ESCLARECIMENTO DA VERDADE

 

Antes de mais nada, qual é o verdadeiro objectivo da religião? Sem dúvida, é o esclarecimento da Verdade. E o que é a Verdade?

A Verdade é a natureza tal qual ela se apresenta. O Sol desponta no leste e desaparece no oeste; o ser humano nasce e, inevitavelmente, caminha para a morte. O budismo se refere a isso com as expressões “tudo o que nasce está sujeito a desaparecer” e “todo encontro está condenado à separação”. O facto de o ser humano manter-se vivo por meio da respiração e da alimentação, evidentemente, também é verdade. Preciso insistir sobre assuntos tão óbvios porque a actual situação da sociedade é absurda.

Observando os revoltantes acontecimentos deste mundo, o caos reinante na sociedade, os conflitos, a desordem, as más acções etc., é impossível negar que há mais factores que contribuem para a infelicidade do que para a felicidade da humanidade. Precisamos, pois, reflectir sobre a origem disso. Segundo o meu ponto de vista, é evidente que a causa reside no demasiado afastamento da Verdade, embora não se perceba isso.

Vejo que o homem moderno perdeu a noção da Verdade. Parece que a vida se mostra tão difícil para ele, que não consegue reflectir sobre o assunto. Além disso, até hoje, a Verdade não era clara nem mesmo para as religiões. Por esse motivo, não era raro pregar a pseudoverdade acreditando estar transmitindo a Verdade. Se esta tivesse sido revelada tal qual ela é, a sociedade humana deveria estar muito melhor do que é visto hoje, e o Paraíso estaria concretizado até certo ponto.

Contudo, com a chegada do tempo, Deus revelou Sua Vontade e, por meu intermédio, está explicando e demonstrando a Verdade. Neste sentido, meus diversos escritos esclarecem a Verdade de maneira que qualquer pessoa possa compreender com facilidade. Portanto, certamente, a correcta visão sobre a Verdade aflorará naqueles que lerem atentamente minhas palavras com a mente livre de preconceitos.

Vou explicar por meio de situações que são familiares a todos. O ser humano adoece porque se distancia da Verdade, e a medicina não consegue curá-lo porque também está fora da Verdade. Política errónea, má ideologia, sofrimentos decorrentes do aumento de crimes, crise financeira, inflação e deflação, tudo isso também decorre desse afastamento.

Se não houver nenhum desvio da Verdade, tudo o que for correcto caminhará de acordo com o desejo do ser humano, pois Deus criou a sociedade humana dessa maneira. Assim, não seria difícil surgir uma sociedade ideal, virtuosa e bela, em que as pessoas vivem com alegria e felicidade. Nisto reside a possibilidade do advento do Paraíso Terrestre que venho propondo.

Diante disso, talvez alguns achem que há muitos pontos controversos em minha teoria, mas na realidade não é nada disso. Tudo o que eu digo é muito óbvio. Se esses pontos parecerem estranhos é porque a análise parte da perspectiva da pseudoverdade. Quanto mais controversa minha teoria parecer, mais evidente é o contra-senso vigente na sociedade. Portanto, podemos dizer que aquele que aceita minha teoria sem objecções, é alguém que assimilou a Verdade.

Deus concedeu ao ser humano a liberdade infinita. Eis a Verdade. Às demais criaturas, como os animais e os vegetais, Ele permitiu a liberdade limitada. Dessa forma, a nobreza do ser humano reside nesta diferença. Falar da sua liberdade é dizer que, quando ele se eleva, torna-se divino; quando se degrada, equipara-se ao animal. Em outras palavras, ele existe entre os dois extremos. Se desenvolvermos esse princípio, veremos que, dependendo das acções do ser humano, o mundo se torna um paraíso jubiloso, ou ao contrário, um inferno desolador. Esta é a Verdade. Não há dúvidas quanto à escolha: a não ser aqueles de espírito maligno de nascença, todos desejarão o paraíso.

De acordo com o que acabamos de expor, a concretização do mundo paradisíaco é, em última instância, o objectivo da humanidade. E somente por meio do esclarecimento da Verdade é possível atingi-lo. Uma vez que esta é a missão da religião, estou sempre ensinando a Verdade por meio da fala e da escrita. Assim sendo, dedico-me intensamente dia e noite como aquele que esclarece a Verdade.

30 de Janeiro de 1950