja afim de efetuar algumas compras de bens alimentares e um colchão novo para a sua cama, ainda o esposo lhe pediu desculpas, prometeu não mais sair de casa. Hoje estão felizes.
  • Eu própria, recebi um telefonema do proprietário da casa onde morava, pedindo que até ao mês de Fevereiro, teríamos que deixar a sua casa. Naquele momento nem meu esposo, nem eu, dispúnhamos de valores para alugar uma nova casa. Para a minha surpresa, apareceu uma pessoa caridosa, que se dispôs a pagar uma casa para nós, assim que encontrássemos. No momento só apareciam casas que não eram adequadas para nós e com valores muito alto. Até que encontramos uma casa com quatro quartos, uma suite, uma vasta sala e casa de banho com banheiro ladrilhada e uma cozinha também toda ladrilhada, quintal e um tanque de água e luz e espaço para produção de flores e alimentos naturais. Apenas no valor de Dez Mil Kwanzas.
  • Também ganhei a permissão de entronizar a Imagem da Luz Divina em minha casa; hoje não sinto mais presença de homem noturno graças a Deus, tenho um filho adoptivo com quem vivo para minha felicidade.

Aprendi com esta experiência, que a obediência é a chave do nosso sucesso, que só colocando em prática é que veremos os resultados.

Encaminhei 300 pessoas dos quais 17 se tornaram membros. Tenho horta caseira, faço os donativos regularmente, sou cadastrada e peregrino aos locais de maior luz. Cuido de 10 casas entre membros e frequentadores com um total de 29 pessoas, com os quais aprofundo nas práticas básicas da fé.

Meu compromisso é me empenhar cada vez mais e aprofundar na formação da rede da salvação, salvando o maior número possível de pessoas.

Agradeço ao Supremo Deus, ao Messias Meishu-Sama e aos meus antepassados. Agradeço especialmente a irmã Albertina Portugal, por por me conduzir neste caminho.

 Muito obrigada.